Posts com a tag "Instalação"

Tudo sobre o controlador diferencial de temperatura AutomaSol TDA

08/07/2020 - Aquecimento Solar, Como Configurar, Controladores de Temperatura, Vídeos
Os controladores diferenciais de temperatura AutomaSol TDA são indicados para sistemas de aquecimento solar que necessitam de apoio ou filtragem. Neste post você verá as principais informações sobre este aparelho, como sua instalação e configuração, por exemplo. Escolhendo o controlador diferencial de temperatura para aquecimento solarVantagens da linha AutomaSol para aquecimento solarComo instalar o controlador AutomaSol TDAComo configurar o controlador AutomaSol TDAExemplo de configuração para sistema com apoioExemplo de configuração para sistema com filtragemInfográfico - Funcionamento do AutomaSol TDAComo apresentar o sistema de aquecimento solar para um cliente? Escolhendo o controlador diferencial de temperatura para aquecimento solar Em primeiro lugar é importante escolher o controlador correto para sua aplicação. Se você ainda não adquiriu um controlador de temperatura para aquecimento solar, é essencial listar suas necessidades antes de realizar a compra. Enquanto alguns controladores são mais simples e possuem apenas saída para circulação, outros são mais completos e possuem até mesmo eventos em horários programados. Se você quer acertar na escolha, acesse "Qual o melhor controlador de temperatura para Aquecimento Solar?" e descubra as diferentes opções de acordo com a sua necessidade. Vantagens da linha AutomaSol para aquecimento solar Se você ainda está em dúvidas sobre o controlador de temperatura ideal para o seu sistema de aquecimento solar, vale a pena conhecer melhor as vantagens da linha AutomaSol. Alimentação bivolt e fixação fácil, por exemplo, são características que fazem os controladores AutomaSol vantajosos tanto para técnicos e instaladores quanto para os usuários. Acesse o post "Vantagens do AutomaSol para instaladores de Aquecimento Solar" e conheça outros benefícios. Como instalar o controlador AutomaSol TDA Você já comprou o controlador e está com dúvidas sobre a instalação? Então este vídeo irá ajudar. Aqui você vai ver como ligar o controlador à rede elétrica, aos sensores de temperatura e à carga (bomba e apoio ou filtragem). Como configurar o controlador AutomaSol TDA Depois que o controlador está instalado é hora de configurar. Neste vídeo você verá desde o ajuste do setpoint até a configuração do apoio para horários específicos, por exemplo. Exemplo de configuração para sistema com apoio Neste vídeo apresentamos um tutorial de uma aplicação em que é necessário configurar o apoio para determinados horários. Vale a pena assistir ao vídeo para que a configuração do aparelho fique ainda mais clara quando for realizada na prática. Exemplo de configuração para sistema com filtragem Da mesma forma que o tutorial de apoio, fizemos também um tutorial de exemplo para configuração da filtragem. Aqui você verá como configurar seu controlador AutomaSol TDA para realizar a filtragem em determinados horários, de acordo com a solicitação do cliente. Infográfico - Funcionamento do AutomaSol TDA Depois que o sistema está instalado e configurado, que tal recaptular seu funcionamento? No post "INFOGRÁFICO – Como funciona o controlador para Aquecimento Solar" você verá de forma bem simples como o controlador AutomaSol TDA funciona, tanto em relação ao apoio quanto em relação à filtragem. Como apresentar o sistema de aquecimento solar para um cliente? E se você quiser visualizar o funcionamento do controlador diferencial de temperatura de forma dinâmica ou mesmo apresentar para os seus clientes? É por isso que temos o Test Drive AutomaSol, onde você pode interagir com o sistema de aquecimento solar e ver como o controlador funciona em diferentes horários do dia.

Como instalar e configurar o controlador Linha Black A102

01/07/2020 - Cerveja Artesanal, Como Configurar, Controladores de Temperatura, Refrigeração, Vídeos
Os controladores de temperatura Linha Black A102 são bastante versáteis e podem ser utilizados tanto para aquecimento quanto para refrigeração. Entre as principais aplicações deste modelo estão adegas e balcões de resfriados, por exemplo. Neste post você verá como é fácil de instalar e configurar esse aparelho. O que é o controlador Linha Black A102? É um controlador de temperatura com um sensor ou uma saída on-off. Pode ser utilizado para aquecimento (como pasteurizadores ou equipamentos cervejeiros) ou para refrigeração (como expositores de bebidas). Quando utilizado para refrigeração, o A102 possui gerenciamento de degelo natural, ou seja, permite desativar o controle de temperatura em períodos específicos para permitir o degelo por parada do compressor. Outra característica do controlador Linha Black A102 é o modo econômico. Quando utilizado para refrigeração é possível configurar um valor de setpoint (temperatura de controle) adicional: o setpoint econômico. Assim é possível ajustar o sistema para uma temperatura diferente em situações em que o controle de temperatura não é tão exigido. Um expositor de bebidas no horário em que o supermercado está fechado, por exemplo, pode ter seu setpont elevado, já que a porta permanecerá fechada e a troca de ar com o ambiente será menor. Como instalar o controlador A102? No vídeo abaixo você verá como a instalação do controlador A102 é simples. Veja como ligar o controlador à rede elétrica, à carga e ao sensor de temperatura. Como configurar o controlador A102? Neste vídeo você verá como configurar os principais parâmetros do controlador A102, como ajustar o setpoint e a função de aquecimento ou refrigeração, por exemplo.

Análise termográfica: como a ligação incorreta pode “torrar” o termostato

20/05/2020 - Controladores de Temperatura, Dicas Ageon
Um problema muito comum em termostatos digitais é a sobretemperatura no terminal, ou seja, o borne de ligação fica a uma temperatura acima da especificação do produto. Além de prejudicar o equipamento, isto põe em risco a segurança da instalação e das pessoas próximas. Veja neste post como ligação incorreta pode ser responsável por este problema e como evitá-lo realizando uma ligação elétrica segura. Ligação elétrica incorreta prejudicando o aparelho Não é anormal vermos controladores ligados conforme a foto abaixo, onde geralmente a fase entra para alimentar o comum do relé, e ao mesmo tempo, aproveita-se para fazer a emenda do cabo. No entanto, esta NÃO É A FORMA IDEAL DE LIGAR O TERMOSTATO. Muitas vezes os aparelhos estão com vários cabos conectados em um mesmo borne. Além da conexão elétrica e mecânica não estarem firmes e com os terminais corretos, estes cabos são amarrados uns aos outros com abraçadeiras aumentando o peso no cabo e puxando-o para fora do borne, piorando mais ainda a situação. A figura abaixo é a foto térmica do termostato acima. A emenda foi feita sem terminal e com o parafuso do borne levemente frouxo, simulando a utilização de uma chave inadequada. E o que podemos ver? A análise termográfica permite notar um aquecimento elevado na conexão e no borne, dissipando temperatura para o termostato e prejudicando as características físicas do equipamento. Podemos ver também que na seção longitudinal do cabo também há aquecimento, ou seja, com o tempo pode ocorrer problema no isolamento deste cabo. Como realizar a ligação elétrica do termostato corretamente O ideal é sempre utilizar conector apropriado para uma boa conexão elétrica e mecânica. De acordo com o que podemos ver nas fotos abaixo, um cabo 2,5 mm² foi conectado ao termostato utilizando o conector adequado. Pode-se observar a consequência da montagem correta através da análise termográfica gerada durante o ensaio. O ponto de conexão não passou de 34 ºC, sendo que o cabo utilizado é de PVC para 70 ºC. Pode-se observar que a conexão é o ponto onde há maior calor, enquanto no comprimento longitudinal do cabo a coloração é amarelo-esverdeada. Isso demonstra que o cabo está mais frio que a conexão, o que é muito bom! Mas como fazer quando é preciso juntar dois cabos para ligar ao borne? Sempre tenho que trazer do disjuntor ou do barramento? Para estes casos existem conectores duplos que são preparados para receber dois cabos e fazer a conexão entre eles e o borne. Contudo, vale ressaltar que ele deve ser crimpado com o alicate correto e na pressão correta para garantir o funcionamento. Na figura abaixo é demonstrado um exemplo: Podemos ver através da imagem da câmera termográfica um leve aquecimento. Esse aquecimento é proveniente da conexão elétrica e também da corrente que abastece outro equipamento, situação que não existia no exemplo anterior. A figura abaixo é uma exemplificação disto. No primeiro controlador, além da corrente que a carga dele consome, também passa a corrente para alimentação dos outros dois controladores. Logo, aquele ponto tende a ter um maior aquecimento. É necessário verificar se o borne comporta o pino duplo, pois em alguns casos o borne possui um tamanho reduzido proposital para que não se utilize desta forma. É importante que a somatória das correntes das cargas não seja maior que a corrente nominal do cabo. Este tipo de emenda no conector é mais difundido para comandos, onde geralmente a corrente é muito baixa. Deve-se evitar a utilização deste tipo de emenda para potências maiores, como resistências de aquecimento solar, utilizando desta forma a ligação com o cabo único, conforme figura abaixo. O que achou deste artigo? Deixe seu comentário abaixo.

Como proteger tanques resfriadores de leite de flutuações de tensão

01/04/2020 - Como Configurar, Controladores de Temperatura, Refrigeração, Vídeos
Se você trabalha com tanques resfriadores de leite possivelmente já teve problemas com oscilação de tensão. Geralmente esses equipamentos são instalados em áreas rurais onde a rede elétrica nem sempre é estável, ou seja, é suscetível a flutuações de tensão. Por que as flutuações de tensão são um problema? O principal problema das flutuações de tensão na rede elétrica é a integridade física dos equipamentos. Os resfriadores de leite, por exemplo, costumam possuir um compressor para realizar o controle térmico e um agitador para manter o leite em uma temperatura homogênea. Ambos os equipamentos possuem limites de tensões minímas e máximas. Em muitos casos a subtensão (tensão abaixo do valor permitido) e a sobretensão (tensão acima do valor permitido) fazem com que ao menos um destes equipamentos possa ser permanentemente danificado, causando prejuízos ao produtor. Como se não bastasse o prejuízo causado pela queima do compressor ou do agitador, existe ainda outro problema para os produtores: a perda do leite. O leite pode congelar caso o agitador pare de funcionar ou pode chegar a temperaturas muito altas caso o compressor não atue. Além disso, como o leite só pode ser armazenado por determinado tempo, o período em que o tanque resfriador ficar fora de serviço para manutenção pode significar mais prejuízos para o produtor, dependendo de sua estrutura. Como evitar a queima dos resfriadores de leite por problemas de tensão? Uma das maneiras mais práticas para proteger o resfriador de leite das flutuações de tensão é utilizar um controlador de temperatura com monitor de tensão incorporado. Isso é muito mais prático e simples do que adquirir um monitor de tensão externo, montar um painel e instalá-lo. Além de acionar o compressor para manter o resfriamento do leite e acionar o agitador para manter a temperatura homogênea, controladores com monitor de tensão incorporado possuem uma proteção extra. Com eles é possível desativar automaticamente as saídas do compressor e do agitador de acordo com limites de tensão configurados. Dessa forma o controlador monitora a tensão da rede e, caso a tensão se reduza ou se eleve demais, as saídas são desativadas para evitar maiores danos. O controlador H104 da Ageon é o modelo mais recomendado para tanques resfriadores de leite. Este modelo é resistente à oscilações de tensão, já que sua alimentação vai de 85 V a 300 V. Também possui duas saídas a relé. Enquanto a primeira saída controla o sistema de refrigeração, a segunda saída possui funcionamento temporizado para o agitador do leite. No vídeo abaixo é possível visualizar como o controlador H104 funciona a proteção do equipamento quando ocorre subtensão ou sobretensão na rede. Deseja saber mais sobre o controlador de temperatura H104 da Ageon? Acesse nosso site e conheça todos os detalhes do controlador ideal para seus resfriadores de leite.

Como instalar o controlador de temperatura A103 PID em Chocadeiras?

26/02/2020 - Chocadeiras, Controladores de Temperatura, Vídeos
Você possui um controlador de temperatura A103 PID e deseja ver como instalar o aparelho em sua chocadeira? Neste post vamos demonstrar o como é fácil conectar o controlador à resistência, ao motor de viragem e aos sensores de temperatura. O que é o controlador de temperatura A103 PID? O modelo A103 PID é um controlador de temperatura desenvolvido pela Ageon especialmente para chocadeiras e incubadoras. Para que as chocadeiras apresentem uma boa taxa de eclosão é necessário que haja precisão e estabilidade térmica. É por isso que o controlador A103 PID possui uma saída TRIAC para controle PID da resistência elétrica. O controle PID permite que a temperatura se mantenha muito mais estável em comparação aos tradicionais controladores de temperatura on-off. Os controladores A103 PID também possuem uma saída com funções de temporização. Esta saída pode ser utilizada para acionar um motor e realizar a viragem dos ovos automaticamente em ciclos de tempo predeterminados. O modelo A103 PID faz parte da Linha Black e por isso possuem diversos recursos extras, como as duas formas de fixação (presilhas ou parafusos), teclas de atalho configuráveis, entre outros. Instalando o controlador A103 PID Antes de instalar o controlador de temperatura na chocadeira é necessário se certificar de que o aparelho é compatível com a rede elétrica. O controlador A103 PID pode ser instalado em redes 110V ou 220V, por exemplo. No entanto, existem versões do aparelho que exigem a seleção manual da tensão através da ligação elétrica, enquanto outros modelos possuem seleção de tensão automática e um único modo de ligação elétrica. No vídeo abaixo demonstramos como instalar o controlador em uma rede 220V. O modelo utilizado é um A103 PID com seleção manual de tensão (110V ou 220V). De acordo com o vídeo podemos ver como a ligação elétrica do controlador A103 PID é simples. Abaixo listamos o esquema elétrico das três versões disponíveis, apresentadas ao final do vídeo: A103 PID - Seleção de tensão manual em 220V A103 PID - Seleção de tensão manual em 110V A103 PID - Seleção de tensão automática (85V a 264V) A Ageon recomenda que seus produtos sejam instalados por profissionais qualificados. Em caso de dúvidas na instalação, configuração ou utilização, entre em contato com o suporte técnico Ageon através dos seguintes canais:(48) 3028-8878(48) 99996-0430Ou entre em contato por Whatsapp clicando aqui.

Quais são suas dúvidas sobre inversores de frequência?

22/01/2020 - Dicas Ageon, Inversores de Frequência
Os inversores de frequência são tema de diversos posts no aqui no blog. Já falamos sobre as vantagens desses aparelhos, sobre como dimensioná-los, evitar erros e diversas outros assuntos. Se você possui dúvidas sobre inversores de frequência você está no lugar certo. Perguntas frequentes sobre inversores de frequência Depois de anos inseridos no mercado de inversores de frequência nós identificamos alguns questionamentos frequentes relacionados a esses produtos. Dessa forma, reunimos abaixo as respostas para as dúvidas mais comuns sobre inversores: Conhecendo inversores de frequência Como controlar a velocidade de um motor trifásico?Inversor de frequência: o que é e onde utilizar?5 vantagens de utilizar inversores de frequênciaQuando utilizar um inversor de frequência?Principais modelos de inversores para automaçãoAutomação de máquinas com Inversor de Frequência Como dimensionar corretamente um Inversor de Frequência? Onde comprar inversores? Comprar inversores de frequência direto de fábrica Instalando e configurando Dicas de Instalação – Inversores de FrequênciaAterramento do inversor de frequência: como fazer? Como ligar um motor trifásico em alimentação 220V? Por que utilizar Resistor de Frenagem com um Inversor de Frequência? Conhecendo os bornes de controle do inversor de frequência Ligando dois motores em um Inversor de Frequência Entendendo Inversores de Frequência – Rampas de AceleraçãoO que faz e como funciona a função multispeed no inversor de frequência? Resolvendo problemas O que fazer para evitar a queima do inversor de frequência? O inversor não chega na frequência desejada. E agora?Diagnóstico de erros nos Inversores de Frequência Ageon Quais suas dúvidas sobre inversores de frequência? A Ageon fabrica inversores de frequência há quase duas décadas e por isso adquirimos experiência nesse tipo de equipamento. Além disso, desenvolvemos inversores de frequência para diversos mercados, desde inversores versáteis para automação até inversores específicos para climatizadores evaporativos ou ainda para esteiras ergométricas. Essa experiência aliada ao investimento em tecnologia fez com que os inversores de frequência Ageon se tornassem presentes nas linhas de produção de grandes fabricantes, assim como em diversos distribuidores pelo Brasil. Agora queremos compreender melhor as principais dúvidas sobre inversores de frequência daqueles que mais têm contato com esses equipamentos: técnicos e instaladores. Nossa equipe quer ajudar esses profissionais a tirarem o máximo de proveito que a tecnologia dos inversores pode proporcionar. E é justamente por isso que perguntamos: o que você deseja saber sobre inversores de frequência?

Aterramento do inversor de frequência do climatizador

09/10/2019 - Climatizadores, Inversores de Frequência
Já falamos aqui no blog sobre o aterramento de inversores de frequência. Apesar de o aterramento ter como função principal a proteção contra choques elétricos, ele também protege a integridade dos equipamentos. Neste post vamos falar sobre como aterrar corretamente o inversor de frequência IRX Pro em climatizadores. Por que aterrar o inversor do climatizador? Em primeiro lugar pela segurança. Um dispositivo aterrado possui menos risco de choque elétrico, além de facilitar o funcionamento de dispositivos de proteção (como fusíveis e disjuntores) quando há aumento de corrente. Outra vantagem é a melhor dissipação da corrente vinda do motor. Como muitos climatizadores possuem estrutura metálica, o aterramento se torna ainda mais importante para a segurança dos usuários. Como realizar o aterramento do inversor IRX Pro no climatizador? A Ageon recomenda aterrar o inversor de frequência e o motor elétrico de forma separada. Dessa forma, evita-se que a corrente de fuga de um equipamento interfira no funcionamento do outro. Apesar desta recomendação, não é necessário que cada equipamento tenha um aterramento próprio. Basta que os equipamentos sejam interligados no barramento de terra do painel de distribuição. Nos inversores IRX Pro o aterramento é realizado através de um terminal Faston, da mesma forma que as demais ligações elétricas. De acordo com a figura abaixo podemos ver que tanto o cabo do aterramento do motor quando do inversor são ligados diretamente ao barramento de terra. O cabo de aterramento do motor não é ligado diretamente no inversor. Não é recomendado ligar o terra do inversor ao motor. Cada equipamento deve ter contato com o aterramento individualmente. Caso o terra do motor esteja ligado ao terra do inversor e não haja conexão com o aterramento do local, todo o ruído gerado pelo motor irá para o inversor, prejudicando seu funcionamento. Sobre os inversores de frequência IRX Pro Os inversores de frequência IRX Pro foram desenvolvidos especialmente para climatizadores evaporativos. Por isso, possuem funções específicas para esta aplicação, controle remoto e IHM de sobrepor que permitem controlar totalmente o climatizador. Permitem o acionamento de motores trifásicos de até 3CV, controle da bomba e secagem do painel. Recentemente os inversores IRX Pro ganharam novas funções, como a chave de programação e o modo automático, que permite controlar o ventilador e a bomba de acordo com a temperatura.

Comando remoto do IRX Pro: acione vários climatizadores de uma vez

07/08/2019 - Climatizadores, Inversores de Frequência
Os climatizadores evaporativos são indicados principalmente para regiões com clima mais seco e também para situações em que há a necessidade de manter portas ou janelas abertas. É o caso de galpões industriais e academias, por exemplo. Mas imagine um ambiente de grandes dimensões em que seja necessário mais de um climatizador. Será que é possível ligar todos os climatizadores ao mesmo tempo e de forma segura? A resposta é: com o comando remoto dos inversores IRX Pro isso é possível. E o melhor: é fácil. Como funciona o comando remoto dos inversores IRX Pro? Os inversores de frequência IRX Pro controlam todo o climatizador evaporativo, desde o ventilador e a bomba até os periféricos, como dreno e swing. No entanto, existem situações em que se torna necessário automatizar processos envolvendo os climatizadores. Pensando nisso a Ageon inseriu nos inversores IRX Pro uma entrada digital específica para acionar e desligar o equipamento: a ED2. Normalmente o climatizador já energizado fica com a mensagem de "rdy" em seu display, aguardando o usuário pressionar o botão de liga/desliga. Com o modo de acionamento remoto é semelhante, porém a forma de acionar que deixa de ser pelo botão de liga/desliga e passa a ser pela entrada digital ED2. Também é importante citar que, ao habilitar o acionamento através da ED2, a tecla ON/OFF da IHM é desativada. Dessa forma, o acionamento deve ser realizado apenas pela ED2. É possível configurar o funcionamento da entrada digital ED2 através do parâmetro P93. Este parâmetro pode ser ajustado em um dos seguintes valores: P93 = 0 - Entrada digital desabilitada.P93 = 1 - Entrada configurada como normalmente aberta (nA), ou seja, o climatizador é acionado quando o contato é fechado.P93 = 2 - Entrada configurada como normalmente fechada (nF), ou seja, o climatizador é acionado quando o contato é aberto. Se configurarmos o P93 = 1, quando fechar o contato entre o GND e o ED2 (conforme figura abaixo) o climatizador ligará. Quando esse contato abrir, o motor desligará e entrará em modo de espera com a mensagem “rdy” no display. Como acionar remotamente vários climatizadores? Acionar vários climatizadores ao mesmo tempo é bastante semelhante ao acionamento de um único climatizador. A figura abaixo ilustra essa ligação. Os dois inversores tiveram seus GND ligados em paralelo, uma técnica utilizada para colocar todos os inversores no mesmo potencial. Desta forma podemos utilizar uma chave com contato seco para todos eles. Entretanto existem outras formas. Nesta figura abaixo, por exemplo, foi utilizado um contator de comando ou contator auxiliar para acionar três inversores distintos e sem interligar seus GND. Independentemente do meio de acionamento, é importante se atentar à quantidade de climatizadores a serem ligados ao mesmo tempo. Um número muito elevado (um galpão com 50 máquinas de 3 CV, por exemplo) pode causar um afundamento na tensão da rede. Neste caso, existem meios para que essas máquinas tenham suas partidas retardadas umas das outras. No exemplo abaixo, foi utilizado relé com temporizador retardado na energização, muitos comuns em painéis elétricos industriais. A chave energiza o primeiro grupo e aciona o retardo do segundo que, após o tempo programado, acionará seu grupo e o retardo do próximo, até todos os grupos estarem em funcionamento. No caso do IRX Pro esse retardo pode ser programado através dos tempos de limpeza do painel e da secagem. Isso elimina a necessidade da utilização de relés retardados. Todos os esquemas elétricos tem caráter orientativo e são educacionais, para seu correto funcionamento em um projeto verídico, é necessário reformulá-los para o projeto em questão e possuir a aprovação de um profissional devidamente habilitado.

Como fixar o sensor de temperatura no resfriador de leite?

17/07/2019 - Controladores de Temperatura, Refrigeração
Você possui problemas de congelamento no tanque resfriador de leite? Ou seu termostato apresenta problemas com pouco tempo de uso? Talvez a solução para ambos os casos esteja na fixação do sensor de temperatura. No post abaixo você verá como a fixação incorreta do sensor pode interferir no funcionamento do tanque de leite e também como é a forma correta de fixar o sensor. Problemas da fixação incorreta do sensor de temperatura Em primeiro lugar é importante esclarecer o quanto a fixação incorreta do sensor pode ser prejudicial ao equipamento. Em muitos casos o sensor é instalado dentro do tanque e fica em contato direto com o leite. Apesar de muitos sensores serem resistentes à submersão, não é uma boa prática mantê-lo em contato direto com líquidos. São vários os motivos para esta recomendação, mas vamos focar em apenas um: a integridade do sensor. Durante a instalação o sensor de temperatura pode sofrer alguns danos. Acontece que um sensor de temperatura, mesmo que resistente à submersão, pode sofrer com a ação de umidade e oxidação caso esteja danificado de alguma forma. Por isso é extremamente recomendado não pressionar ou perfurar o sensor. Em alguns casos os danos não são visíveis, porém ainda assim prejudicam o sensor. O resultado disso é uma leitura incorreta de temperatura, que pode causar inclusive a perda de todo o leite presente no tanque. Outro tipo de instalação incorreta é a fixação do sensor diretamente na parede externa do tanque. Existem casos em que o sensor é colado à parede do tanque e são utilizados alguns recursos para que haja um isolamento térmico. Geralmente são utilizadas fitas ou isopor, por exemplo, diminuindo o contato do sensor com o ar. O problema desse tipo de situação é que a temperatura medida pelo sensor não corresponde à temperatura real do leite. Isso ocorre porque, por mais que haja uma tentativa de isolamento térmico, estes métodos não são eficientes. Dessa forma, o sensor costuma apresentar uma temperatura maior do que a temperatura do leite. Como resultado, são comuns problemas de congelamento do leite. Como fixar o sensor corretamente? Uma das possíveis soluções para evitar os problemas citados acima é a utilização de um poço termométrico. O poço termométrico permite a medição da temperatura de líquidos sem o contato direto com o sensor e de uma forma confiável. Os poços termométricos são fabricados em materiais metálicos, já que estes materiais são bons condutores térmicos. Assim, mesmo sem contato com o líquido, o sensor identifica uma temperatura muito mais próxima à temperatura real do leite. Como não há submersão, os problemas com umidade também são muito menos prováveis. A instalação de um poço termométrico é bastante simples. Basta furar a parede lateral do tanque e fixar as duas partes. A maioria dos poços termométricos possuem vedação de anéis de borracha para evitar o vazamento de líquidos. Após fixado, basta inserir o sensor no poço termométrico. A imagem abaixo demonstra como realizar esta instalação: Muito mais do que o sensor de temperatura Para que o tanque resfriador de leite funcione perfeitamente não basta se atentar apenas ao sensor de temperatura. É necessário também observar o funcionamento do agitador, por exemplo, ou ainda proteger o compressor em caso de variações de tensão. Por isso é tão importante selecionar um termostato de qualidade. E é nesse ponto que a Ageon pode ajudar. Os termostatos digitais da Ageon para resfriadores de leite fazem o acionamento automático do compressor para manter o leite sempre na temperatura correta. Além disso, também possuem uma saída para acionamento do agitador e monitor de tensão incorporado para proteção do equipamento. São dois formatos disponíveis: o modelo G104 Color, em formato retangular e com frontal resistente a jatos d'água, e o modelo H104 Color, com formato exclusivo que permite a instalação através de furo serra copo. O que achou deste post? Deixe seu comentário abaixo.

Reduzindo o tempo e o custo de suporte aos seus clientes com o ArcSys

19/06/2019 - Aquecimento Solar, Controladores de Temperatura, Dicas Ageon, Refrigeração
Se você trabalha com controladores de temperatura e presta suporte aos seus clientes, este post é para você. Independente do mercado que você trabalhe, seja aquecimento solar, refrigeração comercial ou câmaras frigoríficas, por exemplo, sempre é necessário prestar suporte aos clientes. Por mais que precauções sejam tomadas, imprevistos acontecem e muitas vezes é necessário se deslocar até o cliente para resolver possíveis problemas. No entanto, esse custo de suporte nem sempre é compensado. Além disso, o tempo e o deslocamento para resolver essas situações podem tornar o suporte ao cliente algo bastante caro. Diminua o tempo e o custo de suporte com o ArcSys Você sabia que um sistema de monitoramento de temperatura online pode ajudar a resolver estas situações? Imagine que um cliente entre em contato relatando um problema e que, em poucos minutos, você consiga resolver a situação diretamente pelo seu celular. Parece ótimo, certo? É justamente isso que vamos apresentar a seguir. Veja como as ferramentas disponíveis no ArcSys podem auxiliar na prestação de suporte remoto. Resolvendo problemas remotamente com o ArcSys Nos tópicos abaixo demonstramos solicitações comuns que podem ser resolvidas com o sistema de monitoramento ArcSys sem a necessidade de deslocamento. Veja as dúvidas que os clientes podem lhe encaminhar e o que você pode fazer diretamente pelo seu celular para resolver a situação. O compressor ou resistência não acionaGeladeira ou expositor com formação de geloIdentificação de manutenção preventivaAlerta de falhas O compressor ou resistência não aciona Caso o cliente relate que uma das saídas do controlador não está sendo acionada é preciso identificar a origem do problema. Geralmente isso pode ocorrer por três motivos: configuração incorreta, problema na ligação ou defeito na carga (compressor, resistência, entre outros). Ao acessar o ArcSys do cliente, você pode verificar a listagem de parâmetros do controlador em questão. É comum que a carga não seja acionada devido a um parâmetro de temporização, por exemplo. Se isso for identificado, altere os parâmetros diretamente pelo ArcSys e verifique se o problema for resolvido. Caso os parâmetros estejam corretamente configurados, você pode verificar se o controlador enviou o comando para acionar a carga. Isso é possível através da página de relatórios, que indica quais cargas foram acionadas em cada período de tempo. Se não houver nenhum acionamento registrado na coluna "Estado", revise os parâmetros. É possível que o Setpoint esteja mal configurado, por exemplo, ou que algum outro parâmetro esteja impedindo o acionamento. Caso a carga esteja acionada no relatório e o cliente relate que ela continua desligada, provavelmente há algum problema na instalação. Nesse caso será necessário se deslocar ao cliente para verificar a ligação elétrica e o estado da carga. Geladeira ou expositor com formação de gelo Se um cliente relatar a formação de gelo no equipamento, isso pode ser facilmente resolvido com o ArcSys. Na maioria dos casos esse problema ocorre quando as configurações de degelo estão configuradas de forma incorreta. Nesse caso, você pode acessar os parâmetros do controlador no ArcSys e alterar a duração e o intervalo de degelo. Dessa forma, o degelo pode acontecer em uma frequência maior ou ter uma duração maior. Assim é possível configurar o degelo de acordo com a necessidade do cliente sem que seja preciso se deslocar ao local nenhuma vez. Identificação de manutenção preventiva Outra vantagem de utilizar um sistema de monitoramento online é identificar a necessidade de manutenção preventiva. Acessando os relatórios gráficos do ArcSys é possível verificar o desempenho do equipamento durante um período de tempo específico. Na figura abaixo é possível observar uma anomalia na temperatura do refrigerador, e baseado nesse gráfico é possível entender que está havendo congelamento no evaporador, permitindo tomar a ação de alteração do tempo de degelo, ou manutenção da resistência em caso de degelo elétrico. Alerta de falhas Sem dúvidas, um dos principais recursos do ArcSys é o envio de alarmes caso a temperatura do equipamento saia de uma faixa programada. Em primeiro lugar esse sistema permite que seus clientes tomem uma ação paliativa para evitar a perda de mercadoria. No entanto esses alarmes também são úteis para o técnico ou instalador. Isso porque, caso também receba o e-mail de alerta, este profissional pode se adiantar para entrar em contato com o cliente e verificar se algum equipamento está apresentando defeito. Vale ressaltar que o sistema de alarme via e-mail é dependente de uma boa conexão de internet. Entretanto existe uma saída digital para acionamento de um sinaleiro ou sirene com intuito de avisar o cliente que está ocorrendo alguma anomalia. Que tal saber mais sobre como o ArcSys pode reduzir seu custo de suporte aos clientes? Deixe seu comentário abaixo.