Posts sobre Automação - Blog Ageon

5 dicas essenciais sobre termostatos digitais

24/02/2021 - Aquecimento, Aquecimento Solar, Automação, Charcutaria e Homebrewing, Chocadeiras, Refrigeração
Termostatos digitais estão presentes em uma infinidade de aplicações. De câmaras frigoríficas à fabricação de cerveja artesanal, passando por câmaras de conservação e vacinas e outras tantas situações, o controle de temperatura é essencial em diversos processos de produção e armazenamento. No entanto, alguns cuidados devem ser tomados para que o termostato digital funcione sempre com o máximo de eficiência. Por isso, listamos abaixo 5 dicas que consideramos essenciais para a utilização desses aparelhos. Conheça seu produto Ter conhecimento das características do seu termostato é fundamental. É importante saber quais funções o produto possui e principalmente como configurá-las. Ler o manual é a maneira mais simples de evitar transtornos causados por má configuração. Algumas das informações básicas que você precisa saber sobre seu termostato são a tensão de alimentação e a corrente máxima dos relés, por exemplo. Essas informações são determinantes para a escolha do termostato certo para a sua aplicação. Posição do sensor Grosso modo, o sensor é o componente que identifica a temperatura do ambiente e a envia ao termostato. Isso significa que, dependendo do local onde o sensor for fixado, pode haver divergências na medição e consequentemente no controle de temperatura. Posicionar o sensor próximo a resistências elétricas ou ventiladores, por exemplo, altera a leitura e interfere diretamente no funcionamento do termostato. Da mesma forma, é recomendado utilizar um poço termométrico para controlar a temperatura de líquidos sem sem que este entre em contato direto com o sensor. Identifique o melhor local para a fixação do sensor em seu produto. Peça auxílio a um técnico se necessário. Um sensor de temperatura bem posicionado resulta em mais eficiência e menor gasto de energia. Siga as recomendações As especificações técnicas dos termostatos digitais apresentam as condições adequadas de funcionamento desses produtos. Submeter o aparelho a situações fora dos limites de operação pode causar danos irreversíveis. Para evitar custos desnecessários com manutenção é importante respeitar suas especificações de utilização. Isso inclui uma rede elétrica estável, cuidados com o uso e limpeza do aparelho. Também é importante tomar todos os cuidados durante a instalação, realizando as conexões elétricas da maneira correta e seguindo as normas técnicas vigentes. Opções de escolha Com tantos modelos de termostatos digitais disponíveis no mercado, é comum ficar em dúvida sobre qual se adequa melhor à sua necessidade. Destre as opções de escolha disponíveis, é importante saber exatamente o que você precisa. Muitos modelos possuem funções extras além do controle de temperatura e podem fazer seu produto ainda mais eficiente, economizando dinheiro. Um exemplo disso são os termostatos digitais K116 Big Display, que além de controlar a temperatura ainda possui a função Modo Econômico que atua em conjunto com um sensor de porta.A Ageon possui uma linha completa de termostatos digitais, desde os modelos mais versáteis até quadros de comando para câmaras frigoríficas. Saiba das vantagens de cada modelo e identifique o que melhor se encaixa em sua utilização. A tecnologia a seu favor Em alguns casos o controle de temperatura deve ser rigoroso e com o máximo de precisão. Em câmaras de conservação de vacinas, por exemplo, a temperatura deve ser acompanhada e registrada periodicamente, garantindo que apenas produtos em boas condições sejam utilizados. Nessas situações os termostatos digitais são úteis porque, além das funções básicas de controle de temperatura, podem ser ligados à um sistema de monitoramento. A Ageon possui o ArcSys, sistema que permite o acompanhamento de seus termostatos em tempo real, envia alarmes por e-mail quando a temperatura sai da faixa programada e ainda gera relatórios em forma de gráficos ou tabelas. Esse sistema proporciona mais segurança e praticidade, facilitando o trabalho e poupando tempo.

O que é Monitor de Tensão e como Configurá-lo em Termostatos Digitais?

17/02/2021 - Automação
A Ageon possui controladores de temperatura desenvolvidos especialmente para resfriadores de leite: os modelos Linha Black A104 e Série H104 Color. Esses aparelhos possuem uma saída temporizada para acionamento do agitador e também uma outra característica: o monitor de tensão. Para que serve um monitor de tensão? A tensão da rede não é algo estável e diversos fatores podem ocasionar as chamadas flutuações da tensão da rede elétrica. Especialmente no Brasil existem regiões onde essa variação é grande o suficiente para danificar os aparelhos elétricos. Portanto, para evitar esse problema existem os monitores de tensão. Imagine um compressor que possui como especificações de tensão mínima de 210V e máxima de 230V. Contudo se a tensão da rede esteja fora dessa faixa devido a flutuações, é possível que o compressor trabalhe forçado e venha a sofrer danos que muitas vezes podem ser irreversíveis causando prejuizos ao produtor. Entretanto, caso um monitor de tensão seja configurado com as especificações do compressor, sempre que a tensão da rede estiver fora da faixa programada o compressor será desligado, protegendo o aparelho. A função de um monitor de tensão é justamente essa, proteger os aparelhos de flutuações na rede que possam prejudicá-los. Ele permite que sejam configurados valores mínimos e máximos nos quais os aparelhos funcionem de maneira segura e qualquer tensão fora desses valores resulta em desligamento por parte do monitor. Basicamente, o monitor de tensão serve para proteger os equipamentos de flutuações na rede elétrica. Essas flutuações são muito comuns, principalmente em áreas rurais, e podem danificar os compressores do sistema de refrigeração. Como configurar o monitor de tensão nos termostatos Ageon? Para evitar problemas com as flutuações na rede elétrica é importante configurar corretamente o monitor de tensão do termostato. São seis parâmetros ajustáveis: Seleção da tensão nominal O modelo H104 possui este parâmetro que permite selecionar a tensão nominal da rede em 110V ou 220V. Também é possível desativar o controle de tensão ajustando o valor deste parâmetro para "off". Tensão mínima permitida Se o monitor de tensão estiver ativado, é necessário definir a tensão mínima permitida. Quando a tensão permanecer abaixo do valor ajustado neste parâmetro por um tempo superior ao retardo, as saídas do termostato digital serão desativadas. Ao mesmo tempo o display exibirá "Lo", indicando a subtensão. Tensão máxima permitida Da mesma forma que o limite mínimo, também existe um limite máximo para a tensão da rede, definido neste parâmetro. Quando a tensão permanecer acima do valor ajustado neste parâmetro por um tempo superior ao retardo, o controlador irá desativar as saídas. Ao mesmo tempo o display exibirá "Hi", indicando sobretensão. Retardo do controle de tensão Este parâmetro permite ajustar o tempo em que a tensão deve ficar fora da faixa especificada antes da desativação das saídas a relé. O valor é definido em segundos. Portanto, caso seja definido o valor 0, os relés serão desativados imediatamente quando uma subtensão ou sobretensão for identificada. Agitador desligado em caso de erro de tensão Quando o termostato digital identifica que a tensão está fora da faixa especificada, a saída a relé de temperatura é desativada. Contudo se o funcionamento da saída do agitador é configurável nestas ocasiões. Caso este parâmetro seja ajustado para "Si" ou "YES", em caso de subtensão ou sobretensão o agitador também será desativado. Caso este parâmetro seja ajustado para "no", o agitador continuará funcionando de acordo com sua temporização. Calibração do controle de tensão Se um desvio na medição do controle de tensão for identificado, é possível corrigi-lo através deste parâmetro. O valor ajustado aqui será adicionado à tensão medida. *** Quer conhecer os controladores Ageon para resfriadores de leite? Deixe seu comentário, dúvida ou sugestão abaixo.

Inversores de Frequência: Qual a diferença de entradas NPN e PNP

28/01/2021 - Automação
Nos meios de comunicação do suporte técnico da Ageon chegam dúvidas como: "qual o tipo de entrada digital dos produtos Ageon?". Antes de qualquer contato, é preciso saber se a entrada digital é do tipo PNP ou NPN. Para responder essa dúvida de modo claro, reunimos abaixo informações sobre a diferença entre ambos tipos de entradas digitais e por fim o tipo de entrada que os produtos Ageon possuem. Como funcionam as entradas PNP?Como funcionam as entradas NPN?Níveis de tensãoComo usar a entrada NPN nos inversores Ageon? Como funcionam as entradas PNP? As entradas PNP possuem um valor de tensão de 0 V e para serem acionadas, recebem um valor positivo de tensão.  As entradas PNP -> O sinal de saída do sensor é positivo. Como funcionam as entradas NPN? As entradas NPN possuem um valor de tensão de alguns volts, como por exemplo, 5 V, 12 V, 24 V entre outros e quando são acionadas esse valor vai para 0 V, pois para que seu acionamento ocorra as mesmas são ligadas ao GND causando a queda de tensão. As entradas NPN -> O sinal de saída do sensor é negativo. Níveis de tensão Antes de qualquer coisa, vale se atentar aos níveis de tensão que variam de acordo com o fabricante do produto. Verifique pois existem tensões de 12V, 24V e 220V entre outros. Como usar a entrada NPN nos inversores Ageon? As entradas digitais dos inversores da Ageon são do tipo NPN, ou seja, caso o seu comando externo (CLP por exemplo) possua saída com sinal positivo, você precisará utilizar relés auxiliares para comandar as entradas do inversor. Sendo um relé para cada entrada digital. As saídas do CLP irão comandar as bobinas dos relés, enquanto o comum e o nA dos relés serão conectados nas entradas digitais que serão utilizadas no inversor. Lembrando que o pino 4 do inversor sempre será utilizado como referência de sinal, ou seja, conecte o pino 4 do inversor no comum do relé. Resumidamente, caso o seu sistema possua um sinal positivo de saída, não deve conectá-lo diretamente nas entradas digitais do inversor, pois isso poderá ocasionar danos irreversíveis, utilize relés auxiliares para corretamente acoplar o sinal. Preciso de ajuda do suporte Em primeiro lugar, verifique se você possui um produto Ageon. Se a resposta for sim, basta entrar em contato com nosso suporte técnico para receber o auxílio de nossa equipe. Ajudaremos a identificar e resolver o seu problema. A Ageon fabrica Controladores de Temperatura e Inversores de Frequência e neste ano completamos 20 anos de mercado. Depois de tanto tempo possuímos uma variada gama de produtos para diversas aplicações. Você quer conhecer produtos de qualidade, com tecnologia nacional e garantia direto de fábrica? Deixe seu comentário abaixo ou acesse nosso site clicando aqui.

Dúvidas frequentes sobre inversores de frequência

13/01/2021 - Automação
Depois de anos inseridos no mercado de inversores de frequência, o suporte técnico da Ageon identificou algumas dúvidas frequentes relacionadas a esses equipamentos. Dessa forma, reunimos abaixo alguns tópicos que irão ajudar a solucionar estes principais questionamentos sobre os inversores. Por que o motor trifásico perde torque em baixa rotação?Por que o motor esquenta em baixa rotação?Como configurar E05 - Sobrecarga?Por que o inversor não consegue partir o motor?Por que não devo utilizar o contator na saída do motor?Qual é o tipo de entradas digitais dos inversores de frequência da Ageon? Por que o motor trifásico perde torque em baixa rotação? Problema: É comum a utilização do inversor no sistema, pois permite a variação de velocidade. Contudo existem casos que acontece a diminuição excessiva da velocidade do motor, ocorrendo perda de torque e consequentemente o enfraquecimento do equipamento não atendendo a aplicação. Os motores possuem um torque relacionado ao V/F (tensão e frequência) onde ao diminuir a velocidade, acaba diminuindo o torque. No geral, velocidades abaixo de 50% da nominal, fazem com o que motor tenha uma perda muito significativa de torque, podendo ocasionar até travamento de eixo. Solução: Deve-se trabalhar no limiar de velocidade indicado pelo fabricante (no geral, 20% acima ou abaixo da nominal), caso necessário utilize motorredutores, a fim de manter uma velocidade alta no motor porém o sistema final terá uma rotação mais baixa. Dessa maneira, o sistema terá um bom rendimento, além de manter o motor refrigerado. Por que o motor esquenta em baixa rotação? Problema: No geral, os motores trifásicos de gaiola são auto refrigerados, pois possuem uma hélice na parte traseira, ou seja, com a própria rotação do eixo há uma circulação de ar no interior do motor, gerando uma refrigeração própria. Portanto, quanto menor a velocidade do motor, menor será sua auto refrigeração. Caso seja utilizado uma velocidade muito baixa durante um grande intervalo de tempo, o equipamento poderá ter problemas de superaquecimento, causando danos irreparáveis.Solução: Existem meios que previnem o superaquecimento, como o correto dimensionamento da carcaça ou a instalação de um sistema de ventilação externo. De modo geral, velocidades abaixo de 40% da rotação nominal causam superaquecimento, contudo, para ter uma especificação mais precisa e exata, deve-se entrar em contato com o fabricante do motor. Como configurar E05 - Sobrecarga? Problema: E05 - Sobrecarga na função corrente x tempo (P51). Causa: Os motores elétricos necessitam de proteções térmicas como relés de sobrecarga, fusíveis, entre outros, para evitar correntes muito altas no motor.Solução: O E05 ocorre quando a corrente no motor ultrapassa o valor que foi previamente programado no parâmetro P51 do inversor da Ageon, permitindo a proteção de sobrecaga. Cada motor possui um valor diferente de corrente nominal e fator de serviço. O parâmetro P51 deve ser configurado da seguinte maneira: Inom (corrente nominal do motor) x Fs (Fator de serviço).Apenas para esclarecimeneto, a IEC 60034-1 determina o fator de serviço como referente a reserva técnica de potência de um motor, ou seja, a capacidade de sobrecarga contínua sem dano ao mesmo. Quando necessário, pode-se utilizar essa reserva, porém deve-se atentar a diferença entre o fator de serviço e a capacidade de sobrecarga momentânea, que são variáveis diferentes.Para configurar o parâmetro P51, tomemos como exemplo um motor com as seguintes especificações:A programação correta do P51 faz com que o inversor faça a proteção térmica do motor através da corrente. Ou seja, impede o inversor entregar para o motor uma corrente maior que a nominal. Caso a corrente ultrapasse a nominal, o inversor irá acusar E05Não resolveu? Se mesmo após efetuar essa configuração no P51, o seu inversor continuar a apresentar E05, os seguintes cenários podem estar ocorrendo:A carga é muito alta para o motor - O E05 pode ocorrer caso o motor não suporte a carga que está sendo aplicada ao seu eixo. Nesse caso, a solução é aumentar a potência do motor, consequentemente a do inversor também.O motor está com defeito - Existem motores que, depois de um tempo, acabam tendo problema no seu rolamento e passam a consumir muita corrente, sendo necessária uma manutenção ou troca do mesmo. Por que o inversor não consegue partir o motor? Problema: Rampas muito curtas fazem com que a corrente seja elevada, atuando nas proteções do inversor. E as rampas extensas também atuam na proteção devido a corrente ficar elevada durante um longo período de tempo.Solução: Durante o comissionamento e start-up do sistema, o técnico responsável deve testar quais valores de rampa funcionam adequadamente baseando-se no seu sistema, motor e característica da carga, como por exemplo a inércia. Por que não devo utilizar o contator na saída do motor? Problema: É comum vermos o uso do contator na saída do inversor de frequência, que é algo incorreto.Causa: O inversor de frequência já possui os meios necessários para acionamento e desacionamento do motor, tornando desnecessário a utilização de alguma chave seccionadora, contator ou relé de sobrecarga. O que pode ser colocado como proteção, são fusíveis do tipo gR e gS os quais são indicados para proteção de componentes eletrônicos ou disjuntor motor. Qual é o tipo de entradas digitais dos inversores de frequência da Ageon? As entradas digitais dos inversores da Ageon são do tipo NPN, ou seja, caso o seu comando externo (CLP por exemplo) possua saída com sinal positivo, você precisará utilizar relés auxiliares para comandar as entradas do inversor. Sendo um relé para cada entrada digital.As saídas do CLP irão comandar as bobinas dos relés, enquanto o comum e o nA dos relés serão conectados nas entradas digitais que serão utilizadas no inversor. Lembrando que o pino 4 do inversor sempre será utilizado como referência de sinal, ou seja, conecte o pino 4 do inversor no comum do relé.Resumidamente, caso o seu sistema possua um sinal positivo de saída, não deve conectá-lo diretamente nas entradas digitais do inversor, pois isso poderá ocasionar danos irreversíveis, utilize relés auxiliares para corretamente acoplar o sinal. Possuo outras dúvidas sobre os inversores de frequência. E agora? Em primeiro lugar, verifique se você possui um inversor de frequência Ageon. Se a resposta for sim, basta entrar em contato com nosso suporte técnico para receber o auxílio de nossa equipe. Ajudaremos a identificar e resolver o seu problema. Caso seu inversor não seja Ageon, esta é a hora de nos conhecer. Trabalhamos com linhas de inversores distintas, cada uma com suas características: a Série XF possui IHM incorporada e design compacto; a Série YF possui IHM destacável e modelos com potenciômetro incorporado; a Linha IRX Pro possui duas opções de IHM (sobrepor ou embutir) é indicada para climatizadores evaporativos; a Linha IEX70 é destinada exclusivamente às esteiras ergométricas profissionais. Entre em contato conosco e saiba mais sobre nossos inversores de frequência

O que é um controlador de temperatura duplo estágio?

18/11/2020 - Aquecimento, Automação, Charcutaria e Homebrewing, Refrigeração
Existem muitas aplicações em que um controlador de temperatura comum é insuficiente para manter a temperatura em uma faixa desejável. Por isso existem no mercado controladores com recursos extras e funções mais inteligentes. Esse é o caso dos controladores duplo estágio, por exemplo. Se você não conhece esse tipo de controlador, saiba que em muitos casos ele pode fazer o papel de dois controladores ao mesmo tempo. O que é um controlador Duplo Estágio? Em resumo, os controladores duplo estágio permitem o controle de dois pontos na escala de temperatura. Em outras palavras, é possível configurar dois setpoints e acionar duas cargas distintas e independentes utilizando o mesmo aparelho. Para entender o funcionamento de um termostato duplo estágio é importante primeiramente entender o funcionamento de um termostato comum. A maioria dos controladores de temperatura digitais aciona ou desliga um relé de acordo com uma temperatura predeterminada (setpoint). Em sistemas de refrigeração o controlador aciona o relé quando a temperatura está acima do setpoint, enquanto em sistemas de aquecimento o controlador aciona o relé quando a temperatura está abaixo do setpoint. Os controladores duplo estágio (ou de dois estágios, como também são conhecidos) funcionam de forma diferente. Eles possuem duas saídas a relé e cada uma delas possui suas configurações independentes de setpoint e função (aquecimento ou refrigeração). Na prática, isso significa que um controlador duplo estágio pode ser configurado para acionar um sistema de refrigeração quando a temperatura estiver muito alta e um sistema de aquecimento quando a temperatura estiver muito baixa, por exemplo. Um controlador que vale por dois Os controladores de temperatura duplo estágio são indicados para uma série de situações. Listamos abaixo alguns exemplos em que um só controlador como este pode substituir dois controladores comuns: Um aquário em que a água deve permanecer sempre entre 25°C e 30°C, acionando as ventoinhas ou o aquecedor dependendo da variação de temperatura do ambiente;Um CPD (centro de processamento de dados) que utiliza um aparelho de ar condicionado manter seus servidores sempre abaixo de 21°C, mas que em dias mais quentes precisa acionar um segundo aparelho de ar condicionado para evitar superaquecimento;Um cervejeiro caseiro que precisa realizar a fermentação sempre próxima a 18°C, acionando a geladeira quando a temperatura subir e uma lâmpada incandescente quando a temperatura descer. Linha Black A103: o controlador 6 em 1 da Ageon Se você acha que um controlador duplo estágio é interessante porque pode valer por dois controladores, saiba que é ainda melhor. A Ageon possui o controlador Linha Black A103 que traz muitos outros recursos além dos dois estágios no controle de temperatura. Na verdade, os controladores A103 pode ser utilizado de até 6 formas diferentes e possui funções tanto de refrigeração quanto de aquecimento. Ou seja, é um controlador de temperatura extremamente versátil e que possui um potencial enorme de aplicações. Que tal entrar em contato conosco e saber mais detalhes sobre esse aparelho?

Ageon Indica: Programa de indicação para distribuidores Ageon

04/11/2020 - Aquecimento, Aquecimento Solar, Automação, Charcutaria e Homebrewing, Chocadeiras, Climatizadores, Fitness, Refrigeração
Se você revende inversores de frequência ou controladores de temperatura e deseja aumentar sua demanda, este post é para você. A Ageon está buscando distribuidores e uma forma de fortalecer estas novas parcerias é justamente facilitando as vendas dos nossos produtos em cada distribuidor. Por isso criamos o programa Ageon Indica. O que é o programa Ageon Indica?Como funciona a indicação de clientes?Como me cadastrar no programa Ageon Indica?Quais as outras vantagens de ser um distribuidor Ageon? O que é o programa Ageon Indica? Em resumo, o Ageon Indica é um programa de indicação para distribuidores Ageon. Em outras palavras, encaminhamos para nossos parceiros de confiança todos os clientes que entram em contato conosco e não se enquadram em nossa política comercial. Dessa forma, nossos distribuidores recebem o contato pronto para compra, facilitando a venda dos produtos e permitindo a fidelização de um novo cliente. Como funciona a indicação de clientes? Nossa equipe comercial qualifica todos os contatos que demonstram interesse em comprar nossos produtos. Algumas informações são confirmadas, como a demanda mensal e a existência de CNPJ, por exemplo. Caso o contato não esteja de acordo com nossas exigências, nossa equipe coletará seus dados de contato e indicará os distribuidores que possuam lojas físicas mais próximas ou lojas online que atendam na região informada. Assim, cada distribuidor pode entrar em contato com o potencial cliente, já conhecendo sua necessidade. Isso facilita a abordagem e torna a venda muito mais rápida, gerando lucro para o distribuidor e aumentando a demanda de produtos Ageon. Por isso o programa Ageon Indica traz benefícios não só para a Ageon, mas também para todos os distribuidores participantes. Como me cadastrar no programa Ageon Indica? O processo para se cadastrar no programa de indicação da Ageon é tão fácil que nem precisaria de um parágrafo. Basta adquirir produtos Ageon por um cadastro de distribuição. Simples assim. A partir do envio do primeiro pedido sua empresa já estará cadastrada e poderá receber indicações de clientes. Quais as outras vantagens de ser um distribuidor Ageon? Além de ser um participante do programa Ageon Indica, todos os distribuidores Ageon possuem uma série de outras vantagens. Em primeiro lugar, todos os nossos distribuidores estão disponíveis em nosso site, sejam eles lojas online ou lojas físicas. Assim, se um usuário deseja adquirir um controlador de temperatura A102, por exemplo, ele verá as lojas que o comercializam diretamente na página do produto. O cliente poderá entrar em contato direto com a loja ou ver sua localização no mapa para visitá-la. Além da divulgação que a Ageon faz dos seus distribuidores, ainda oferecemos um canal aberto de comunicação direta conosco. Dessa forma, nos mantemos sempre próximos dos nossos clientes, estabelecendo uma relação de parceria que tem como objetivo o crescimento mútuo. É por isso que oferecemos suporte técnico direto de fábrica, com uma equipe sempre à disposição para tirar dúvidas e realizar treinamentos. Tudo isso sem falar dos produtos de qualidade desenvolvidos pela Ageon. São diversos modelos de inversores de frequência e controladores de temperatura fabricados no Brasil com o que há de mais moderno em tecnologia nacional e dois anos de garantia. Você está esperando o quê para ser nosso distribuidor? Entre em contato conosco e conheça todos os benefícios de ser nosso parceiro.

Quando utilizar um Controlador de Temperatura com Duplo Estágio?

30/09/2020 - Aquecimento, Automação, Charcutaria e Homebrewing, Refrigeração
Você conhece os controladores de duplo estágio? Esses aparelhos já foram tema de posts aqui no blog, onde explicamos o que são e qual o seu funcionamento. Em resumo, controladores com duplo estágio permitem o acionamento de duas cargas independentes, em diferentes pontos da escala de temperatura. A compreensão destes aparelhos fica mais fácil com o exemplo abaixo: Um fabricante de cerveja artesanal precisa manter o mosto a uma temperatura de 18°C durante a fermentação. No entanto, este fabricante mora em uma região onde a temperatura varia entre 12°C e 25°C em um único dia. Isso significa que em alguns momentos do dia é preciso aquecer o mosto, enquanto em outros momentos é preciso resfriá-lo. Por esse motivo o fabricante irá utilizar uma geladeira onde o mosto será armazenado para a fermentação. Dentro desta geladeira haverá também uma lâmpada. Assim, o compressor da geladeira fará o resfriamento do mosto, e a lâmpada será responsável pelo aquecimento. Para controlar a geladeira e a lâmpada do exemplo acima, são necessários controladores de temperatura. Existem diversos modelos no mercado, com diferentes configurações. As soluções mais comuns são as seguintes: 1 - Utilizar um controlador com saída NA/NF É comum que, visando o baixo custo a curto prazo, muitas pessoas optem por realizar este tipo de controle utilizando um controlador com saída NA/NF. Estes controladores possuem uma única saída que pode assumir dois estados: normalmente aberto (NA) ou normalmente fechado (NF). Uma saída é ligada à geladeira, para resfriamento do mosto, e a outra é ligada à lâmpada, para o aquecimento. Uma destas duas saídas sempre estará acionada. Isso gera três problemas principais: Em primeiro lugar, a temperatura nunca irá se estabilizar, pois quando a geladeira desliga, a lâmpada é acionada imediatamente.O segundo problema é o consumo excessivo de energia elétrica, já que sempre haverá um equipamento ligado.O terceiro problema, decorrente dos dois anteriores, é o desgaste excessivo do equipamento. Sua consequência é a redução da vida útil, tanto da geladeira quanto da lâmpada. 2 - Utilizar dois controladores simples É possível utilizar também dois controladores simples para fazer o controle da temperatura no exemplo acima. Um dos controladores seria ligado à geladeira, acionando o compressor quando a temperatura do mosto estiver acima dos 18,3°C, por exemplo. O outro controlador seria ligado à lâmpada, que seria acionada quando a temperatura estiver abaixo dos 17,7°C, por exemplo. Como são dois controladores independentes, a estabilidade da temperatura não seria prejudicada, já que os equipamentos só seriam acionados quando necessário. O consumo de energia também não seria tão elevando quanto no caso anterior, já que haveria momentos em que tanto a geladeira quanto a lâmpada estariam desligadas. O problema desta solução é um custo inicial alto, já que é preciso adquirir dois controladores de temperatura. 3 - Utilizar um Controlador de Temperatura com Duplo Estágio A solução ideal para casos como o exemplo acima é a utilização de controladores com duplo estágio. Estes aparelhos (como o modelo Linha Black A103 da Ageon) possuem um sensor e duas saídas independentes. Cada uma das saídas pode possuir diferentes configurações de SetPoint (temperatura de controle) e pode funcionar nos modos de aquecimento ou refrigeração. No exemplo, um controlador duplo estágio teria uma saída ligada à geladeira, configurada para refrigeração. A outra saída seria ligada à lâmpada, configurada para aquecimento. Dessa forma, o controlador manteria a temperatura ideal, acionando os equipamentos apenas quando necessário, porém com um custo menor do que a aquisição de dois controladores simples. Além de controlar a temperatura de forma eficaz, um controlador duplo estágio possui ótimo custo-benefício para a aplicação, já que também evita o desgaste excessivo dos equipamentos. Sobre o controlador duplo estágio Linha Black A103 Se você procura um controlador de temperatura versátil, o modelo Linha Black A103 é a solução ideal. Pode ser utilizado tanto como como um controlador duplo estágio como controlador duplo, ou seja, o funcionamento de dois controladores em um só aparelho. Acesse o site da Ageon e conheça todos os recursos deste controlador.

Configurando um controlador de temperatura: Parâmetros Básicos

06/08/2020 - Aquecimento, Aquecimento Solar, Automação, Charcutaria e Homebrewing, Chocadeiras, Refrigeração
Quando falamos de controladores de temperatura alguns parâmetros são comuns a diversos modelos. Setpoint, histerese e calibração, por exemplo, são termos utilizados com frequência para nos referirmos a alguns dos principais ajustes a serem realizados no controlador antes de sua utilização. Neste post vamos apresentar os parâmetros básicos para a configuração de um controlador de temperatura e como configurá-los nos controladores Ageon. Setpoint - Temperatura de controleHisterese ou DiferencialRetardo na energizaçãoRetardo após acionamento ou desacionamento do reléCalibração do sensor de temperatura Setpoint - Temperatura de controle O setpoint é o mais básico de todos os parâmetros dos controladores de temperatura. Este parâmetro deve ser configurado com a temperatura na qual o sistema deve se manter ou, em outras palavras, a temperatura na qual o sistema de aquecimento ou refrigeração deve ser desligado. Se você possui uma câmara refrigerada e deseja que ela permaneça a 5°C, por exemplo, o setpont deve ser ajustado para 5°C. Na maioria dos controladores de temperatura Ageon o setpoint ajustado pode ser visualizado pressionando a tecla SET. Ainda com a tecla pressionada também é possível ajustar seu valor, utilizando as teclas Cima e Baixo para atingir o valor desejado. Histerese ou Diferencial Da mesma forma que o setpoint determina a temperatura na qual o sistema de aquecimento ou refrigeração é desativado, a histerese determina a temperatura na qual o sistema será ligado novamente. No entanto, a histerese é ajustada com um valor de temperatura absoluto, mas sim uma diferença em relação ao valor definido no setpoint. Voltando ao exemplo da câmara refrigerada em que definimos o setpoint em 5°C. Dessa forma, o compressor ficará acionado até que a temperatura atinja 5°C e então será desligado. Naturalmente, com o passar do tempo a temperatura tende a subir e em algum momento o compressor deve ser acionado novamente para que a temperatura volte à faixa desejada. Assim, caso desejarmos que a temperatura não ultrapasse 7°C, devemos ajustar a histerese para 2°C. Como se trata de uma diferença em relação ao setpoint, o compressor será desligado quando atingir o setpoint (5°C) e será ligado novamente quando atingir a histerese (7°C = 5°C + 2°C). Em grande parte dos controladores de temperatura Ageon a histerese pode ser ajustada no parâmetro r0 e permite valores de até 20°C. Se você deseja saber mais sobre este parâmetro, temos um post que fala exatamente sobre o que é a histerese em um controlador de temperatura. Vale ressaltar que os controladores com final PID (A103 PID, K103 PID, G103 PID) não possuem ajuste de histerese pois esses controladores estimulam a ação de controle ao menor desvio.  Retardo na energização Considere o momento em que a energia elétrica é reestabelecida após uma queda. Neste momento, vários equipamentos elétricos são ligados ao mesmo tempo, gerando um pico de corrente que pode danificar vários aparelhos. Para evitar o acionamento simultâneo dos equipamentos e prevenir os equipamentos dos picos de corrente os controladores de temperatura possuem um parâmetro de retardo. Este parâmetro permite configurar um tempo entre o acionamento do controlador e o acionamento da carga. Ou seja, se definirmos o retardo na energização em 1 minuto, a carga só será acionada 1 minuto depois que o controlador for energizado. Nos controladores Ageon o parâmetro r9 permite ajustar o retardo na energização do aparelho em até 20 minutos. Retardo após acionamento ou desacionamento do relé De modo geral os controladores de temperatura costumam acionar cargas através de relés. Esses dispositivos funcionam como interruptores eletromecânicos, que podem ser ligados ou desligados. No entanto, sua vida útil está diretamente relacionada à quantidade de acionamentos ou desacionamentos efetuados. Quanto maior a frequência de acionamentos e desacionamentos de um relé, menor será sua vida útil. Da mesma forma, as cargas acionadas pelo relé também podem ser prejudicadas caso essa frequência de acionamentos seja muito elevada. Por isso os controladores de temperatura possuem parâmetros de retardo após o acionamento e após o desacionamento do relé. Estes parâmetros funcionam da seguinte forma: Retardo após o acionamento do relé - O tempo mínimo em que o relé ficará ligado a cada acionamento, independente da temperatura. No exemplo da câmara refrigerada, caso definirmos esse parâmetro como 2 minutos, sempre que o compressor for acionado ele ficará acionado por pelo menos 2 minutos. Após esse tempo, caso o setpoint for atingido o compressor desliga. Caso contrário o compressor ficará acionado até que o setpoint seja atingido. Retardo após desacionamento do relé - Da mesma forma que o parâmetro anterior, este parâmetro determina o tempo mínimo que o relé ficará desligado a cada desacionamento. Voltando ao exemplo da câmara resfriada, caso definirmos este parâmetro como 1 minuto, sempre que o setpoint for atingido o relé ficará desligado por 1 minuto. Após esse tempo, se a temperatura for maior que a histerese o relé é acionado novamente. Caso contrário, permanecerá desligado até que a temperatura ultrapasse o valor da histerese. Em determinados modelos de controladores Ageon o retardo após o acionamento do relé pode ser ajustado no parâmetro C1, enquanto o retardo após o desacionamento do relé pode ser ajustado no parâmetro C2. Ambos os parâmetros permitem um retardo de até 20 minutos. Calibração do sensor de temperatura A temperatura exibida pelo display do controlador de temperatura está diferente da temperatura medida por um termômetro aferido? Todo instrumento de medição, independente da grandeza a ser medida, está sujeito a variações. Assim, se for verificado que o termostato apresenta uma diferença constante na temperatura, é possível ajustá-lo para corrigir esta diferença através do parâmetro de calibração do sensor. Ele permite a compensação em 15°C para mais ou para menos, anulando a discrepância entre os valores apresentados. Supondo que um controlador de temperatura está apresentando 12°C enquanto um termômetro aferido apresenta 10°C na mesma situação, é possível configurar o parâmetro de calibração do sensor em -2°C para que ambos os aparelhos exibam a mesma temperatura. A calibração do sensor pode ser realizada no parâmetro r9 da maioria dos controladores de temperatura Ageon. Se você deseja saber mais sobre a calibração do sensor, temos um post que explica como calibrar o sensor de temperatura do controlador. Recomendamos que a instalação e configuração dos controladores de temperatura seja realizada por um profissional qualificado. Em caso de dúvidas, o suporte técnico Ageon está disponível através do telefone (48) 3028-8878.

Dica Ageon: Utilizando um contator em Controladores de Temperatura

29/07/2020 - Aquecimento, Aquecimento Solar, Automação, Charcutaria e Homebrewing, Refrigeração
Você possui um controlador de temperatura e precisa acionar uma carga que consome mais corrente do que o especificado em seu produto? Se você não sabe o que fazer em casos como este, a solução pode ser um contator (ou contatora, como também é conhecido). Neste post você vai ver: O que é um contator? Quando utilizar um contator junto ao controlador de temperatura? Como ligar um contator ao controlador de temperatura? O que é um contator? Contatores (ou contatoras) são dispositivos eletromecânicos utilizados para controle de cargas. Estes dispositivos permitem acionar uma carga com uma corrente maior do que a especificada no controlador. Quando utilizar um contator junto ao controlador de temperatura? A maioria dos controladores de temperatura atuais utilizam relés para acionamento de cargas. Um relé é basicamente um interruptor eletromecânico que pode ficar aberto ou fechado, de acordo com a lógica de funcionamento do controlador. A posição do relé (aberto ou fechado) determina se a carga estará acionada ou desacionada. As saídas a relé possuem um limite de corrente máxima. Cada modelo de controlador de temperatura possui relés com limites diferentes. Entre as opções mais comuns no mercado estão os controladores com saídas de 10A e 17A. No entanto, quando o controlador possui mais de uma saída a relé, existe ainda a corrente máxima comum, ou seja, o valor máximo que a soma das correntes de ambos os relés não deve ultrapassar. A corrente máxima das saídas a relé determina uma potência máxima da carga a ser acionada. No post "Dica Ageon: Corrente Máxima da Saída a Relé" esclarecemos como calcular a potência máxima que a saída a relé suporta. Caso a potência da carga a ser acionada exija uma corrente acima do limite suportado pelo relé, a carga não poderá ser ligada diretamente ao controlador. Isso danificaria o aparelho, podendo causar danos irreversíveis. Nesses casos é recomendado a utilização de contatores. O contator é instalado entre o relé e a carga, permitindo um acionamento indireto. Ou seja, a saída a relé aciona o contator e este, por sua vez, aciona a carga. Como ligar um contator ao controlador de temperatura? O procedimento para ligar os contatores ao controlador de temperatura é basicamente o mesmo, variando pouco de acordo com a marca utilizada. A imagem abaixo representa a ligação do contator a um controlador genérico, ou seja, não se trata de nenhum modelo específico de controlador de temperatura. Como é possível visualizar na imagem, não há nenhuma ligação direta entre o controlador de temperatura e a carga. Quando a saída a relé do controlador fecha, o contator é energizado. Neste momento o contator permite a passagem de corrente entre ponto 1L1 e 2T1. O mesmo ocorre entre o ponto 3L2 e 4T2 (quando utilizado em redes bifásicas). Dessa forma a carga é energizada de forma indireta quando o relé do controlador é acionado. Para especificação e dimensionamento correto do contator a ser utilizado, contate um técnico qualificado. A Ageon recomenda que a ligação elétrica dos seus produtos seja realizada por um profissional qualificado. Verifique as especificações e a forma correta de realizar a ligação elétrica do controlador de temperatura consultando o manual técnico. Em caso de dúvidas, entre em contato com nosso suporte técnico pelo telefone (48) 3028-8878.

Como calibrar o sensor do controlador de temperatura

10/06/2020 - Aquecimento, Aquecimento Solar, Automação, Charcutaria e Homebrewing, Chocadeiras, Refrigeração
O que fazer quando o controlador de temperatura não apresenta a temperatura correta? A resposta é: calibrar o sensor do controlador. Neste post você verá porque essa divergência acontece e como resolver este problema. Por que a temperatura está diferente? Em primeiro lugar precisamos entender o motivo do problema. Para ilustrar a situação, imagine o seguinte cenário: Você possui uma geladeira que deve ser mantida a 5°C e utiliza um termostato para realizar o controle da temperatura. Para verificar se o sistema está funcionando bem, você utiliza um termômetro aferido e percebe que na verdade a temperatura está estabilizada em 4,5°C. Apesar de parecer um grande problema, na verdade essa situação é bastante comum. Existem diversas causas possíveis para haver esta diferença entre a temperatura mensurada por equipamentos diferentes. Uma das causas mais comuns é a utilização de sensores com cabos muito longos, por exemplo, cuja resistência do próprio cabo interfere na medição. Outras causas possíveis são o sensor danificado e também emendas mal realizadas. Por isso é importante se atentar às boas práticas ao realizar a emenda de um sensor de temperatura. Como calibrar o sensor do termostato? Agora que você já sabe as causas pelas quais ocorre a diferença de medição de temperatura, é hora de resolver este problema e calibrar o sensor de temperatura. Em resumo, a calibração do sensor permite adicionar ou subtrair um valor à temperatura medida de forma a anular a diferença identificada. Vamos voltar ao exemplo da geladeira anterior: Caso a temperatura medida pelo controlador seja de -5°C e o termômetro apresente a temperatura de -4,5°C, a diferença é de 0,5°C. Ou seja, é necessário adicionar 0,5°C à temperatura medida pelo controlador para chegar ao valor correto. Nos controladores da Ageon o procedimento indicado para calibrar o sensor envolve apenas três passos: Identifique a referência Selecione um instrumento de medição aferido para usar como referência de temperatura. Posicione o mesmo no local em que a temperatura deve ser medida, no mesmo local onde o sensor do controlador é fixado. É importante ressaltar que a posição do sensor não deve ficar próxima de fontes de calor ou outros dispositivos que interfiram no controle de temperatura, como é o caso de resistência elétricas ou ventiladores, por exemplo. Faça a comparação Após as temperaturas do termômetro e do controlador se estabilizarem, efetue a comparação entre as duas. No exemplo citado anteriormente o controlador está exibindo 5°C enquanto o termômetro marca 4,5°C. Calibre o sensor Verifique a diferença entre as temperaturas medidas. No exemplo a temperatura do controlador está 0,5°C acima da referência utilizada. O valor do parâmetro de calibração é somado à leitura do sensor. Assim, para calibrar o aparelho basta configurar o parâmetro de calibração para -0,5°C. Nos controladores de temperatura Ageon o parâmetro de calibração é o "r4" e permite a variação de até 20°C para mais ou para menos. Realizando o procedimento descrito anteriormente seu controlador de temperatura irá aprensentar a temperatura correta no display. Recomendamos realizar a calibração do sensor de temperatura sempre que houver alguma alteração no sensor, como a substituição, alteração de posicionamento ou emenda dos cabos, por exemplo.