Posts com a tag "Resolução de Problemas"

Como proteger tanques resfriadores de leite de flutuações de tensão

01/04/2020 - Como Configurar, Controladores de Temperatura, Refrigeração, Vídeos
Se você trabalha com tanques resfriadores de leite possivelmente já teve problemas com oscilação de tensão. Geralmente esses equipamentos são instalados em áreas rurais onde a rede elétrica nem sempre é estável, ou seja, é suscetível a flutuações de tensão. Por que as flutuações de tensão são um problema? O principal problema das flutuações de tensão na rede elétrica é a integridade física dos equipamentos. Os resfriadores de leite, por exemplo, costumam possuir um compressor para realizar o controle térmico e um agitador para manter o leite em uma temperatura homogênea. Ambos os equipamentos possuem limites de tensões minímas e máximas. Em muitos casos a subtensão (tensão abaixo do valor permitido) e a sobretensão (tensão acima do valor permitido) fazem com que ao menos um destes equipamentos possa ser permanentemente danificado, causando prejuízos ao produtor. Como se não bastasse o prejuízo causado pela queima do compressor ou do agitador, existe ainda outro problema para os produtores: a perda do leite. O leite pode congelar caso o agitador pare de funcionar ou pode chegar a temperaturas muito altas caso o compressor não atue. Além disso, como o leite só pode ser armazenado por determinado tempo, o período em que o tanque resfriador ficar fora de serviço para manutenção pode significar mais prejuízos para o produtor, dependendo de sua estrutura. Como evitar a queima dos resfriadores de leite por problemas de tensão? Uma das maneiras mais práticas para proteger o resfriador de leite das flutuações de tensão é utilizar um controlador de temperatura com monitor de tensão incorporado. Isso é muito mais prático e simples do que adquirir um monitor de tensão externo, montar um painel e instalá-lo. Além de acionar o compressor para manter o resfriamento do leite e acionar o agitador para manter a temperatura homogênea, controladores com monitor de tensão incorporado possuem uma proteção extra. Com eles é possível desativar automaticamente as saídas do compressor e do agitador de acordo com limites de tensão configurados. Dessa forma o controlador monitora a tensão da rede e, caso a tensão se reduza ou se eleve demais, as saídas são desativadas para evitar maiores danos. O controlador H104 da Ageon é o modelo mais recomendado para tanques resfriadores de leite. Este modelo é resistente à oscilações de tensão, já que sua alimentação vai de 85 V a 300 V. Também possui duas saídas a relé. Enquanto a primeira saída controla o sistema de refrigeração, a segunda saída possui funcionamento temporizado para o agitador do leite. No vídeo abaixo é possível visualizar como o controlador H104 funciona a proteção do equipamento quando ocorre subtensão ou sobretensão na rede. Deseja saber mais sobre o controlador de temperatura H104 da Ageon? Acesse nosso site e conheça todos os detalhes do controlador ideal para seus resfriadores de leite.

LIBERADO: Monitoramento de Temperatura remoto grátis na quarentena

25/03/2020 - Ageon, Como Configurar, Controladores de Temperatura, Refrigeração
Ciente de todos os transtornos causados pela crescente disseminação do Coronavírus no Brasil e também ciente da preocupação dos clientes em manter suas mercadorias viáveis, a Ageon resolveu liberar gratuitamente todos os recursos do plano Premium do sistema de monitoramento ArcSys Cloud. Dessa forma você poderá cumprir a quarentena na segurança do seu lar sem abandonar o controle de qualidade das suas mercadorias. Durante o período de quarentena, em que a circulação de pessoas deve ser reduzida apenas ao essencial, todos os técnicos, instaladores e proprietários de estabelecimentos que possuírem o dispositivo ArcSys instalado poderão utilizar a nossa plataforma na nuvem de forma gratuita para realizar o monitoramento remoto dos seus equipamentos. Além de visualizar a temperatura dos equipamentos, será possível alterar parâmetros, identificar o funcionamentos das saídas e auxiliar na resolução de problemas sem a necessidade de deslocamento até o local da instalação. Nossa intenção é facilitar o trabalho remoto de técnicos e instaladores, evitando o máximo possível a exposição aos riscos. Ao mesmo tempo, queremos tranquilizar proprietários e gerentes de estabelecimentos que necessitam do controle de temperatura em pleno funcionamento para evitar prejuízos com mercadorias. Para ativar o monitoramento de temperatura remoto gratuitamente, siga os passos presentes na página de ajuda do ArcSys Cloud. A Ageon reforça sua preocupação com a saúde e com o bem-estar dos profissionais da área e com a população em geral. Esperamos que esta situação se resolva o mais breve possível e nos mantemos à disposição através dos seguintes canais de contato: Aplicação e Suporte Técnico (48) 99996-0430Departamento Comercial (48) 99925-0250 (48) 99981-4927 (48) 99138-8571 (48) 99996-0390

Como instalar o controlador de temperatura A103 PID em Chocadeiras?

26/02/2020 - Chocadeiras, Controladores de Temperatura, Vídeos
Você possui um controlador de temperatura A103 PID e deseja ver como instalar o aparelho em sua chocadeira? Neste post vamos demonstrar o como é fácil conectar o controlador à resistência, ao motor de viragem e aos sensores de temperatura. O que é o controlador de temperatura A103 PID? O modelo A103 PID é um controlador de temperatura desenvolvido pela Ageon especialmente para chocadeiras e incubadoras. Para que as chocadeiras apresentem uma boa taxa de eclosão é necessário que haja precisão e estabilidade térmica. É por isso que o controlador A103 PID possui uma saída TRIAC para controle PID da resistência elétrica. O controle PID permite que a temperatura se mantenha muito mais estável em comparação aos tradicionais controladores de temperatura on-off. Os controladores A103 PID também possuem uma saída com funções de temporização. Esta saída pode ser utilizada para acionar um motor e realizar a viragem dos ovos automaticamente em ciclos de tempo predeterminados. O modelo A103 PID faz parte da Linha Black e por isso possuem diversos recursos extras, como as duas formas de fixação (presilhas ou parafusos), teclas de atalho configuráveis, entre outros. Instalando o controlador A103 PID Antes de instalar o controlador de temperatura na chocadeira é necessário se certificar de que o aparelho é compatível com a rede elétrica. O controlador A103 PID pode ser instalado em redes 110V ou 220V, por exemplo. No entanto, existem versões do aparelho que exigem a seleção manual da tensão através da ligação elétrica, enquanto outros modelos possuem seleção de tensão automática e um único modo de ligação elétrica. No vídeo abaixo demonstramos como instalar o controlador em uma rede 220V. O modelo utilizado é um A103 PID com seleção manual de tensão (110V ou 220V). De acordo com o vídeo podemos ver como a ligação elétrica do controlador A103 PID é simples. Abaixo listamos o esquema elétrico das três versões disponíveis, apresentadas ao final do vídeo: A103 PID - Seleção de tensão manual em 220V A103 PID - Seleção de tensão manual em 110V A103 PID - Seleção de tensão automática (85V a 264V) A Ageon recomenda que seus produtos sejam instalados por profissionais qualificados. Em caso de dúvidas na instalação, configuração ou utilização, entre em contato com o suporte técnico Ageon através dos seguintes canais:(48) 3028-8878(48) 99996-0430Ou entre em contato por Whatsapp clicando aqui.

Quais são suas dúvidas sobre inversores de frequência?

22/01/2020 - Dicas Ageon, Inversores de Frequência
Os inversores de frequência são tema de diversos posts no aqui no blog. Já falamos sobre as vantagens desses aparelhos, sobre como dimensioná-los, evitar erros e diversas outros assuntos. Se você possui dúvidas sobre inversores de frequência você está no lugar certo. Perguntas frequentes sobre inversores de frequência Depois de anos inseridos no mercado de inversores de frequência nós identificamos alguns questionamentos frequentes relacionados a esses produtos. Dessa forma, reunimos abaixo as respostas para as dúvidas mais comuns sobre inversores: Conhecendo inversores de frequência Como controlar a velocidade de um motor trifásico?Inversor de frequência: o que é e onde utilizar?5 vantagens de utilizar inversores de frequênciaQuando utilizar um inversor de frequência?Principais modelos de inversores para automaçãoAutomação de máquinas com Inversor de Frequência Como dimensionar corretamente um Inversor de Frequência? Onde comprar inversores? Comprar inversores de frequência direto de fábrica Instalando e configurando Dicas de Instalação – Inversores de FrequênciaAterramento do inversor de frequência: como fazer? Como ligar um motor trifásico em alimentação 220V? Por que utilizar Resistor de Frenagem com um Inversor de Frequência? Conhecendo os bornes de controle do inversor de frequência Ligando dois motores em um Inversor de Frequência Entendendo Inversores de Frequência – Rampas de AceleraçãoO que faz e como funciona a função multispeed no inversor de frequência? Resolvendo problemas O que fazer para evitar a queima do inversor de frequência? O inversor não chega na frequência desejada. E agora?Diagnóstico de erros nos Inversores de Frequência Ageon Quais suas dúvidas sobre inversores de frequência? A Ageon fabrica inversores de frequência há quase duas décadas e por isso adquirimos experiência nesse tipo de equipamento. Além disso, desenvolvemos inversores de frequência para diversos mercados, desde inversores versáteis para automação até inversores específicos para climatizadores evaporativos ou ainda para esteiras ergométricas. Essa experiência aliada ao investimento em tecnologia fez com que os inversores de frequência Ageon se tornassem presentes nas linhas de produção de grandes fabricantes, assim como em diversos distribuidores pelo Brasil. Agora queremos compreender melhor as principais dúvidas sobre inversores de frequência daqueles que mais têm contato com esses equipamentos: técnicos e instaladores. Nossa equipe quer ajudar esses profissionais a tirarem o máximo de proveito que a tecnologia dos inversores pode proporcionar. E é justamente por isso que perguntamos: o que você deseja saber sobre inversores de frequência?

Controle de Temperatura da Chocadeira vs. Temperatura Ambiente

15/01/2020 - Chocadeiras, Controladores de Temperatura, Dicas Ageon
A função básica de uma chocadeira automática é criar condições melhores que as naturais para elevar a taxa de eclosão dos ovos. Por isso o controle de temperatura da chocadeira é algo indispensável, assim como a ventilação e o controle de umidade. Acontece que, embora a chocadeira seja um ambiente controlado, a temperatura do externa influencia diretamente na variação de temperatura dentro da chocadeira. Isso pode causar problemas e inclusive diminuir as taxas de eclosão. Neste post você verá como a temperatura do ambiente externo interfere na chocadeira e como reduzir a possibilidade de problemas. Como a temperatura externa interfere na chocadeira? Os ovos precisam de oxigênio para eclodirem e por este motivo as chocadeiras não são completamente vedadas. Diferente de uma geladeira, por exemplo, as chocadeiras possuem aberturas para a entrada de ar externo, possibilitando a troca de gases. Apesar do termostato realizar o controle de temperatura da chocadeira acionando uma resistência ou uma lâmpada, essa troca de ar com o ambiente externo faz com que haja variação térmica de acordo com a mudança da temperatura ambiente. Imagine uma chocadeira cujo termostato está ajustado para 37,8°C. Esta chocadeira está instalada em uma cidade com grande variação térmica entre o dia e a noite.Durante a noite a temperatura ambiente chega até 18°C. O controlador aciona a resistência para que a temperatura da chocadeira não diminua em relação ao setpoint ajustado.No entanto, durante o dia a temperatura nesta cidade chega a 40°C. Neste cenário, a temperatura externa é maior do que a temperatura desejada (37,8°C). Assim que a chocadeira atinge 37,8°C o controlador desativa a resistência, contudo a temperatura dentro da chocadeira pode continuar aumentando caso a temperatura externa esteja mais alta. Isso ocorre porque a chocadeira não possui sistema de refrigeração e o ar mais quente de fora acaba entrando na chocadeira e elevando sua temperatura interna. Em ambos os exemplos citados o termostato realiza o controle de temperatura da chocadeira da mesma forma, mas a variação térmica pode ser maior ou menor de acordo com a temperatura ambiente. Ainda existem casos em que a temperatura da chocadeira se eleva demais, principalmente em dias quentes. Uma das possíveis causas é a temperatura ambiente muito alta, já que é comum em algumas cidades brasileiras atingirem temperaturas próximas a 40°C. Como evitar problemas relacionados à temperatura ambiente na chocadeira Para evitar toda esta oscilação térmica na chocadeira é necessário tomar algumas precauções. Veja abaixo as principais dicas para diminuir a variação térmica causada pela temperatura externa em chocadeiras. Onde instalar a chocadeira? Em primeiro lugar é preciso instalar a chocadeira em um local adequado, longe de fontes de calor, por exemplo. Também é importante evitar locais com incidência solar. O local mais indicado para a instalação das chocadeiras automáticas é em um ambiente arejado e na sombra. Esses ambientes estão menos sujeitos a variações drásticas de temperatura ao longo do dia. Chocadeira com equipamentos adequados Um problema que pode ser agravado com a variação da temperatura externa é o mau dimensionamento dos equipamentos na chocadeira. Muitos modelos possuem resistências acima ou abaixo da sua capacidade, por exemplo. Também existem casos em que as ventoinhas utilizadas para circulação do ar emitem calor. Nesses casos a temperatura no interior da chocadeira continua se elevando, mesmo com a resistência desativada. Utilize termostatos de qualidade O termostato é o equipamento responsável pelo controle da temperatura no interior da chocadeira. Existem diversos modelos no mercado e escolher um termostato de qualidade interfere diretamente na taxa de eclosão do equipamento. É justamente neste ponto que a Ageon pode auxiliar. Fabricamos controladores de temperatura há quase 20 anos e desenvolvemos termostatos especialmente para chocadeiras. O termostato A103 PID, por exemplo, possui controle PID de temperatura que traz mais estabilidade térmica, ao mesmo tempo em que possui saída para acionamento automático do motor de viragem e um design que valoriza qualquer modelo de chocadeira. O modelo K103 PID U também é indicado para chocadeiras de maior porte, que além do controle PID e do acionamento automático da viragem ainda permite o controle da umidade. Esses são apenas alguns exemplos dos termostatos que a Ageon desenvolve, sempre com foco em tecnologia, inovação e qualidade. Que tal saber mais sobre nossos produtos?

FastKey: nunca foi tão fácil configurar os controladores de temperatura

28/11/2019 - Aquecimento Solar, Cerveja Artesanal, Chocadeiras, Como Configurar, Controladores de Temperatura, Dicas Ageon, Refrigeração
Quanto tempo você leva para configurar um controlador de temperatura? Por mais que seja simples, ajustar os parâmetros dos controladores de temperatura leva certo tempo. Quando se trata de uma linha de produção, por exemplo, este processo precisa ser o mais rápido possível para não impactar nos custos do produto. Pensando nisso, os novos controladores Ageon são compatíveis com um novo recurso: a chave de programação FastKey. Neste post você vai ver como a FastKey torna a configuração dos controladores muito mais fácil e rápida. O que é a FastKey? Fastkey é uma chave de programação compatível com os novos controladores de temperatura Ageon. Sua função principal é replicar a configuração de um controlador para outros controladores, ou seja, copiar os parâmetros de um aparelho para diversos outros aparelhos. Em resumo, com a FastKey só é preciso configurar um controlador de temperatura. Depois disso, basta copiar a configuração deste aparelho e aplicá-la a todos os outros controladores que devem ser configurados para a mesma aplicação. Além de permitir configurar o controlador sem a necessidade de energizá-lo, a tela de 2,4" da FastKey permite visualizar e editar todos os parâmetros do controlador diretamente na chave de programação. Para quem a chave de programação FastKey é indicada? Apesar de a FastKey trazer benefícios para qualquer processo de configuração dos controladores de temperatura Ageon, existem algumas situações em que as vantagens são ainda maiores. Se você possui uma linha de produção que utiliza controladores de temperatura em série, em que vários aparelhos são configurados da mesma forma, a FastKey pode trazer agilidade e economia. Imagine que um funcionário é responsável por configurar todos os controladores de temperatura. Por mais que o funcionário seja ágil, é necessário certo tempo para energizar o aparelho e ajustar os parâmetros. Além disso, um processo manual está sujeito a falhas humanas. Ou seja, neste caso temos o problema do tempo e da probabilidade de erro. Com a FastKey ambos os problemas são resolvidos. Em primeiro lugar porque a configuração de cada controlador pode ser feita em poucos segundos e sem a necessidade de energizá-lo. Em segundo lugar porque a probabilidade de erros de configuração com a FastKey é praticamente nula, já que os mesmos parâmetros de um controlador são replicados para todos os outros. Dessa forma, você economiza tempo e dinheiro na sua linha de produção. Quanto posso economizar com a FastKey? Para ajudar a calcular quanto a configuração dos controladores de temperatura custa para sua empresa, criamos a calculadora abaixo. Para utilizá-la é bem simples, basta preencher as informações e ver qual seu custo com a configuração dos controladores. Calculadora de Custo de Configuração Quantos controladores utiliza por mês? Quantos minutos são necessários para configurar cada controlador? Qual o salário mensal (R$) do funcionário responsável por configurar os controladores? Calcular Custo de Configuração *Considerando um funcionário com jornada semanal de 44h. function calcFastKey(){ var qtd = $('#qtdCtrl').val().replace(/\D+/g, ''); var tmp = $('#tmpCtrl').val().replace(/\D+/g, ''); var salario = $('#valorCtrl').val().replace(/\D+/g, ''); var tmpTotal = qtd*tmp; var salarioMinuto = salario/(44*60*4); var custo = salarioMinuto*tmpTotal; var custoAno = custo*12; custoAno = custoAno.toFixed(2); var tmpFastKey = 0.25; var tmpTotalFastKey = tmpFastKey*qtd; var custoFastKey = salarioMinuto*tmpTotalFastKey; var custoAnoFastKey = custoFastKey*12; custoAnoFastKey = custoAnoFastKey.toFixed(2); var economia = custoAno - custoAnoFastKey; economia = economia.toFixed(2); custoAno = custoAno.replace(/\./g, ','); custoAnoFastKey = custoAnoFastKey.replace(/\./g, ','); economia = economia.replace(/\./g, ','); var result01 = "A configuração dos controladores exige "+tmpTotal+" minutos todos os meses."; result01 += "Isso significa um gasto de R$"+custoAno+" por ano somente com configuração dos aparelhos."; $('#calcFastKey01').html(result01); var result02 = "Usando a FastKey a configuração dos controladores levaria apenas "+tmpTotalFastKey+" minutos por mês."; result02 += "Ou seja, custaria apenas R$"+custoAnoFastKey+" por ano utilizando a FastKey."; result02 += "Economia de R$"+economia+" por ano."; $('#calcFastKey02').html(result02); $('#calcFastKeyResultBox').removeClass('d-none'); } function onlyNumbers(x){ var input = x; var valor = x.value; valor = x.value.replace(/\D+/g, ''); input.value = valor; } function formataDinheiro(n){ var input = n; var valor = n.value.replace(/\D+/g, ''); valor = valor.replace(/\B(?=(\d{3})+(?!\d))/g, "."); input.value = "R$"+ valor; } Como funciona a FastKey? Agora que você já viu como a FastKey pode gerar economia e facilitar seu processo de produção, é hora de ver como funciona. O passo a passo abaixo descreve como é o funcionamento básico da chave de programação. Conecte a FastKey no controlador configurado O primeiro passo é conectar a chave de programação no controlador que já possui a configuração correta. Esta etapa é bastante simples, já que o controlador de temperatura não precisa estar energizado. Basta ligar a chave de programação ao controlador com a cabo USB que acompanha o produto. Copie os parâmetros do controlador para a FastKey Ligue a chave de programação e acesse a tela "Ler". Você pode selecionar umas das 9 memórias da FastKey para gravar a as configurações do controlador. A mensagem "Leitura concluída com sucesso" será exibida quando a configuração estiver salva na memória selecionada. Replique a configuração para os demais controladores Agora que a FastKey já possui a configuração que deve ser replicada, basta conectá-la ao controlador que deve ser configurado e selecionar entre as 9 memórias salvas. A mensagem "Gravado com sucesso" será exibida quando o processo terminar. Pronto! Neste momento o controlador já estará configurado de acordo com as configurações salvas na FastKey. Gravação automática em poucos segundos Após a gravação do primeiro controlador, a FastKey irá questionar se você deseja entrar em modo de gravação automática. Se você optar por "Sim", as próximas gravações ficam ainda mais rápidas. É necessário apenas conectar o controlador à chave de programação. A mesma configuração será salva automaticamente em poucos segundos e então basta desconectar o controlador e conectar o próximo. Que tal economizar dinheiro com a FastKey? Se você deseja economizar dinheiro agilizando a configuração dos seus controladores de temperatura, a FastKey pode ajudar. Entre em contato com a Ageon para saber mais detalhes sobre este recurso.

O inversor não chega na frequência desejada. E agora?

25/09/2019 - Como Configurar, Inversores de Frequência
Você instala o inversor de frequência corretamente, seguindo todas as instruções do manual. No entanto, quando aciona o equipamento, por mais que você tente chegar na frequência desejada o inversor nunca a atinge. E agora, o que fazer? Este problema pode ter causas distintas. Para resolvê-lo, listamos algumas possíveis soluções que vão desde a configuração do inversor até problemas no motor. O que estou vendo no display? O primeiro passo é se certificar de que a informação apresentada no display é a frequência de saída. Alguns inversores de frequência possuem diferentes opções de visualização no display. Além da frequência de saída, ou seja, a frequência enviada ao motor, outra opção é visualizar a porcentagem, considerando 0% a frequência mínima e 100% para a frequência máxima. Existem ainda inversores com a opção de customizar a informação exibida no display através de um fator de multiplicação, convertendo a frequência em uma outra unidade de medida adequada à aplicação (como rpm, l/s, m/s, entre outros). Caso seu inversor não atinja a frequência desejada, certifique-se de configurar o inversor para a visualização da frequência de saída em hertz. Dessa forma você pode verificar se o display do aparelho apresenta o valor de frequência que você pretende atingir. Nos inversores de frequência IRX Pro esta configuração está disponível no parâmetro P28. Já nos inversores XF Standard e YF Standard é preciso mantes P26=1 e P27=1 para visualizar a frequência de saída no display. Ajuste de Frequência Máxima Se você já verificou que está visualizando a frequência de saída no display e mesmo assim o inversor não chega no valor desejado, é possível que o problema seja a configuração da frequência máxima. Os inversores possuem um parâmetro que limita a frequência máxima aceita pelo aparelho. Quando o inversor atinge este valor, por mais que haja um comando para elevar a frequência, a mesma não irá se alterar. Nos inversores de frequência Ageon, verifique se o valor do parâmetro P24 está abaixo da frequência que você deseja. Neste caso, altere o valor de P24, se atentando para as implicações desta alteração no seu equipamento. Função Controle de Corrente (somente YF Standard) Você já verificou a visualização da frequência de saída e também o parâmetro de frequência máxima, mas continua não chegando na frequência desejada? É possível que o problema esteja relacionado à corrente exigida pelo motor. Os inversores YF Standard possuem um parâmetro de controle de corrente que impede o aumento da frequência de saída quando uma corrente muito alta é identificada. Este parâmetro se diferencia da corrente de sobrecarga, visto que o primeiro apenas reduz a frequência de saída, enquanto o segundo exibe um erro e desliga o motor a fim de evitar danos. Os inversores de frequência IRX Pro e XF Standard não possuem este parâmetro. O controle de corrente é configurado no parâmetro P52. Verifique se o valor ajustado está de acordo com sua aplicação. Caso o parâmetro esteja configurado adequadamente, verifique se o motor está em perfeitas condições. Motores danificados costumam apresentar alterações de corrente, que são identificados pelo inversor e ativam suas proteções. O valor do controle de corrente (P52) sempre deve ser menor que o valor da corrente de sobrecarga. Nos inversores Ageon a corrente de sobrecarga é configurada no parâmetro P51.Recomendamos contratar um profissional qualificado para parametrizar seu inversor de frequência. Meu problema não foi resolvido. E agora? Em primeiro lugar, verifique se você possui um inversor de frequência Ageon. Se a resposta for sim, basta entrar em contato com nosso suporte técnico para receber o auxílio de nossa equipe. Ajudaremos a identificar e resolver o seu problema. Caso seu inversor não seja Ageon, esta é a hora de nos conhecer. Possuímos inversores de frequência para motores de até 5CV e modelos específicos para os mercados de climatização ou esteiras ergométricas, por exemplo. Também possuímos modelos para automação com formato compacto ou com IHM destacável e potenciômetro incorporado.

Como fixar o sensor de temperatura no resfriador de leite?

17/07/2019 - Controladores de Temperatura, Refrigeração
Você possui problemas de congelamento no tanque resfriador de leite? Ou seu termostato apresenta problemas com pouco tempo de uso? Talvez a solução para ambos os casos esteja na fixação do sensor de temperatura. No post abaixo você verá como a fixação incorreta do sensor pode interferir no funcionamento do tanque de leite e também como é a forma correta de fixar o sensor. Problemas da fixação incorreta do sensor de temperatura Em primeiro lugar é importante esclarecer o quanto a fixação incorreta do sensor pode ser prejudicial ao equipamento. Em muitos casos o sensor é instalado dentro do tanque e fica em contato direto com o leite. Apesar de muitos sensores serem resistentes à submersão, não é uma boa prática mantê-lo em contato direto com líquidos. São vários os motivos para esta recomendação, mas vamos focar em apenas um: a integridade do sensor. Durante a instalação o sensor de temperatura pode sofrer alguns danos. Acontece que um sensor de temperatura, mesmo que resistente à submersão, pode sofrer com a ação de umidade e oxidação caso esteja danificado de alguma forma. Por isso é extremamente recomendado não pressionar ou perfurar o sensor. Em alguns casos os danos não são visíveis, porém ainda assim prejudicam o sensor. O resultado disso é uma leitura incorreta de temperatura, que pode causar inclusive a perda de todo o leite presente no tanque. Outro tipo de instalação incorreta é a fixação do sensor diretamente na parede externa do tanque. Existem casos em que o sensor é colado à parede do tanque e são utilizados alguns recursos para que haja um isolamento térmico. Geralmente são utilizadas fitas ou isopor, por exemplo, diminuindo o contato do sensor com o ar. O problema desse tipo de situação é que a temperatura medida pelo sensor não corresponde à temperatura real do leite. Isso ocorre porque, por mais que haja uma tentativa de isolamento térmico, estes métodos não são eficientes. Dessa forma, o sensor costuma apresentar uma temperatura maior do que a temperatura do leite. Como resultado, são comuns problemas de congelamento do leite. Como fixar o sensor corretamente? Uma das possíveis soluções para evitar os problemas citados acima é a utilização de um poço termométrico. O poço termométrico permite a medição da temperatura de líquidos sem o contato direto com o sensor e de uma forma confiável. Os poços termométricos são fabricados em materiais metálicos, já que estes materiais são bons condutores térmicos. Assim, mesmo sem contato com o líquido, o sensor identifica uma temperatura muito mais próxima à temperatura real do leite. Como não há submersão, os problemas com umidade também são muito menos prováveis. A instalação de um poço termométrico é bastante simples. Basta furar a parede lateral do tanque e fixar as duas partes. A maioria dos poços termométricos possuem vedação de anéis de borracha para evitar o vazamento de líquidos. Após fixado, basta inserir o sensor no poço termométrico. A imagem abaixo demonstra como realizar esta instalação: Muito mais do que o sensor de temperatura Para que o tanque resfriador de leite funcione perfeitamente não basta se atentar apenas ao sensor de temperatura. É necessário também observar o funcionamento do agitador, por exemplo, ou ainda proteger o compressor em caso de variações de tensão. Por isso é tão importante selecionar um termostato de qualidade. E é nesse ponto que a Ageon pode ajudar. Os termostatos digitais da Ageon para resfriadores de leite fazem o acionamento automático do compressor para manter o leite sempre na temperatura correta. Além disso, também possuem uma saída para acionamento do agitador e monitor de tensão incorporado para proteção do equipamento. São dois formatos disponíveis: o modelo G104 Color, em formato retangular e com frontal resistente a jatos d'água, e o modelo H104 Color, com formato exclusivo que permite a instalação através de furo serra copo. O que achou deste post? Deixe seu comentário abaixo.

Principais erros em inversores de frequência para esteiras ergométricas

03/05/2019 - Esteiras Ergométricas, Inversores de Frequência
Se você trabalha com conserto e manutenção de esteiras ergométricas provavelmente já se deparou com um inversor com problemas. Apesar de a primeira reação ser substituir o aparelho ou entrar em contato com o fabricante, em muitos casos a solução é muito mais simples. Neste post vamos apresentar os principais erros em inversores de frequência para esteiras ergométricas e como solucioná-los. LEDs indicativos do inversor IEX70 Para exemplificar os possíveis erros do inversor, vamos utilizar como exemplo o modelo IEX70, da Ageon. Este inversor de frequência foi desenvolvido especialmente para esteiras ergométricas e possui LEDs que auxiliam a identificar se o aparelho está em seu funcionamento normal ou se algum erro está ocorrendo. Os inversores IEX70 possuem dois LEDs. Um deles é relacionado ao funcionamento do motor. O outro LED é relacionado à indicação de falhas e erros na placa de controle. Quando o inversor identifica um erro, este LED pisca determinado número de vezes. A quantidade de vezes que o LED pisca varia de acordo com o erro identificado. LED piscando 2 vezes - Sobretensão Este erro ocorre quando a tensão de alimentação do inversor está acima do recomendado no manual. Utilize um multímetro para medir a tensão de entrada do inversor e, caso o valor não esteja de acordo com as informações do manual, revise sua instalação. É provável que haja um problema na rede elétrica ou nas instalações do estabelecimento. LED piscando 3 vezes - Subtensão Este erro é o oposto do erro listado acima. Ele ocorre quando a tensão de alimentação do inversor está abaixo do recomendado no manual. Com um multímetro é possível medir a tensão de entrada e verificar se o valor está de acordo com o esperado. LED piscando 4 vezes - Sobretemperatura Este erro é apresentado sempre que o módulo de potência (IGBT) no interior do aparelho está superaquecido. Geralmente isso ocorre quando a temperatura do ambiente está alta e o inversor está com uma carga elevada, mesmo que dentro do permitido. Dessa forma, recomenda-se verificar se as entradas de ar do inversor IEX70 não estão obstruídas, permitindo a ventilação. LED piscando 5 vezes - Sobrecarga A sobrecarga ocorre sempre que o inversor é submetido a uma carga acima do recomendado em seu manual. Para corrigir este problema, verifique se a esteira apresenta problemas mecânicos, como falta de lubrificação ou problemas no motor, por exemplo. Também é importante verificar se as especificações do motor e do inversor de frequência são compatíveis. LED piscando 6 vezes - Sobrecorrente por hardware Quando o inversor identifica uma corrente muito elevada em um curto período de tempo. Isso pode ocorrer por dois motivos principais: problemas no motor da esteira ou uma carga com inércia muito elevada. Em primeiro lugar verifique se há curto-circuito entre as fases da alimentação ou do motor. Caso nada seja identificado, remova a carga e teste o inversor novamente. LED piscando 7 vezes - Falha de comunicação Este erro será apresentado sempre que a comunicação entre o inversor de frequência e o painel for comprometida. Verifique as conexões entre o inversor e o painel e também se a chave de configuração está de acordo com o modo de operação do painel. Também é recomendado verificar a integridade do cabo de comunicação, ou seja, se existem sinais de rompimento, emendas mal realizadas, entre outros. LED piscando 8 vezes - Falha de hardware Uma falha de hardware pode ocorrer por diversos motivos. Na maior parte dos casos este erro ocorre após um curto-circuito no aparelho. A primeira ação a ser tomada é remover as ligações do motor e testar o inversor. Caso o erro permaneça significa que um componente interno do inversor foi danificado e é preciso enviá-lo para a assistência técnica. Agora você já conhece e sabe como resolver os principais erros em inversores de frequência para esteiras ergométricas. Que tal deixar um comentário abaixo?

A importância da manutenção preventiva nas esteiras ergométricas

28/03/2019 - Esteiras Ergométricas, Inversores de Frequência
As esteiras ergométricas estão entre os equipamentos mais disputados da academia. É justamente por isso que os componentes da esteira podem sofrer desgastes e alterações normais de uso. Para evitar problemas na utilização e conservação do aparelho é altamente recomendado realizar manutenções preventivas periodicamente. Por que realizar manutenções preventivas na esteira ergométrica? Uma esteira ergométrica é composta de várias partes que trabalham em conjunto. É o caso, por exemplo, do motor, do inversor de frequência, do painel, da lona, entre outros. De acordo com a intensidade de utilização, estas partes podem apresentar algumas alterações e desgastes. No decorrer do tempo estas alterações podem se acumular, prejudicando a estrutura da esteira ergométrica. Além de danificar o equipamento, isso pode resultar em danos para os usuários. Dessa forma, as manutenções preventivas servem para evitar problemas na esteira ergométrica, mantendo seu funcionamento correto e garantindo a segurança dos usuários. Cuidados diários com a esteira ergométrica Antes mesmo de realizar a manutenção preventiva, alguns cuidados diários podem aumentar a vida útil da esteira ergométrica. O suor e a poeira, por exemplo, podem danificar os componentes eletrônicos da esteira. Por isso é recomendado limpar o painel todos os dias após o uso. Da mesma forma, a limpeza da lona e dos estribos laterais também é importante. Estas áreas acumulam sujeira, suor e oleosidade que podem atingir partes sensíveis da esteira, como o motor e o inversor de frequência. Até mesmo o excesso de lubrificação na lona, por exemplo, pode resultar em curto-circuito no inversor de frequência. Hora da manutenção preventiva: melhor chamar um técnico Apesar de alguns cuidados simples serem indicados para realização diária na academia, existem alguns procedimentos que exigem certo nível de conhecimento técnico. Por esse motivo é muito importante ter um técnico de confiança para fazer a manutenção preventiva da esteira ergométrica. A periodicidade da manutenção preventiva pode variar de acordo com intensidade de uso da esteira ergométrica e também das condições ambientais. Fatores como a temperatura e a umidade do ambiente podem interferir diretamente no acúmulo de resíduos no interior da esteira, causando problemas relacionados à oxidação, corrosão, curto-circuitos, entre outros. Através de uma análise, o técnico de manutenção poderá avaliar o estado da esteira e tomar ações para evitar que tais problemas ocorram. O técnico de manutenção irá verificar toda a estrutura da esteira, se atentando para diversos detalhes. O plug de conexão na tomada, por exemplo, não deve possuir nenhum tipo de deformação causada por aquecimento. A esteira deve estar em uma superfície plana e nivelada, evitando o acúmulo de lubrificação em determinadas áreas da esteira. Os parafusos e porcas devem ser reapertados em caso de afrouxamento. As carenagens e chassis devem ser limpos, retirando todos os resíduos sólidos e líquidos que possam chegar até o conjunto do motor e inversor de frequência. Antes de tudo, utilize equipamentos de qualidade Uma forma de evitar problemas com a esteira e reduzir a frequência das manutenções preventivas é utilizar equipamentos de qualidade. Quando se trata de inversores para esteiras ergométricas, a Ageon tem a solução certa para você: a linha IEX70. Os inversores IEX70 possuem gabinete de proteção que dificulta a entrada de resíduos e aumenta sua vida útil. Além disso, possuem proteção contra sobrecorrente, desativando o equipamento caso a corrente solicitada pelo motor seja maior do que o limite suportado. Outra vantagem dos inversores IEX70 é a facilidade de instalação e configuração. Não é a toa que seu slogan é "instalou, ligou". Todas as configurações desses inversores são realizadas diretamente em uma chave DIP e em poucos minutos já é possível ver a esteira em funcionamento. A linha IEX70 é indicada para esteiras ergométricas com motores de até 8,5A. Sua alimentação é bivolt (110V/220V) e são compatíveis com os principais painéis do mercado. Que tal saber mais sobre a linha IEX70? Deixe seu comentário, crítica ou sugestão sobre o post no formulário abaixo.