Posts com a tag "Controladores de Temperatura"

FanSpeed: Controle de velocidade dos ventiladores pela pressão do fluído

09/12/2020 - Refrigeração
Você já precisou controlar a velocidade dos ventiladores do condensador em um sistema de refrigeração? Em muitos casos são ventiladores monofásicos e o controle deve ser feito de acordo com a pressão do fluido refrigerante. Parece complicado? Por isso criamos este post para esclarecer este assunto e demonstrar como é possível controlar a velocidade dos ventiladores utilizando o FanSpeed. Por que controlar a velocidade dos ventiladores? Primeiramente precisamos relembrar a relação entre pressão e temperatura. Quando falamos de sistemas de refrigeração, geralmente nos referimos a um sistema que possui compressão e expansão de um fluido para a troca de calor com o ambiente interno e externo, respectivamente. Em outras palavras, a pressão do fluido refrigerante aliado com a troca de calor com o ambiente impacta diretamente na eficiência do sistema. Acontece que, dependendo da temperatura externa, o sistema de refrigeração pode necessitar de mais ou menos troca de calor para atingir o mesmo resultado. Em dias mais quentes, por exemplo, a troca de calor deve ser mais intensa e os ventiladores devem atuar em velocidades maiores para que a pressão do fluido não se eleve demais. Em dia mais frios, no entanto, a troca de calor pode ser reduzida e os ventiladores devem atuar em velocidades menores para que a pressão do fluido não fique abaixo do ideal. Quando os ventiladores não atuam corretamente, em dias quentes a refrigeração pode ser insuficiente, enquanto em dias frios há risco de congelamento do evaporador. Para evitar ambas as situações existem equipamentos que controlam a velocidade dos ventiladores de acordo com a pressão do fluido refrigerante. Como existe a relação entre pressão e temperatura, é possível determinar a velocidade ideal dos ventiladores para que o fluido se mantenha a uma pressão estável. Isso faz com que o sistema de refrigeração atue de forma mais eficiente e ao mesmo tempo auxilia na prevenção contra o congelamento do evaporador. Controlador de condensação FanSpeed A Ageon desenvolveu uma solução especialmente para controle da velocidade de ventiladores monofásicos com base em um valor de pressão. Trata-se do FanSpeed, um controlador de condensação indicado principalmente para sistemas de refrigeração e centrais de ar condicionado. O FanSpeed identifica a pressão do fluido refrigerante através de um transdutor de pressão e varia a velocidade dos ventiladores utilizando um controle PD. Dessa forma, o FanSpeed atua para manter a pressão do fluido em um valor estável de acordo com o setpoint configurado, aumentando a eficiência do sistema e evitando o congelamento do evaporador. O controlador de condensação FanSpeed possui entrada analógica para sensor ou transdutor de diferentes níveis de sinais (4 a 20) mA, (1 a 5) V, (0 a 10) V ou (0,5 a 4,5) V, mas também é possível adquirir o conjunto completo (FanSpeed e transdutor). Permite acionar motores monofásicos de até 8 A, com tensão máxima de saída equivalente a 97% da tensão da rede. Além disso, possui manômetro digital incorporado, dispensando o uso de manômetros externos. Deseja saber mais sobre os controladores de condensação FanSpeed? Entre em contato conosco.

Qual é o custo de usar uma chocadeira elétrica ruim?

02/12/2020 - Chocadeiras
Muitos criadores iniciantes não possuem muitos recursos para começar seu negócio. Dessa forma, acabam buscando por chocadeiras baratas para iniciar a produção. Independente do preço, uma chocadeira elétrica ruim ou mal projetada cotuma ser pouco eficiente e pode resultar em prejuízos para o produtor. Por isso reunimos neste post algumas dicas que ensinam a verificar a eficiência da chocadeira e qual o custo de utilizar uma chocadeira ruim. Como saber se minha chocadeira elétrica é eficiente?Quais são os custos envolvidos na chocagem?Como calcular minhas perdas com a chocadeira?Quais fatores impactam na eficiência da chocadeira? Como saber se minha chocadeira elétrica é eficiente? Em primeiro lugar é importante saber o quão eficiente é sua chocadeira. O principal indicador de eficiência desses equipamentos é a taxa de eclosão, ou seja, o percentual de ovos que de fato eclodem em comparação com o total de ovos incubados. Identificar a taxa de eclosão da chocadeira é o primeiro passo para melhorar sua produção. Existe um cálculo para determinar a taxa de eclosão da chocadeira elétrica considerando pintinhos nascidos e ovos incubados. No entanto, caso você queira uma maneira fácil de determinar isso, você pode utilizar nossa Calculadora de Taxa de Eclosão. Quais são os custos envolvidos na chocagem? Em resumo, os custos de uma chocagem de ovos estão relacionados à compra dos ovos, à energia elétrica gasta pela chocadeira, aos funcionários (se houver), entre outros. Para facilitar o cálculo, neste post vamos considerar um dos custos mais relevantes para os produtores: o investimento em ovos galados. É importante ressaltar que o valor dos ovos galados possui grande variação de acordo com a raça da ave e com a região. Saber o preço médio do ovo galado é essencial para saber quanto dinheiro você perde se sua chocadeira não for eficiente. Como calcular minhas perdas com a chocadeira? Você sabe quanto dinheiro perde em cada chocagem na sua chocadeira elétrica? Já que você calculou a taxa de eclosão e o valor do ovo galado, é possível estimar quanto a ineficiência da chocadeira impacta no seu ganho financeiro. Para facilitar as coisas, criamos uma calculadora especial que você pode conferir logo abaixo. Quanto custa uma Chocadeira ruim? Preencha os campos abaixo com o valor médio do ovo galado (em reais), com a taxa de eclosão de sua chocadeira e com o valor médio de venda das aves (em reais). Você verá qual sua perda aproximada por chocagem. Quanto você paga pelos ovos galados? R$ 12 ovos 24 ovos 30 ovos 36 ovos 100 ovos Qual a taxa de eclosão da sua chocadeira? (Não sabe como calcular? Clique aqui) % Qual a capacidade da sua chocadeira? Ovos Por qual valor você vende cada ave? R$ Calcular Perdas A cada chocagem, você ganha O que é um bom valor, certo? Se descontarmos o valor investido na compra dos ovos () ainda sobram de lucro. Mas você também deixa de ganhar se consideramos ovos que não eclodiram devido à sua taxa de eclosão. Ou seja, se você melhorar a taxa de eclosão da chocadeira, você pode aumentar seus lucros. Compartilhe: Você tem certeza de que suas informações estão corretas? Ao que parece sua chocadeira não está dando muito lucro... Revise suas informações e reveja seus preços de compra e vendas para ter certeza de que não está ficando no prejuízo. Parabéns! Sua chocadeira não apresenta perdas e seus resultados estão excelentes. function customCalc(){ var valorOvos = $('#customInput01').val(); var numOvos = $('#customInput02').val(); var eclosao = $('#customInput03').val(); var capacidade = $('#customInput04').val(); var valorUnVenda = $('#customInput05').val(); var valorUn = valorOvos / numOvos; var ovosSucesso = capacidade * eclosao / 100; var ovosPerda = capacidade - ovosSucesso; var valorCompra = valorUn * capacidade; var valorVendas = ovosSucesso * valorUnVenda; var valorPerdas = ovosPerda * valorUnVenda; var valorLucro = valorVendas - valorCompra; if((valorLucro > 0) && (valorPerdas > 0)){ $('#customResultSuccess').addClass('d-none'); $('#customResultError').addClass('d-none'); $('#customResult').removeClass('d-none'); $('#customResult').removeClass('d-none'); $('#customResult1').html(currency(valorVendas)); $('#customResult2').html(currency(valorCompra)); $('#customResult3').html(currency(valorLucro)); $('#customResult4').html(currency(valorPerdas)); $('#customResult5').html(ovosPerda); } else if(valorLucro Quais fatores impactam na eficiência da chocadeira elétrica? Se você não ficou feliz com o resultado do cálculo, talvez seja o momento de avaliar alguns aspectos da sua chocadeira. O projeto da chocadeira, desde a circulação de ar em seu interior até o dimensionamento da resistência elétrica, por exemplo, são alguns fatores que influenciam muito na eficiência do equipamento. A qualidade dos ovos também é um aspecto crucial para que sua produção atinja os melhores resultados. Outro ponto que exige muita atenção é o controle de temperatura no interior da chocadeira elétrica. Manter a temperatura estável e dentro da faixa desejada impacta de forma muito positiva na eficiência da chocagem. Além disso, o controle de umidade também é bastante importante para elevar a taxa de eclosão e aumentar os lucros com chocadeiras de ovos. E são justamente nesses pontos que a Ageon pode ajudar. A Ageon oferece controladores de temperatura e umidade projetados especialmente para chocadeiras elétricas. Enquanto o modelos Linha Black A103 PID é indicado para chocadeiras que exigem o máximo em precisão e estabilidade térmica, o modelo Linha Prime K103 PID U possui ainda opção de controle de umidade para elevar a taxa de eclosão às alturas. Ambos os modelos possuem controle PID e saída TRIAC, resultando em menor variação de temperatura. Entre em contato conosco e saiba mais sobre nossos controladores para chocadeiras.

Monitoramento de temperatura de vacinas com o ArcSys

25/11/2020 - Refrigeração
As preocupações com a cadeia de distribuição de vacinas vêm aumentando com a proximidade de liberação de uma vacina contra a COVID-19. Cada tipo de vacina deve ser transportado e armazenado em temperaturas distintas de acordo com as recomendações do fabricante. Para garantir que estes materiais permaneceram sempre em condições ideais, os sistemas de monitoramento de temperatura estão cada vez mais presentes neste mercado. Por que monitorar a temperatura de câmaras de vacinas? Existem pelo menos duas boas razões para monitorar a temperatura de câmaras de vacinas: segurança e economia. Em primeiro lugar, os sistemas de monitoramento de temperatura geralmente permitem identificar se os materiais foram armazenados na temperatura ideal. Da mesma forma, também é possível verificar por quanto tempo as vacinas ficaram fora das condições ideais, caso isso ocorra. Isso tudo garante que somente as vacinas armazenadas em condições de temperatura adequadas sejam utilizadas, ou seja, garante mais segurança aos pacientes. Em segundo lugar, um sistema de monitoramento de temperatura gera economia evitando a perda de mercadoria. Os alarmes de um sistema de monitoramento permitem identificar falhas no sistema de refrigeração, alertando os usuários de que as vacinas estão fora da faixa de temperatura ideal. Isso permite realizar ações para que as vacinas permaneçam o menor tempo possível fora das condições ideais. Quando ocorre uma falha e não há um sistema de monitoramento de temperatura, a probabilidade de perder todas as vacinas da câmara é bastante alta e o prejuízo é quase certo. Monitoramento de temperatura com o ArcSys para Câmaras de Vacinas No último domingo (22/11/2020), o programa Fantástico veiculou uma matéria citando os desafios de transportar e armazenar as vacinas contra COVID-19. A matéria exibe diversas etapas deste processo, e em um dos momentos é é possível visualizar o controlador de temperatura K102 Web. O controlador K102 Web aliado ao sistema de monitoramento ArcSys permite supervisionar a temperatura de câmaras de vacinas em tempo real. Com esses equipamentos é possível gerar gráficos e relatórios, alterar parâmetros e configurar alarmes em caso de falhas. Conheça essas e outras vantagens do ArcSys entrando em contato conosco.

O que é um controlador de temperatura duplo estágio?

18/11/2020 - Aquecimento, Automação, Charcutaria e Homebrewing, Refrigeração
Existem muitas aplicações em que um controlador de temperatura comum é insuficiente para manter a temperatura em uma faixa desejável. Por isso existem no mercado controladores com recursos extras e funções mais inteligentes. Esse é o caso dos controladores duplo estágio, por exemplo. Se você não conhece esse tipo de controlador, saiba que em muitos casos ele pode fazer o papel de dois controladores ao mesmo tempo. O que é um controlador Duplo Estágio? Em resumo, os controladores duplo estágio permitem o controle de dois pontos na escala de temperatura. Em outras palavras, é possível configurar dois setpoints e acionar duas cargas distintas e independentes utilizando o mesmo aparelho. Para entender o funcionamento de um termostato duplo estágio é importante primeiramente entender o funcionamento de um termostato comum. A maioria dos controladores de temperatura digitais aciona ou desliga um relé de acordo com uma temperatura predeterminada (setpoint). Em sistemas de refrigeração o controlador aciona o relé quando a temperatura está acima do setpoint, enquanto em sistemas de aquecimento o controlador aciona o relé quando a temperatura está abaixo do setpoint. Os controladores duplo estágio (ou de dois estágios, como também são conhecidos) funcionam de forma diferente. Eles possuem duas saídas a relé e cada uma delas possui suas configurações independentes de setpoint e função (aquecimento ou refrigeração). Na prática, isso significa que um controlador duplo estágio pode ser configurado para acionar um sistema de refrigeração quando a temperatura estiver muito alta e um sistema de aquecimento quando a temperatura estiver muito baixa, por exemplo. Um controlador que vale por dois Os controladores de temperatura duplo estágio são indicados para uma série de situações. Listamos abaixo alguns exemplos em que um só controlador como este pode substituir dois controladores comuns: Um aquário em que a água deve permanecer sempre entre 25°C e 30°C, acionando as ventoinhas ou o aquecedor dependendo da variação de temperatura do ambiente;Um CPD (centro de processamento de dados) que utiliza um aparelho de ar condicionado manter seus servidores sempre abaixo de 21°C, mas que em dias mais quentes precisa acionar um segundo aparelho de ar condicionado para evitar superaquecimento;Um cervejeiro caseiro que precisa realizar a fermentação sempre próxima a 18°C, acionando a geladeira quando a temperatura subir e uma lâmpada incandescente quando a temperatura descer. Linha Black A103: o controlador 6 em 1 da Ageon Se você acha que um controlador duplo estágio é interessante porque pode valer por dois controladores, saiba que é ainda melhor. A Ageon possui o controlador Linha Black A103 que traz muitos outros recursos além dos dois estágios no controle de temperatura. Na verdade, os controladores A103 pode ser utilizado de até 6 formas diferentes e possui funções tanto de refrigeração quanto de aquecimento. Ou seja, é um controlador de temperatura extremamente versátil e que possui um potencial enorme de aplicações. Que tal entrar em contato conosco e saber mais detalhes sobre esse aparelho?

Como calcular a Taxa de Eclosão de uma chocadeira de ovos?

28/10/2020 - Chocadeiras
Você possui uma chocadeira de ovos e não está satisfeito com os resultados? Como saber se sua chocadeira é eficiente ou se possui algo de errado? Para responder a essas perguntas existe a taxa de eclosão. O que é a taxa de eclosão da chocadeira?Como calcular?Calculadora de taxa de eclosãoDica Ageon para melhorar a eficiência da chocadeira O que é a taxa de eclosão da chocadeira? O ideal em uma chocadeira é que todos os ovos eclodam. No entanto, na prática não é isso que acontece. São tantas variáveis durante a chocagem que é comum ocorrerem perdas. O percentual de sucesso da chocadeira, ou seja, o percentual de ovos que efetivamente chocam, é chamado de taxa de eclosão. O mesmo modelo de chocadeira pode possuir diferentes taxas de eclosão de acordo com variáveis como a qualidade dos ovos, a temperatura ou a umidade do ar. Como calcular a taxa de eclosão? Primeiramente é importante ressaltar que existem diferentes formas de realizar este cálculo. Alguns defendem que deve ser levado em conta o total de ovos incubados, enquanto outros sugerem que somente devem ser considerados os ovos férteis. Neste post vamos considerar a relação entre o total de ovos incubados e o total de pintinhos nascidos. Para realizar o cálculo, em primeiro lugar divida o número de pintinhos nascidos pela quantidade de ovos incubados. Em seguida, multiplique por 100 e você terá a taxa de eclosão da sua chocadeira de ovos. Se você obteve 110 pintinhos em uma chocadeira de 120 ovos, por exemplo, o resultado será 91,7% de eclosão (110/120*100). Achou complicado? Se assim como nós você também prefire facilitar as coisas, é possível simplificar este cálculo utilizando nossa calculadora automática: Calculadora de Taxa de Eclosão Preencha os campos abaixo com a capacidade de sua chocadeira (número de ovos) em cada chocagem e com o número de eclosões obtidas. Você verá qual a taxa de eclosão da sua chocadeira. Ovos incubados Número de eclosões Calcular Taxa de Eclosão Sua chocadeira possui uma taxa de eclosão de Parabéns pela qualidade da sua chocadeira! Ficamos à disposição caso queira saber mais sobre nossos controladores de temperatura e umidade para chocadeiras. Parabéns! A taxa de eclosão da sua chocadeira é bastante alta. Quer aumentar ainda mais esse número? Conheça nossos controladores de temperatura para chocadeiras e leve sua chocadeira a outro patamar. A taxa de eclosão da sua chocadeira está próxima à média de muitos fabricantes. Você quer se destacar e aumentar a eficiência do seu equipamento? Conheça nossos controladores de temperatura para chocadeiras e aumente seus ganhos com uma taxa de eclosão maior. Tenho más notícias para você... Sua taxa de eclosão está deixando a desejar. Revise a qualidade dos ovos, a qualidade da chocadeira e conheça nossos controladores de temperatura para aumentar sua taxa de eclosão. Compartilhe: function calcEclosao(){ var nOvos = $('#customFormOvos').val(); var nEclosao = $('#customFormEclosao').val(); var result = nEclosao/nOvos*100; result = result.toFixed(1); $("#resultEclosao").removeClass('d-none'); $(".resultDetalhes").hide(); $("#taxaEclosao").html(result+"%"); if(result == 100){ $("[data-role='100']").show(); } else if(result >= 80){ $("[data-role='80']").show(); } else if(result >= 60){ $("[data-role='60']").show(); } else { $("[data-role='0']").show(); } //SOCIAL SHARER var url = window.location.protocol + "//" + window.location.host + window.location.pathname + window.location.search; var encodedUrl = encodeURIComponent(url); $('#btnWhatsappSharer').attr('href', 'https://api.whatsapp.com/send?text='+encodedUrl); $('#btnFacebookSharer').attr('href', 'https://www.facebook.com/sharer/sharer.php?u='+encodedUrl); } Dica Ageon para melhorar a eficiência da chocadeira Você fez o cálculo e não ficou feliz com o resultado? Então temos uma dica para aumentar o número de eclosões e tornar sua chocadeira mais eficiente: controladores de temperatura PID. O controle de temperatura e umidade é essencial para que a eclosão dos ovos se mantenha sempre em um valor alto e estável. Por isso, utilizar equipamentos de qualidade pode impactar diretamente na eficiência da chocadeira e melhorar seus resultados. Já falamos em diversos posts aqui no blog sobre o controladores de temperatura PID, como o modelo Linha Black A103 PID, por exemplo. Estes controladores garantem menos variação térmica, ou seja, mentém a chocadeira em uma temperatura mais estável. Somando um controlador de temperatura preciso e confiável com ovos de qualidade e um projeto de chodeira eficaz, seus resultados só tendem a aumentar.

Quando utilizar um Controlador de Temperatura com Duplo Estágio?

30/09/2020 - Aquecimento, Automação, Charcutaria e Homebrewing, Refrigeração
Você conhece os controladores de duplo estágio? Esses aparelhos já foram tema de posts aqui no blog, onde explicamos o que são e qual o seu funcionamento. Em resumo, controladores com duplo estágio permitem o acionamento de duas cargas independentes, em diferentes pontos da escala de temperatura. A compreensão destes aparelhos fica mais fácil com o exemplo abaixo: Um fabricante de cerveja artesanal precisa manter o mosto a uma temperatura de 18°C durante a fermentação. No entanto, este fabricante mora em uma região onde a temperatura varia entre 12°C e 25°C em um único dia. Isso significa que em alguns momentos do dia é preciso aquecer o mosto, enquanto em outros momentos é preciso resfriá-lo. Por esse motivo o fabricante irá utilizar uma geladeira onde o mosto será armazenado para a fermentação. Dentro desta geladeira haverá também uma lâmpada. Assim, o compressor da geladeira fará o resfriamento do mosto, e a lâmpada será responsável pelo aquecimento. Para controlar a geladeira e a lâmpada do exemplo acima, são necessários controladores de temperatura. Existem diversos modelos no mercado, com diferentes configurações. As soluções mais comuns são as seguintes: 1 - Utilizar um controlador com saída NA/NF É comum que, visando o baixo custo a curto prazo, muitas pessoas optem por realizar este tipo de controle utilizando um controlador com saída NA/NF. Estes controladores possuem uma única saída que pode assumir dois estados: normalmente aberto (NA) ou normalmente fechado (NF). Uma saída é ligada à geladeira, para resfriamento do mosto, e a outra é ligada à lâmpada, para o aquecimento. Uma destas duas saídas sempre estará acionada. Isso gera três problemas principais: Em primeiro lugar, a temperatura nunca irá se estabilizar, pois quando a geladeira desliga, a lâmpada é acionada imediatamente.O segundo problema é o consumo excessivo de energia elétrica, já que sempre haverá um equipamento ligado.O terceiro problema, decorrente dos dois anteriores, é o desgaste excessivo do equipamento. Sua consequência é a redução da vida útil, tanto da geladeira quanto da lâmpada. 2 - Utilizar dois controladores simples É possível utilizar também dois controladores simples para fazer o controle da temperatura no exemplo acima. Um dos controladores seria ligado à geladeira, acionando o compressor quando a temperatura do mosto estiver acima dos 18,3°C, por exemplo. O outro controlador seria ligado à lâmpada, que seria acionada quando a temperatura estiver abaixo dos 17,7°C, por exemplo. Como são dois controladores independentes, a estabilidade da temperatura não seria prejudicada, já que os equipamentos só seriam acionados quando necessário. O consumo de energia também não seria tão elevando quanto no caso anterior, já que haveria momentos em que tanto a geladeira quanto a lâmpada estariam desligadas. O problema desta solução é um custo inicial alto, já que é preciso adquirir dois controladores de temperatura. 3 - Utilizar um Controlador de Temperatura com Duplo Estágio A solução ideal para casos como o exemplo acima é a utilização de controladores com duplo estágio. Estes aparelhos (como o modelo Linha Black A103 da Ageon) possuem um sensor e duas saídas independentes. Cada uma das saídas pode possuir diferentes configurações de SetPoint (temperatura de controle) e pode funcionar nos modos de aquecimento ou refrigeração. No exemplo, um controlador duplo estágio teria uma saída ligada à geladeira, configurada para refrigeração. A outra saída seria ligada à lâmpada, configurada para aquecimento. Dessa forma, o controlador manteria a temperatura ideal, acionando os equipamentos apenas quando necessário, porém com um custo menor do que a aquisição de dois controladores simples. Além de controlar a temperatura de forma eficaz, um controlador duplo estágio possui ótimo custo-benefício para a aplicação, já que também evita o desgaste excessivo dos equipamentos. Sobre o controlador duplo estágio Linha Black A103 Se você procura um controlador de temperatura versátil, o modelo Linha Black A103 é a solução ideal. Pode ser utilizado tanto como como um controlador duplo estágio como controlador duplo, ou seja, o funcionamento de dois controladores em um só aparelho. Acesse o site da Ageon e conheça todos os recursos deste controlador.

Como escolher o melhor controlador para fabricação de cerveja artesanal?

16/09/2020 - Charcutaria e Homebrewing, Refrigeração
O controle de temperatura é essencial para atingir os melhores resultados em alguns processos da fabricação de cerveja artesanal. Por esse motivo é que mesmo pequenos entusiastas do homebrewing possuem controladores digitais em suas produções. No entanto, a diversidade de modelos disponíveis no mercado pode confundir e gerar dúvidas sobre qual o aparelho mais adequado para cada necessidade. É por isso que reunimos neste post os principais tipos de controladores para fabricação de cerveja artesanal. Qual o melhor controlador para fabricação cerveja artesanal? A resposta para esta pergunta varia de acordo com a necessidade de cada fabricante. Isso ocorre porque os termostatos digitais atuais costumam possuir outras funções além do controle de temperatura. Listamos abaixo os principais tipos de controladores para fabricação de cerveja e os modelos mais indicados para cada situação: Controlador de temperatura Simples - Aquecimento ou RefrigeraçãoControlador Duplo Estágio - Aquecimento e refrigeração em um aparelhoControlador de temperatura Duplo (2 em 1)Controlador com Rampa e Patamar Controlador de temperatura Simples - Aquecimento ou Refrigeração Apesar de existirem modelos de termostatos com funções extras, existem casos onde o fabricante precisa apenas controlar a temperatura e nada mais. Basta que a temperatura se mantenha sempre acima de 18°C, por exemplo. Para esses casos são indicados termostatos simples. Geralmente esse tipo de aparelho é utilizado durante o processo de fermentação, controlando a temperatura de uma geladeira. Em casos como esse é recomendado utilizar o controlador Linha Black A102, que possui um sensor de temperatura e uma saída a relé. Controlador Duplo Estágio - Aquecimento e refrigeração em um aparelho Em alguns casos, principalmente na região sul do Brasil, a variação de temperatura em um único dia pode ser muito grande. São comuns dias em que a temperatura ao amanhecer é próxima aos 10°C e no período da tarde ultrapassa os 25°C. Em situações como essa um controlador duplo estágio é a solução ideal. Controladores duplo estágio podem controlar simultaneamente um sistema de refrigeração e um sistema de aquecimento. Assim, durante o processo de fermentação, esse tipo de aparelho pode acionar uma geladeira caso a temperatura esteja muito alta, ou uma lâmpada caso a temperatura esteja muito baixa. O modelo de controlador de temperatura mais indicado para esta situação é o Linha Black A103, que possui a função duplo estágio, além de diversos outros modos de funcionamento. Controlador de temperatura Duplo (2 em 1) Um controlador de temperatura duplo possui a função de dois termostatos simples em um único aparelho. Ou seja, com um único controlador é possível controlar a temperatura de dois equipamentos diferentes. É possível utilizar o mesmo controlador em duas geladeiras, por exemplo. Cada uma das geladeiras seria controlada de forma independente, inclusive com temperaturas distintas, caso necessário. O modelo Linha Black A103 também é o controlador de temperatura ideal para este tipo de aplicação. Controlador com Rampa e Patamar Fabricantes mais experientes, com um processo de produção de cervejas mais complexas, necessitam de controladores com recursos adicionais. Durante a brassagem, alguns tipos de cerveja precisam atingir temperaturas específicas por determinados períodos de tempo. Por exemplo, existem receitas onde a temperatura deve ficar a 60°C por uma hora e em seguida ficar a 72°C por 10 minutos. Esse processo é conhecido como rampa e patamar. Um patamar consiste em uma temperatura específica por um período de tempo definido. O controlador Linha Prime K114 permite a configuração de até 8 patamares. Além do controle de temperatura, ainda podem ser configuradas pausas entre os patamares. Este modelo também possui uma saída para acionamento de uma bomba, que pode ser acionada de diferentes formas em cada patamar. Mais controladores de temperatura para fabricação de cerveja artesanal A Ageon possui uma série de produtos destinados para o mercado de equipamentos cervejeiros, incluindo opções com monitoramento online. Deseja conhecer outros modelos de controladores para fabricação de cerveja artesanal? Acesse nosso site e saiba mais.

Qual o melhor controlador de temperatura para refrigeração?

27/08/2020 - Refrigeração
Se você trabalha com refrigeração provavelmente já ficou em dúvida entre tantos modelos de controlador de temperatura disponíveis no mercado. São diversos aparelhos disponíveis, cada um com suas especificações e particularidades. Neste post vamos falar sobre como escolher o melhor controlador de temperatura para refrigeração. Tipos controladores de temperatura para refrigeração Em primeiro lugar é importante definir quais são os tipos de controladores utilizados para refrigeração. Refrigeração por si só é um termo bastante abrangente. Dentro do leque da refrigeração estão aplicações desde expositores de bebidas até câmaras frigoríficas, por exemplo. É justamente por isso que existem tantos modelos diferentes de controladores de temperatura para refrigeração. Neste post vamos dividir refrigeração nos seguintes grupos: Controladores de temperatura para resfriados (degelo natural)Controladores de temperatura para congelados (degelo elétrico ou gás)Controladores de temperatura para expositores de bebidas (geladeiras cervejeiras)Quadros de comando para câmaras frigoríficas Controladores de temperatura para resfriados (degelo natural) O termo "controlador para resfriados" é bastante comum no mercado da refrigeração. Geralmente ele se refere a aplicações cujo setpoint é pelo menos 2 °C a 5°C, ou seja, em que não há o congelamento. Por isso os sistemas de refrigeração destas aplicações utilizam degelo natural. Como o sistema de degelo dessas aplicações é natural, os controladores de temperatura para resfriados precisam de apenas uma saída para refrigeração. No entanto o controlador deve possuir duas funções principais. A primeira delas é justamente gerenciar o acionamento do compressor, por exemplo, para manter o equilíbrio térmico. A segunda função é gerenciar os períodos em que o compressor deve ficar desligado independente da temperatura para a realização do degelo. O modelo Linha Black A102 é um exemplo de controlador de temperatura para resfriados com saída para refrigeração e degelo natural. Além disso, o modelo A102 ainda possui a função Modo Econômico para a redução no consumo de energia. Controladores de temperatura para congelados (degelo elétrico ou gás) Diferente dos modelos citados acima, os controladores de temperatura para congelados são utilizados em aplicações com setpoint muito próximo ou abaixo de 0 °C, como balcões e ilhas de congelados, por exemplo. Nessas aplicações o degelo natural é insuficiente e por isso é necessário um sistema de degelo forçado, que pode ser elétrico ou por gás quente na maioria dos casos. Os controladores de temperatura para congelados precisam, portanto, fazer mais do que simplesmente acionar o compressor para manter a temperatura. O ciclo de funcionamento de um controlador para congelados é um pouco mais complexo. Como eles também são responsáveis pelo degelo, os controladores para congelados precisam de outras saídas. Além da saída para refrigeração, esses controladores também possuem uma saída para acionar o degelo forçado e outra saída para acionamento dos ventiladores. O controlador de temperatura Linha Black A106 é um modelo bastante indicado para balcões e ilhas de congelados, por exemplo. Até mesmo câmaras frigoríficas utilizam este modelo. Da mesma forma que o controlador A102, o modelo A106 também possuem a função Modo Econômico para economia de energia elétrica. Controladores de temperatura para expositores de bebidas (geladeiras cervejeiras) No ramo da refrigeração também é comum ouvirmos sobre controladores para expositores de bebidas ou controladores para geladeiras cervejeiras. De modo geral o funcionamento desses controladores se assemelha muito com o funcionamento dos controladores para congelados. No entanto existem algumas diferenças importantes para se considerar. Os controladores de temperatura para expositores de bebidas possuem mais saídas além das saídas para refrigeração, degelo e ventiladores. Esses controladores também possuem uma saída para a iluminação, já que esta é uma função importante para geladeiras expositoras de bebidas. Outra característica importante é o tamanho do display. Os controladores para geladeiras expositoras costumam possuir display maior já que dessa forma a visualização da temperatura à distância é facilitada. Seu formato também custuma ser diferente, permitindo a instalação diretamente na porta da geladeira expositora. Modelos como o controlador K116 BigDisplay possuem ainda outros recursos adicionais. A entrada digital para sensor de porta, por exemplo, permite que o controlador entre em Modo Econômico automaticamente depois de determinado tempo com a porta fechada. Outra característica importante também é o monitor de tensão, que proteje o equipamento em caso de flutuações na rede. Quadros de comando para câmaras frigoríficas Controladores para congelados podem ser utilizados também para câmaras frigoríficas. No entanto, como essas aplicações demandam diversos outros componentes adicionais, muitas vezes o controlador de temperatura é instalado em um quadro de comando junto a outros dispositivos. Além do controlador de temperatura, quadros de comando para câmaras frigoríficas possuem componentes auxiliares de proteção, como disjuntores, fusíveis, entre outros. A montagem desses quadros exige um tempo considerável e por isso surgiu o SmartSet Max, que oferece soluções completas em quadros de comando para câmaras frigoríficas. O SmartSet Max possui versões para congelados e resfriados, em diversas potências e com diversos dispositivos de proteção. Além disso, é possível escolher entre diversas opções e receber o quadro de comando pronto para instalação, de acordo com cada necessidade.

O que é a Parada por Recolhimento ou Pump Down na refrigeração?

12/08/2020 - Refrigeração
Você já ouviu falar em parada por recolhimento ou sistema pump down? Esse termo vem ganhando cada vez mais espaço no mundo da refrigeração, especialmente quando se trata de câmaras frigoríficas. Neste post vamos esclarecer o que é esta tecnologia e por quais motivos ela vem se tornando mais comum no mercado. Parada por Recolhimento ou sistema Pump Down: o que é? A maioria dos sistemas de refrigeração tradicionais funciona através de um controlador de temperatura comandando um compressor. Em resumo, o controlador identifica a temperatura do ambiente através de um sensor e utiliza os valores definidos no setpoint e na histerese para ligar ou desligar o compressor. Dessa forma, a temperatura é mantida dentro de uma faixa definida. Já na parada por recolhimento o sistema funciona de forma diferente. Apesar de o controlador de temperatura e o compressor continuarem presentes, existem outros dispositivos envolvidos no processo. A válvula solenoide, o tanque de recolhimento e o pressostato, por exemplo, são essenciais para que este tipo de sistema funcione. A parada por recolhimento (ou pump down) é, portanto, uma forma de gerenciar o acionamento do sistema de refrigeração em que o controlador de temperatura não aciona diretamente o compressor, mas sim uma válvula solenoide. Funcionamento da Parada por Recolhimento Imagine uma câmara frigorifica com o sistema de refrigeração acionado. O compressor faz com que o fluido pressurizado passe pelo condensador, onde perde calor para o ambiente externo. Em seguida, o fluido passa pela válvula de expansão, onde perde pressão e sua temperatura é reduzida. Ao passar pelo evaporador, esse fluido refrigerado troca calor com o ambiente interno da câmara, refrigerando o ambiente com o auxílio do ventilador. Depois disso, o processo se repete até que a temperatura da câmara frigorífica atinja o setpoint configurado. É justamente neste momento que as diferenças entre o processo tradicional e a parada por recolhimento começam a aparecer. No momento em que o setpoint é atingido, o controlador de temperatura não desliga o compressor diretamente. Ao invés disso, o controlador fecha uma válvula solenoide, impedindo que o fluido percorra a tubulação, passe pela válvula de expansão e chegue ao evaporador (conforme imagem abaixo). Acontece que o compressor continua funcionando mesmo com a válvula solenoide fechada. Assim, o fluido continua sendo retirado do evaporador e enviado ao condensador. Como a válvula solenoide está fechada, a pressão do fluido na linha anterior ao compressor diminui, enquanto a pressão do fluido na linha posterior ao compressor aumenta. Mas se a linha é interrompida pela solenoide e o fluido não é enviado novamente para a válvula de expansão, para onde ele vai? Bom, quando se utiliza parada por recolhimento é necessário um tanque de recolhimento na linha para armazenar o fluido quando a solenoide estiver fechada. Dessa forma, o fluido é praticamente retirado do lado de baixa pressão e transferido para o lado de alta pressão, e neste momento o compressor pode desligar. Na parada por recolhimento ou pump down os pressostatos são muito importantes. São eles que controlam o acionamento do compressor de acordo com a pressão na linha. Quando o lado de baixa atinge uma pressão menor do que um valor definido, o compressor desliga. Da mesma forma, quando o lado de alta atinge uma pressão maior do que a definida, o compressor desliga. Quando a temperatura na câmara frigorífica sobe novamente, o controlador de temperatura abre a válvula solenoide, o fluido passa pela válvula de expansão, a pressão no lado de baixa aumenta e o pressostato aciona o compressor outra vez. É assim que o controle de temperatura ocorre nos sistemas com parada por recolhimento. Uma das vantagens deste sistema é a retirada do fluido na linha anterior ao compressor, aumentando a eficiência e aumentando a vida útil do compressor. Quadro de comando para câmaras frigoríficas com sistema Pump Down Um quadro de comando com um controlador de temperatura eficiente é essencial para um bom sistema de refrigeração. Quando se trata de sistemas pump down ou parada por recolhimento, os dispositivos de proteção são ainda mais importantes. É por isso que a Ageon oferece o quadro de comando SmartSet Max. Além do controlador de temperatura integrado, o modelo completo do SmartSet Max possui uma série de componentes auxiliares para proteção do equipamento e aumento da vida útil do sistema: • Contator do compressor• Contator do degelo (versão para congelados)• Relé térmico para proteção do compressor• Fusíveis de proteção nas três fases• Régua de bornes para ligação dos equipamentos• Monitor eletrônico de tensão, monitorando subtensão, sobretensão, assimetria modular, falta de fase e inversão de fase (junto do controlador) Além da proteção do equipamento, o SmartSet Max completo está disponível em diversas versões de diferentes potências, tensão de alimentação e outras características. Selecione uma versão de acordo com a sua necessidade e receba o quadro de comando pronto para instalar.

Configurando um controlador de temperatura: Parâmetros Básicos

06/08/2020 - Aquecimento, Aquecimento Solar, Automação, Charcutaria e Homebrewing, Chocadeiras, Refrigeração
Quando falamos de controladores de temperatura alguns parâmetros são comuns a diversos modelos. Setpoint, histerese e calibração, por exemplo, são termos utilizados com frequência para nos referirmos a alguns dos principais ajustes a serem realizados no controlador antes de sua utilização. Neste post vamos apresentar os parâmetros básicos para a configuração de um controlador de temperatura e como configurá-los nos controladores Ageon. Setpoint - Temperatura de controleHisterese ou DiferencialRetardo na energizaçãoRetardo após acionamento ou desacionamento do reléCalibração do sensor de temperatura Setpoint - Temperatura de controle O setpoint é o mais básico de todos os parâmetros dos controladores de temperatura. Este parâmetro deve ser configurado com a temperatura na qual o sistema deve se manter ou, em outras palavras, a temperatura na qual o sistema de aquecimento ou refrigeração deve ser desligado. Se você possui uma câmara refrigerada e deseja que ela permaneça a 5°C, por exemplo, o setpont deve ser ajustado para 5°C. Na maioria dos controladores de temperatura Ageon o setpoint ajustado pode ser visualizado pressionando a tecla SET. Ainda com a tecla pressionada também é possível ajustar seu valor, utilizando as teclas Cima e Baixo para atingir o valor desejado. Histerese ou Diferencial Da mesma forma que o setpoint determina a temperatura na qual o sistema de aquecimento ou refrigeração é desativado, a histerese determina a temperatura na qual o sistema será ligado novamente. No entanto, a histerese é ajustada com um valor de temperatura absoluto, mas sim uma diferença em relação ao valor definido no setpoint. Voltando ao exemplo da câmara refrigerada em que definimos o setpoint em 5°C. Dessa forma, o compressor ficará acionado até que a temperatura atinja 5°C e então será desligado. Naturalmente, com o passar do tempo a temperatura tende a subir e em algum momento o compressor deve ser acionado novamente para que a temperatura volte à faixa desejada. Assim, caso desejarmos que a temperatura não ultrapasse 7°C, devemos ajustar a histerese para 2°C. Como se trata de uma diferença em relação ao setpoint, o compressor será desligado quando atingir o setpoint (5°C) e será ligado novamente quando atingir a histerese (7°C = 5°C + 2°C). Em grande parte dos controladores de temperatura Ageon a histerese pode ser ajustada no parâmetro r0 e permite valores de até 20°C. Se você deseja saber mais sobre este parâmetro, temos um post que fala exatamente sobre o que é a histerese em um controlador de temperatura. Vale ressaltar que os controladores com final PID (A103 PID, K103 PID, G103 PID) não possuem ajuste de histerese pois esses controladores estimulam a ação de controle ao menor desvio.  Retardo na energização Considere o momento em que a energia elétrica é reestabelecida após uma queda. Neste momento, vários equipamentos elétricos são ligados ao mesmo tempo, gerando um pico de corrente que pode danificar vários aparelhos. Para evitar o acionamento simultâneo dos equipamentos e prevenir os equipamentos dos picos de corrente os controladores de temperatura possuem um parâmetro de retardo. Este parâmetro permite configurar um tempo entre o acionamento do controlador e o acionamento da carga. Ou seja, se definirmos o retardo na energização em 1 minuto, a carga só será acionada 1 minuto depois que o controlador for energizado. Nos controladores Ageon o parâmetro r9 permite ajustar o retardo na energização do aparelho em até 20 minutos. Retardo após acionamento ou desacionamento do relé De modo geral os controladores de temperatura costumam acionar cargas através de relés. Esses dispositivos funcionam como interruptores eletromecânicos, que podem ser ligados ou desligados. No entanto, sua vida útil está diretamente relacionada à quantidade de acionamentos ou desacionamentos efetuados. Quanto maior a frequência de acionamentos e desacionamentos de um relé, menor será sua vida útil. Da mesma forma, as cargas acionadas pelo relé também podem ser prejudicadas caso essa frequência de acionamentos seja muito elevada. Por isso os controladores de temperatura possuem parâmetros de retardo após o acionamento e após o desacionamento do relé. Estes parâmetros funcionam da seguinte forma: Retardo após o acionamento do relé - O tempo mínimo em que o relé ficará ligado a cada acionamento, independente da temperatura. No exemplo da câmara refrigerada, caso definirmos esse parâmetro como 2 minutos, sempre que o compressor for acionado ele ficará acionado por pelo menos 2 minutos. Após esse tempo, caso o setpoint for atingido o compressor desliga. Caso contrário o compressor ficará acionado até que o setpoint seja atingido. Retardo após desacionamento do relé - Da mesma forma que o parâmetro anterior, este parâmetro determina o tempo mínimo que o relé ficará desligado a cada desacionamento. Voltando ao exemplo da câmara resfriada, caso definirmos este parâmetro como 1 minuto, sempre que o setpoint for atingido o relé ficará desligado por 1 minuto. Após esse tempo, se a temperatura for maior que a histerese o relé é acionado novamente. Caso contrário, permanecerá desligado até que a temperatura ultrapasse o valor da histerese. Em determinados modelos de controladores Ageon o retardo após o acionamento do relé pode ser ajustado no parâmetro C1, enquanto o retardo após o desacionamento do relé pode ser ajustado no parâmetro C2. Ambos os parâmetros permitem um retardo de até 20 minutos. Calibração do sensor de temperatura A temperatura exibida pelo display do controlador de temperatura está diferente da temperatura medida por um termômetro aferido? Todo instrumento de medição, independente da grandeza a ser medida, está sujeito a variações. Assim, se for verificado que o termostato apresenta uma diferença constante na temperatura, é possível ajustá-lo para corrigir esta diferença através do parâmetro de calibração do sensor. Ele permite a compensação em 15°C para mais ou para menos, anulando a discrepância entre os valores apresentados. Supondo que um controlador de temperatura está apresentando 12°C enquanto um termômetro aferido apresenta 10°C na mesma situação, é possível configurar o parâmetro de calibração do sensor em -2°C para que ambos os aparelhos exibam a mesma temperatura. A calibração do sensor pode ser realizada no parâmetro r9 da maioria dos controladores de temperatura Ageon. Se você deseja saber mais sobre a calibração do sensor, temos um post que explica como calibrar o sensor de temperatura do controlador. Recomendamos que a instalação e configuração dos controladores de temperatura seja realizada por um profissional qualificado. Em caso de dúvidas, o suporte técnico Ageon está disponível através do telefone (48) 3028-8878.