Tudo sobre controladores de temperatura e inversores de frequência

No Blog da Ageon você encontra dicas, vídeos e diversos artigos sobre controladores eletrônicos para automação, aquecimento, refrigeração e climatização

5 motivos para utilizar o SmartSet em câmaras frigoríficas

10/02/2021 - Refrigeração
O controle de temperatura em câmaras frigoríficas é essencial para assegurar que as mercadorias sejam armazenadas em condições adequadas. Uma falha no sistema de refrigeração pode causar prejuízos financeiros e até mesmo de saúde, caso não seja detectado. Neste cenário os termostatos se destacam, pois mantém a temperatura das câmaras estável e sob controle. A Ageon possui diversas linhas de termostatos digitais para as mais variadas aplicações. Entre eles está a série SmartSet, que possui controladores de temperatura projetados especificamente para câmaras frigoríficas.  Os controladores SmartSet possuem diversas vantagens em relação aos demais produtos do mercado, por isso reunimos abaixo 5 motivos para utilizá-los em suas câmaras. 1 - Design diferenciado O SmartSet apresenta uma estética diferenciada com display branco de 30mm que facilita a visualização à distância. Além disso, possui teclas de iluminação incorporadas ao painel, garantindo ainda mais praticidade. Sua instalação é simplificada e a interface intuitiva possibilita configurá-lo com rapidez. 2 - Dispensa quadros de comando Como foi desenvolvido especialmente para câmaras frigoríficas, a série SmartSet possui características para atender as necessidades deste segmento. Um exemplo é o amplo espaço interno que permite a instalação de componentes adicionais, como contatoras e disjuntores, dispensando a montagem de quadros de comando. 3 - Controle de degelo inteligente O SmartSet realiza também o controle de degelos nas câmaras frigoríficas de forma automática. Isso evita o acúmulo de gelo no aparelho, resultando em mais eficiência e economia de energia para o sistema de refrigeração. 4 - Modelos ONE e DUO A série SmartSet possui dois modelos específicos para câmaras frigoríficas. O modelos ONE  controla uma câmara, possui relógio em tempo real e alarme sonoro e visual. Já o modelo DUO pode controlar até duas câmaras simultaneamente, reduzindo custos e tempo de instalação. 5 - Monitoramento online O modelo SmartSet ONE S106 Web possibilita o monitoramento online atráves do ArcSys. Com ele é possível acompanhar a temperatura de sua câmara frigorífica a partir de um celular, tablet ou computador conectado à internet. Além de prático, este recurso permite alterar parâmetros, gerar relatórios e ainda programar alarmes por e-mail caso a temperatura saia da faixa programada, evitando a perda de mercadoria em caso de falhas. 6 – Bônus: Quadros de comando Smartset Max Além dos controladores SmartSet a Ageon lançou também sua versão mais robusta: a linha SmartSet Max. Ela é composta de quadros de comando para câmaras frigoríficas e conta com design exclusivo e display branco de 30mm para fácil visualização. Os quadros de comando SmartSet Max estão disponíveis em duas versões. A versão básica conta com controlador de temperatura embutido, gerenciamento de degelo e monitor de tensão incorporado. Possui um espaço interno ainda maior do que os controladores SmartSet citados acima e trilho DIN para instalação de componentes auxiliares. Já a versão mais completa do quadro de comando SmartSet Max possui todas as características do modelo básico e ainda disjuntor geral, contatores, relé térmico e fusíveis de proteção. Todos esses recursos são instalados diretamente na fábrica, facilitando a instalação. O SmartSet Max possui alarme visual e sonoro para indicar uma faixa de temperatura indesejada, monitor de tensão para possível desligamento automático do compressor, aviso de assimetria modular indesejada, erro falta de fases, erro de sequência de fase, erro de frequência de alimentação e aviso de relé térmico desarmado. É possível selecionar diversas opções de quadros de comando SmartSet Max. O cliente pode selecionar a potência (de 1,5 HP a 5 HP), a alimentação (monofásica ou trifásica), a tensão (220 V ou 380 V), o número de contatores (1 ou 2) e o tipo de câmara (resfriados ou congelados). Ou seja, além de ser um controlador completo, elegante e com diversas funcionalidades, o SmartSet Max protege o seu sistema e trás mais praticidade para técnicos e instaladores. *** Você utiliza câmaras frigoríficas? Já conhece o SmartSet ou SmartSet Max?

Filtragem da Piscina: economize tempo e dinheiro na instalação

03/02/2021 - Aquecimento Solar
Todo dono de piscina sabe que a filtragem é essencial. Além de eliminar a sujeira suspensa na água, este recurso também auxilia na diluição homogênea dos produtos químicos para que a água fique sempre limpa. É por isso que recomenda-se a filtragem da piscina diariamente. Acontece que realizar essa ação todos os dias de forma manual é bastante trabalhoso, certo? Isso sem contar a possibilidade de falha humana, em que a filtragem é esquecida e a qualidade da água decai com o tempo. Para resolver este problema existem maneiras de realizar a filtragem automaticamente com o auxílio de tecnologia. Temporizador ou timer: o jeito antigo de automatizar a filtragem da piscina Imagine que você possui uma piscina com um sistema de aquecimento solar. Além do controlador de temperatura, há algum tempo atrás os instaladores costumavam utilizar equipamentos adicionais para acionar a motobomba em intervalos de tempo específicos. Geralmente utilizava-se um temporizador (ou timer, como também é conhecido). Apesar de esses equipamentos cumprirem a função de automatizar a filtragem da piscina, a solução ainda precisava de melhorias. Isso porque, além dos custos de adquirir um equipamento extra, o instalador precisava instalar uma chave para acionamento manual da filtragem. O acionamento manual é necessário em situações como o tratamento químico da piscina, em que é preciso acionar a motobomba para que os produtos se diluam em toda a água. O processo de utilizar temporizadores para realizar a filtragem da piscina funcionava bem, mas seu custo era maior devido aos equipamentos e materiais adicionais que eram necessários, além do maior tempo de instalação. Ainda existia um problema relacionado ao acionamento manual, pois o usário poderia esquecer a bomba acionada por mais tempo que o necessário aumentando o consumo de energia elétrica. Controladores de Temperatura com filtragem: a solução ideal Atualmente os instaladores possuem recursos mais avançados que permitem realizar toda essa automação de forma muito mais rápida e barata. Seguindo o mesmo exemplo anterior, hoje é possível controlador uma piscina com sistema de aquecimento solar e filtragem utilizando apenas um controlador de temperatura. Para realizar esta função, basta utilizar um controlador de temperatura como o AutomaSol TDA, da Ageon. Além de controlar o sistema de aquecimento, esses controladores possuem uma saída extra. Esta saída funciona como algo próximo a um "temporizador embutido", ou seja, permite acionar a filtragem automaticamente em períodos específicos. Além disso, o AutomaSol TDA também permite o acionamento manual da filtragem com o simples toque de uma tecla em seu painel. Quando esta tecla é pressionada, a bomba fica ligada pelo tempo definido no parâmetro AP0, evitando que o desperdício de energia causado por manter a bomba ligada acima do tempo necessário. Utilizar o controlador AutomaSol TDA para controlar o aquecimento e a filtragem da piscina pode representar uma economia de tempo e dinheiro para o instalador, já que dispensa a utilização de um temporizador e dos demais materiais elétricos necessários no tópico anterior. Utilizando o controlador AutomaSol TDA para filtragem da piscina Se você quer reduzir o custo e o tempo de instalação de um controlador para a temperatura e a filtragem da piscina, listamos abaixo o passo a passo de como configurar a filtragem automática no AutomaSol TDA. Configure a saída auxiliar para para Filtragem Para ajustar a saída auxiliar do controlador para realizar a filtragem automática é preciso definir o parâmetro Rc0 = 2. Agende os horários de filtragem Para determinar os horários em que a filtragem deve ocorrer é preciso configurar eventos. O AutomaSol TDA permite até 4 agendas de eventos e cada evento deve ser configurado da seguinte forma:• Frequência do evento (FE1 a FE4): determina quais dias da semana a filtragem deve ocorrer;• Função do evento (FC1 a FC4): deve ser ajustado com o valor 2 para determinar o evento com filtragem;• Início do evento (Hn1 a Hn4): determina o horário de início da filtragem;• Fim do evento (HF1 a HF4): determina o horário de fim da filtragem. Defina o tempo de filtragem manual O controlador AutomaSol TDA permite que o usuário inicie a filtragem da piscina ao pressionar a tecla A/F em seu painel. Para determinar a duração da filtragem manual é preciso ajustar o parâmetro AP0 para a duração desejada (de 1 a 600 minutos). Deseja saber mais sobre os controladores de temperatura AutomaSol TDA? Entre em contato com nossa equipe e conhecça outras vantagens deste modelo para sistemas de aquecimento solar.

Inversores de Frequência: Qual a diferença de entradas NPN e PNP

28/01/2021 - Automação
Nos meios de comunicação do suporte técnico da Ageon chegam dúvidas como: "qual o tipo de entrada digital dos produtos Ageon?". Antes de qualquer contato, é preciso saber se a entrada digital é do tipo PNP ou NPN. Para responder essa dúvida de modo claro, reunimos abaixo informações sobre a diferença entre ambos tipos de entradas digitais e por fim o tipo de entrada que os produtos Ageon possuem. Como funcionam as entradas PNP?Como funcionam as entradas NPN?Níveis de tensãoComo usar a entrada NPN nos inversores Ageon? Como funcionam as entradas PNP? As entradas PNP possuem um valor de tensão de 0 V e para serem acionadas, recebem um valor positivo de tensão.  As entradas PNP -> O sinal de saída do sensor é positivo. Como funcionam as entradas NPN? As entradas NPN possuem um valor de tensão de alguns volts, como por exemplo, 5 V, 12 V, 24 V entre outros e quando são acionadas esse valor vai para 0 V, pois para que seu acionamento ocorra as mesmas são ligadas ao GND causando a queda de tensão. As entradas NPN -> O sinal de saída do sensor é negativo. Níveis de tensão Antes de qualquer coisa, vale se atentar aos níveis de tensão que variam de acordo com o fabricante do produto. Verifique pois existem tensões de 12V, 24V e 220V entre outros. Como usar a entrada NPN nos inversores Ageon? As entradas digitais dos inversores da Ageon são do tipo NPN, ou seja, caso o seu comando externo (CLP por exemplo) possua saída com sinal positivo, você precisará utilizar relés auxiliares para comandar as entradas do inversor. Sendo um relé para cada entrada digital. As saídas do CLP irão comandar as bobinas dos relés, enquanto o comum e o nA dos relés serão conectados nas entradas digitais que serão utilizadas no inversor. Lembrando que o pino 4 do inversor sempre será utilizado como referência de sinal, ou seja, conecte o pino 4 do inversor no comum do relé. Resumidamente, caso o seu sistema possua um sinal positivo de saída, não deve conectá-lo diretamente nas entradas digitais do inversor, pois isso poderá ocasionar danos irreversíveis, utilize relés auxiliares para corretamente acoplar o sinal. Preciso de ajuda do suporte Em primeiro lugar, verifique se você possui um produto Ageon. Se a resposta for sim, basta entrar em contato com nosso suporte técnico para receber o auxílio de nossa equipe. Ajudaremos a identificar e resolver o seu problema. A Ageon fabrica Controladores de Temperatura e Inversores de Frequência e neste ano completamos 20 anos de mercado. Depois de tanto tempo possuímos uma variada gama de produtos para diversas aplicações. Você quer conhecer produtos de qualidade, com tecnologia nacional e garantia direto de fábrica? Deixe seu comentário abaixo ou acesse nosso site clicando aqui.

A bomba de circulação da piscina ou do boiler não liga. E agora?

21/01/2021 - Aquecimento Solar
Como visto em outros posts aqui do blog, a Ageon fabrica controladores próprios para aquecimento solar, tais como: Automasol TDI, Automasol TDA, A108, H108, G108 e Solar Touch. Eles saem de fábrica pré-programados para uso, ou seja, basta ligá-lo à rede elétrica e à bomba de circulação que o sistema irá funcionar no primeiro uso. Contudo, nossa equipe de suporte técnico recebe contatos de clientes relatando a seguinte situação: "a bomba de circulação do meu sistema de aquecimento solar não liga. E agora?" Reunimos abaixo alguns dos motivos mais comuns para a bomba de circulação não ligar, seja em sistemas de aquecimento solar para piscinas ou para boilers. Display apresentando E01 ou E02Temperatura do reservatório ou da piscina maior que o Setpoint (Parâmetro P2)Parâmetros de proteção do controladorProblema no posicionamento do sensorEmenda do sensor alterando o valor de temperatura medida Display apresentando E01 ou E02 Causa: O controlador acusa o E1 ou E01 quando o sensor 1 está desconectado e E2 ou E02 quando o sensor 2 está desconectado. Se qualquer sensor estiver desconectado, por questões de segurança, a bomba não liga. Como resolver: Para resolver esse problema, a solução é simples: verifique a instalação dos sensores nos terminais do controlador. Cada controlador possui um esquema de ligação diferente, porém deve-se seguir o esquema conforme o manual. Segue um exemplo de instalação, do controlador Automasol TDI: Lembrando que na maioria das instalações os sensores possuem uma emenda no cabo, então o problema de ausência de conexão do sensor pode estar na instalação, nos bornes ou na própria emenda do cabo. Temperatura do reservatório ou da piscina maior que o Setpoint (Parâmetro P2) Todos os controladores para aquecimento solar da Ageon, citados anteriormente, possuem uma temperatura de setpoint máxima para ligar a bomba, ou seja, há uma temperatura máxima preestabelecida para o sensor 2 (que fica na piscina ou no reservatório), e se por ventura a mesma seja alcançada, a bomba não irá ligar, mesmo havendo bastante incidência solar. Esse setpoint seria o parâmetro P2, que na maioria dos controladores é pré-configurado para 30 °C, ou seja, o valor para que a piscina ou reservatório alcance no máximo 30 °C. Como Identificar: Portanto, se a bomba não estiver ligando, faça uma comparação entre a sua temperatura real no sensor 2 e o parâmetro P2. Caso necessário, aumente a temperatura no parâmetro P2, assim a bomba vai trabalhar mais e o reservatório ou a piscina irá alcançar uma temperatura maior. Contudo se a piscina ou boiler estiver muito quente, basta diminuir no parâmetro P2. Na maioria dos controladores, basta segurar as teclas “cima” e “baixo” ao mesmo tempo até aparecer “Cd” na tela, para configurar a tabela de parâmetros. “Cd” seria o código de desbloqueio, nele é necessário colocar o valor 28. Após colocar “Cd = 28”, é possível configurar todos os parâmetros, como o P2. Lembrando que em alguns modelos de controladores, como o Automasol TDI e o A108, o parâmetro P2 pode ser alterado também na tela inicial do controlador através da tecla “SET” + setas “cima” e “baixo”, que seria o setpoint. Parâmetros de proteção do controlador Todo controlador da Ageon específico para aquecimento solar possui diversos parâmetros de proteção, esses parâmetros servem para que o sistema funcione corretamente sem que nenhum elemento seja danificado devido a uma possível alta temperatura. Existem certas proteções no controlador que, quando ativas, impedem que a bomba ligue. Um exemplo de proteção é o parâmetro P2 citado anteriormente neste post, que seria a temperatura máxima programada para a piscina ou reservatório. Porém existem outros parâmetros que também podem impedir que a bomba ligue, como o parâmetro P1, que seria a proteção de temperatura máxima nos coletores solares. Este parâmetro serve basicamente para impedir que a bomba ligue caso a temperatura da água nos coletores seja maior que a temperatura suportada pela tubulação da residência. No geral, instalações que possuem canos de PVC, suportam água com temperatura na faixa entre 50 e 60 ºC, e caso a temperatura na água do coletor esteja com, por exemplo, 80 ºC, o cano poderá romper, ocasionando um severo vazamento. Portanto, caso a bomba não esteja ligando e os procedimentos citados anteriormente neste post tenham sido seguidos, compare as temperaturas reais nos sensores 1 e 2 com os parâmetros de proteção do controlador, que na sua maioria possuem a nomenclatura “P”, como por exemplo P1, P2, P3 e etc. Problema no posicionamento do sensor A bomba de circulação entre coletor solar e piscina ou reservatório, funciona através da diferença de temperatura entre dois sensores, sendo eles: o sensor 1 que fica nas placas solares (coletores) e o sensor 2 que fica na tubulação da piscina ou boiler. Porém, é fundamental que esses sensores estejam bem posicionados, caso contrário, a bomba não irá funcionar corretamente. Causa: Acompanhamos diversas instalações na qual o sensor 2 estava posicionado no lado de fora do cano e enrolado com uma fita isolante. Esse é um modo incorreto de posicionar o sensor pois, dessa maneira, o sensor acaba por não conseguir medir a temperatura da água na tubulação e sim a temperatura externa do cano, que no geral é a casa de máquinas do boiler ou piscina (que na maioria do tempo está sempre muito quente, perto dos 35 ºC). Esse é um fator que faz com que o sensor 2 acabe por sempre mostrar uma temperatura entre 30 e 35 ºC, porém a água da piscina ou reservatório está fria. Como identificar: Quanto menos isolado o sensor estiver na tubulação, maior será a diferença de temperatura real da água comparado com a temperatura de visualização do sensor 2 no controlador. É comum os clientes alegarem que a piscina ou reservatório está fria, perto dos 24 ºC, e o sensor 2 marcar perto dos 32 ºC. Isso ocorre devido justamente ao mal posicionamento do sensor. Como resolver esse problema? Para um bom funcionamento do sistema, o sensor 2 precisa medir com a maior precisão possível a temperatura da água que está passando na tubulação. Para resolver o problema de posicionamento de sensor, existe uma solução que seria utilizar poço termométrico, também chamado de luva térmica. O poço termométrico é basicamente uma junção de cano com alta capacidade de condução de temperatura, que possui um nicho para posicionar o sensor. Sendo corretamente posicionado nesse nicho, o sensor irá medir a temperatura com precisão. Lembrando que além de utilizar o poço, deve-se utilizar um isolante térmico (como uma espuma térmica) para isolar bem a abertura do nicho onde o sensor se posiciona. Emenda do sensor alterando o valor de temperatura medida Os sensores de temperatura dos controladores da Ageon são do tipo NTC. O sensor NTC basicamente possui um valor de resistência, em Ohms, que se alterna conforme a temperatura na sua base. Portanto, a todo momento o controlador mede essa resistência do sensor a fim de gerar um valor de temperatura. Praticamente em todas as instalações de aquecimento solar, os instaladores efetuam uma emenda no cabo dos sensores para poder colocá-los em locais mais distantes do controlador. Dependendo do tipo de cabo utilizado ou a forma como será emendado, poderá haver uma variação no valor de resistência do conjunto (cabo + emenda) fazendo com que a temperatura medida pelo controlador seja diferente da real. Causa: Em diversos acompanhamentos de instaladores e clientes finais, viu-se que a temperatura do sensor 2 no controlador estava com um valor muito acima do real devido a utilização de um cabo inadequado para a emenda, fazendo com que a bomba não ligue em nenhum momento. Como identificar: Para fazer uma comparação de temperatura do sensor com e sem emenda, a Ageon recomenda efetuar um teste utilizando um copo de água com temperatura ambiente. O teste é simples, coloque o sensor sem emenda dentro do copo de água e veja qual temperatura marca, em seguida acrescente a emenda no sensor, coloque dentro do copo novamente e veja qual temperatura está marcando. Caso as duas temperaturas sejam parecidas ou próximas, significa que a emenda está adequada. Como resolver: Para efetuar uma boa emenda no sensor, utilize cabos PP de cobre puro com bitola de 0,75 mm² ou 1 mm². Esses tamanhos são adequados para ter uma emenda firme sem que a resistência do cabo influencie no valor da temperatura.O que achou deste post? Quer saber mais sobre os controladores para aquecimento solar Ageon? Caso não tenha solucionado suas dúvidas com este artigo, entre em contato com nossa equipe de suporte técnico ou deixe seu comentário abaixo:

Dúvidas frequentes sobre inversores de frequência

13/01/2021 - Automação
Depois de anos inseridos no mercado de inversores de frequência, o suporte técnico da Ageon identificou algumas dúvidas frequentes relacionadas a esses equipamentos. Dessa forma, reunimos abaixo alguns tópicos que irão ajudar a solucionar estes principais questionamentos sobre os inversores. Por que o motor trifásico perde torque em baixa rotação?Por que o motor esquenta em baixa rotação?Como configurar E05 - Sobrecarga?Por que o inversor não consegue partir o motor?Por que não devo utilizar o contator na saída do motor?Qual é o tipo de entradas digitais dos inversores de frequência da Ageon? Por que o motor trifásico perde torque em baixa rotação? Problema: É comum a utilização do inversor no sistema, pois permite a variação de velocidade. Contudo existem casos que acontece a diminuição excessiva da velocidade do motor, ocorrendo perda de torque e consequentemente o enfraquecimento do equipamento não atendendo a aplicação. Os motores possuem um torque relacionado ao V/F (tensão e frequência) onde ao diminuir a velocidade, acaba diminuindo o torque. No geral, velocidades abaixo de 50% da nominal, fazem com o que motor tenha uma perda muito significativa de torque, podendo ocasionar até travamento de eixo. Solução: Deve-se trabalhar no limiar de velocidade indicado pelo fabricante (no geral, 20% acima ou abaixo da nominal), caso necessário utilize motorredutores, a fim de manter uma velocidade alta no motor porém o sistema final terá uma rotação mais baixa. Dessa maneira, o sistema terá um bom rendimento, além de manter o motor refrigerado. Por que o motor esquenta em baixa rotação? Problema: No geral, os motores trifásicos de gaiola são auto refrigerados, pois possuem uma hélice na parte traseira, ou seja, com a própria rotação do eixo há uma circulação de ar no interior do motor, gerando uma refrigeração própria. Portanto, quanto menor a velocidade do motor, menor será sua auto refrigeração. Caso seja utilizado uma velocidade muito baixa durante um grande intervalo de tempo, o equipamento poderá ter problemas de superaquecimento, causando danos irreparáveis.Solução: Existem meios que previnem o superaquecimento, como o correto dimensionamento da carcaça ou a instalação de um sistema de ventilação externo. De modo geral, velocidades abaixo de 40% da rotação nominal causam superaquecimento, contudo, para ter uma especificação mais precisa e exata, deve-se entrar em contato com o fabricante do motor. Como configurar E05 - Sobrecarga? Problema: E05 - Sobrecarga na função corrente x tempo (P51). Causa: Os motores elétricos necessitam de proteções térmicas como relés de sobrecarga, fusíveis, entre outros, para evitar correntes muito altas no motor.Solução: O E05 ocorre quando a corrente no motor ultrapassa o valor que foi previamente programado no parâmetro P51 do inversor da Ageon, permitindo a proteção de sobrecaga. Cada motor possui um valor diferente de corrente nominal e fator de serviço. O parâmetro P51 deve ser configurado da seguinte maneira: Inom (corrente nominal do motor) x Fs (Fator de serviço).Apenas para esclarecimeneto, a IEC 60034-1 determina o fator de serviço como referente a reserva técnica de potência de um motor, ou seja, a capacidade de sobrecarga contínua sem dano ao mesmo. Quando necessário, pode-se utilizar essa reserva, porém deve-se atentar a diferença entre o fator de serviço e a capacidade de sobrecarga momentânea, que são variáveis diferentes.Para configurar o parâmetro P51, tomemos como exemplo um motor com as seguintes especificações:A programação correta do P51 faz com que o inversor faça a proteção térmica do motor através da corrente. Ou seja, impede o inversor entregar para o motor uma corrente maior que a nominal. Caso a corrente ultrapasse a nominal, o inversor irá acusar E05Não resolveu? Se mesmo após efetuar essa configuração no P51, o seu inversor continuar a apresentar E05, os seguintes cenários podem estar ocorrendo:A carga é muito alta para o motor - O E05 pode ocorrer caso o motor não suporte a carga que está sendo aplicada ao seu eixo. Nesse caso, a solução é aumentar a potência do motor, consequentemente a do inversor também.O motor está com defeito - Existem motores que, depois de um tempo, acabam tendo problema no seu rolamento e passam a consumir muita corrente, sendo necessária uma manutenção ou troca do mesmo. Por que o inversor não consegue partir o motor? Problema: Rampas muito curtas fazem com que a corrente seja elevada, atuando nas proteções do inversor. E as rampas extensas também atuam na proteção devido a corrente ficar elevada durante um longo período de tempo.Solução: Durante o comissionamento e start-up do sistema, o técnico responsável deve testar quais valores de rampa funcionam adequadamente baseando-se no seu sistema, motor e característica da carga, como por exemplo a inércia. Por que não devo utilizar o contator na saída do motor? Problema: É comum vermos o uso do contator na saída do inversor de frequência, que é algo incorreto.Causa: O inversor de frequência já possui os meios necessários para acionamento e desacionamento do motor, tornando desnecessário a utilização de alguma chave seccionadora, contator ou relé de sobrecarga. O que pode ser colocado como proteção, são fusíveis do tipo gR e gS os quais são indicados para proteção de componentes eletrônicos ou disjuntor motor. Qual é o tipo de entradas digitais dos inversores de frequência da Ageon? As entradas digitais dos inversores da Ageon são do tipo NPN, ou seja, caso o seu comando externo (CLP por exemplo) possua saída com sinal positivo, você precisará utilizar relés auxiliares para comandar as entradas do inversor. Sendo um relé para cada entrada digital.As saídas do CLP irão comandar as bobinas dos relés, enquanto o comum e o nA dos relés serão conectados nas entradas digitais que serão utilizadas no inversor. Lembrando que o pino 4 do inversor sempre será utilizado como referência de sinal, ou seja, conecte o pino 4 do inversor no comum do relé.Resumidamente, caso o seu sistema possua um sinal positivo de saída, não deve conectá-lo diretamente nas entradas digitais do inversor, pois isso poderá ocasionar danos irreversíveis, utilize relés auxiliares para corretamente acoplar o sinal. Possuo outras dúvidas sobre os inversores de frequência. E agora? Em primeiro lugar, verifique se você possui um inversor de frequência Ageon. Se a resposta for sim, basta entrar em contato com nosso suporte técnico para receber o auxílio de nossa equipe. Ajudaremos a identificar e resolver o seu problema. Caso seu inversor não seja Ageon, esta é a hora de nos conhecer. Trabalhamos com linhas de inversores distintas, cada uma com suas características: a Série XF possui IHM incorporada e design compacto; a Série YF possui IHM destacável e modelos com potenciômetro incorporado; a Linha IRX Pro possui duas opções de IHM (sobrepor ou embutir) é indicada para climatizadores evaporativos; a Linha IEX70 Pro é destinada exclusivamente às esteiras ergométricas profissionais. Entre em contato conosco e saiba mais sobre nossos inversores de frequência

Como Aumentar a Taxa de Eclosão da Chocadeira?

16/12/2020 - Chocadeiras
A incubação artificial ou chocadeira é uma tecnologia amplamente utilizada na avicultura. Uma quantidade significativa de ovos pode ser incubada em chocadeiras elétricas por meio dessa técnica, possibilitando uma maior eficiência reprodutiva. Ou seja, não basta apenas possuir uma chocadeira, são necessários alguns cuidados como a coleta e o armazenamento de ovos para atingir uma alta taxa de eclosão. Diversos estudos recomendam que a coleta dos ovos seja realizada pelo menos cinco vezes por dia. Quanto maior o número de coletas, maior a possibilidade de obter ovos de qualidade, uma vez que reduzirá o número de trincados e quebrados devido ao ambiente e, consequentemente a contaminação. Primeiros passos para aumentar a taxa de eclosão Manter a limpeza do ninho para a postura da galinha.Verificar com frequência se há ovos nos ninhos.Coletar os ovos e colocar em bandejas plásticas com a ponta fina do ovo para baixo. Manter as bandejas com os ovos em local fresco, arejado, sem incidência direta do sol por no máximo cinco dias.Transportar os ovos com o mínimo de impacto até o local de incubação. Recomenda-se que a coleta de ovos seja realizada com as mãos limpas e desinfetadas.Realizar a ovoscopia para a inspeção interna do ovo com o uso de uma fonte de iluminação (ovoscópio) em um ambiente escuro. Este procedimento auxilia na identificação de rachaduras e ovos inférteis.Acondicionar os ovos na chocadeira previamente regulada e testada. Fatores que influenciam na taxa de eclosão Incidência de sol Cuidado com a incidência de sol na chocadeira. A incidência solar causa o aquecimento descontrolado e indesejado da chocadeira. Local de instalação da chocadeira Evitar colocar a chocadeira em locais onde ocorre variação brusca da temperatura. As variações bruscas de temperatura podem alterar internamente a temperatura de uma chocadeira, principalmente quando os dias são muito quentes e as noites muito frias. Fontes de calor Cuidados com outras fontes de calor. Um cooler muito grande (de maior potência/capacidade), por exemplo, gera calor ao mesmo tempo em que ventila, atrapalhando o controle de temperatura. Gerador de umidade Os geradores de umidade forçados por resistências necessitam esquentar a água para obter a vaporização, elevando diretamente a temperatura interna da chocadeira. Se possível utilize geradores de umidade ultrassônicos pois eles conseguem fazer a névoa sem elevar drasticamente a temperatura da chocadeira. Calibração O termostato corretamente calibrado é fator importante para a correta leitura e controle da temperatura. Observamos o uso de termômetros para humanos (febre) sendo que este não é o modelo mais indicado para esta aplicação, pois possuem um sistema de retenção do fluxo do mercúrio. É por isso que temos que balançar o termômetro antes de usar, forçando a volta do mercúrio. Aumente sua taxa de eclosão com Controladores de Temperatura mais precisos Se você possui ou trabalha com chocadeiras automáticas, você sabe que a temperatura é um fator determinante para a eficiência do equipamento e resulta em muito mais precisão e estabilidade. Por isso, escolher o controlador correto é essencial para obter uma taxa de eclosão maior. A Ageon possui diversos modelos de controladores de temperatura para chocadeiras e incubadoras. O modelo Linha Black A103 PID, por exemplo, possui controle PID de temperatura. Além disso, possui uma saída para acionamento do motor de viragem dos ovos de forma automática. Com o parâmetro de ajuste automático, o controlador A103 PID permite configurar automaticamente o controle PID para cada chocadeira específica, de acordo com seu tamanho, potência da resistência, entre outras variáveis. Praticidade e precisão para elevar a taxa de eclosão. Já o modelo K103 PID U possui todas as características do modelo anterior, mas possui ainda uma saída para controle de umidade. Isso permite eficiência máxima na chocadeira, controlando temperatura, umidade e viragem dos ovos em um único aparelho. Entre em contato conosco e saiba mais sobre nossos controladores para chocadeiras.

FanSpeed: Controle de velocidade dos ventiladores pela pressão do fluído

09/12/2020 - Refrigeração
Você já precisou controlar a velocidade dos ventiladores do condensador em um sistema de refrigeração? Em muitos casos são ventiladores monofásicos e o controle deve ser feito de acordo com a pressão do fluido refrigerante. Parece complicado? Por isso criamos este post para esclarecer este assunto e demonstrar como é possível controlar a velocidade dos ventiladores utilizando o FanSpeed. Por que controlar a velocidade dos ventiladores? Primeiramente precisamos relembrar a relação entre pressão e temperatura. Quando falamos de sistemas de refrigeração, geralmente nos referimos a um sistema que possui compressão e expansão de um fluido para a troca de calor com o ambiente interno e externo, respectivamente. Em outras palavras, a pressão do fluido refrigerante aliado com a troca de calor com o ambiente impacta diretamente na eficiência do sistema. Acontece que, dependendo da temperatura externa, o sistema de refrigeração pode necessitar de mais ou menos troca de calor para atingir o mesmo resultado. Em dias mais quentes, por exemplo, a troca de calor deve ser mais intensa e os ventiladores devem atuar em velocidades maiores para que a pressão do fluido não se eleve demais. Em dia mais frios, no entanto, a troca de calor pode ser reduzida e os ventiladores devem atuar em velocidades menores para que a pressão do fluido não fique abaixo do ideal. Quando os ventiladores não atuam corretamente, em dias quentes a refrigeração pode ser insuficiente, enquanto em dias frios há risco de congelamento do evaporador. Para evitar ambas as situações existem equipamentos que controlam a velocidade dos ventiladores de acordo com a pressão do fluido refrigerante. Como existe a relação entre pressão e temperatura, é possível determinar a velocidade ideal dos ventiladores para que o fluido se mantenha a uma pressão estável. Isso faz com que o sistema de refrigeração atue de forma mais eficiente e ao mesmo tempo auxilia na prevenção contra o congelamento do evaporador. Controlador de condensação FanSpeed A Ageon desenvolveu uma solução especialmente para controle da velocidade de ventiladores monofásicos com base em um valor de pressão. Trata-se do FanSpeed, um controlador de condensação indicado principalmente para sistemas de refrigeração e centrais de ar condicionado. O FanSpeed identifica a pressão do fluido refrigerante através de um transdutor de pressão e varia a velocidade dos ventiladores utilizando um controle PD. Dessa forma, o FanSpeed atua para manter a pressão do fluido em um valor estável de acordo com o setpoint configurado, aumentando a eficiência do sistema e evitando o congelamento do evaporador. O controlador de condensação FanSpeed possui entrada analógica para sensor ou transdutor de diferentes níveis de sinais (4 a 20) mA, (1 a 5) V, (0 a 10) V ou (0,5 a 4,5) V, mas também é possível adquirir o conjunto completo (FanSpeed e transdutor). Permite acionar motores monofásicos de até 8 A, com tensão máxima de saída equivalente a 97% da tensão da rede. Além disso, possui manômetro digital incorporado, dispensando o uso de manômetros externos. Deseja saber mais sobre os controladores de condensação FanSpeed? Entre em contato conosco.

Qual é o custo de usar uma chocadeira elétrica ruim?

02/12/2020 - Chocadeiras
Muitos criadores iniciantes não possuem muitos recursos para começar seu negócio. Dessa forma, acabam buscando por chocadeiras baratas para iniciar a produção. Independente do preço, uma chocadeira elétrica ruim ou mal projetada cotuma ser pouco eficiente e pode resultar em prejuízos para o produtor. Por isso reunimos neste post algumas dicas que ensinam a verificar a eficiência da chocadeira e qual o custo de utilizar uma chocadeira ruim. Como saber se minha chocadeira elétrica é eficiente?Quais são os custos envolvidos na chocagem?Como calcular minhas perdas com a chocadeira?Quais fatores impactam na eficiência da chocadeira? Como saber se minha chocadeira elétrica é eficiente? Em primeiro lugar é importante saber o quão eficiente é sua chocadeira. O principal indicador de eficiência desses equipamentos é a taxa de eclosão, ou seja, o percentual de ovos que de fato eclodem em comparação com o total de ovos incubados. Identificar a taxa de eclosão da chocadeira é o primeiro passo para melhorar sua produção. Existe um cálculo para determinar a taxa de eclosão da chocadeira elétrica considerando pintinhos nascidos e ovos incubados. No entanto, caso você queira uma maneira fácil de determinar isso, você pode utilizar nossa Calculadora de Taxa de Eclosão. Quais são os custos envolvidos na chocagem? Em resumo, os custos de uma chocagem de ovos estão relacionados à compra dos ovos, à energia elétrica gasta pela chocadeira, aos funcionários (se houver), entre outros. Para facilitar o cálculo, neste post vamos considerar um dos custos mais relevantes para os produtores: o investimento em ovos galados. É importante ressaltar que o valor dos ovos galados possui grande variação de acordo com a raça da ave e com a região. Saber o preço médio do ovo galado é essencial para saber quanto dinheiro você perde se sua chocadeira não for eficiente. Como calcular minhas perdas com a chocadeira? Você sabe quanto dinheiro perde em cada chocagem na sua chocadeira elétrica? Já que você calculou a taxa de eclosão e o valor do ovo galado, é possível estimar quanto a ineficiência da chocadeira impacta no seu ganho financeiro. Para facilitar as coisas, criamos uma calculadora especial que você pode conferir logo abaixo. Quanto custa uma Chocadeira ruim? Preencha os campos abaixo com o valor médio do ovo galado (em reais), com a taxa de eclosão de sua chocadeira e com o valor médio de venda das aves (em reais). Você verá qual sua perda aproximada por chocagem. Quanto você paga pelos ovos galados? R$ 12 ovos 24 ovos 30 ovos 36 ovos 100 ovos Qual a taxa de eclosão da sua chocadeira? (Não sabe como calcular? Clique aqui) % Qual a capacidade da sua chocadeira? Ovos Por qual valor você vende cada ave? R$ Calcular Perdas A cada chocagem, você ganha O que é um bom valor, certo? Se descontarmos o valor investido na compra dos ovos () ainda sobram de lucro. Mas você também deixa de ganhar se consideramos ovos que não eclodiram devido à sua taxa de eclosão. Ou seja, se você melhorar a taxa de eclosão da chocadeira, você pode aumentar seus lucros. Compartilhe: Você tem certeza de que suas informações estão corretas? Ao que parece sua chocadeira não está dando muito lucro... Revise suas informações e reveja seus preços de compra e vendas para ter certeza de que não está ficando no prejuízo. Parabéns! Sua chocadeira não apresenta perdas e seus resultados estão excelentes. function customCalc(){ var valorOvos = $('#customInput01').val(); var numOvos = $('#customInput02').val(); var eclosao = $('#customInput03').val(); var capacidade = $('#customInput04').val(); var valorUnVenda = $('#customInput05').val(); var valorUn = valorOvos / numOvos; var ovosSucesso = capacidade * eclosao / 100; var ovosPerda = capacidade - ovosSucesso; var valorCompra = valorUn * capacidade; var valorVendas = ovosSucesso * valorUnVenda; var valorPerdas = ovosPerda * valorUnVenda; var valorLucro = valorVendas - valorCompra; if((valorLucro > 0) && (valorPerdas > 0)){ $('#customResultSuccess').addClass('d-none'); $('#customResultError').addClass('d-none'); $('#customResult').removeClass('d-none'); $('#customResult').removeClass('d-none'); $('#customResult1').html(currency(valorVendas)); $('#customResult2').html(currency(valorCompra)); $('#customResult3').html(currency(valorLucro)); $('#customResult4').html(currency(valorPerdas)); $('#customResult5').html(ovosPerda); } else if(valorLucro

Monitoramento de temperatura de vacinas com o ArcSys

25/11/2020 - Refrigeração
As preocupações com a cadeia de distribuição de vacinas vêm aumentando com a proximidade de liberação de uma vacina contra a COVID-19. Cada tipo de vacina deve ser transportado e armazenado em temperaturas distintas de acordo com as recomendações do fabricante. Para garantir que estes materiais permaneceram sempre em condições ideais, os sistemas de monitoramento de temperatura estão cada vez mais presentes neste mercado. Por que monitorar a temperatura de câmaras de vacinas? Existem pelo menos duas boas razões para monitorar a temperatura de câmaras de vacinas: segurança e economia. Em primeiro lugar, os sistemas de monitoramento de temperatura geralmente permitem identificar se os materiais foram armazenados na temperatura ideal. Da mesma forma, também é possível verificar por quanto tempo as vacinas ficaram fora das condições ideais, caso isso ocorra. Isso tudo garante que somente as vacinas armazenadas em condições de temperatura adequadas sejam utilizadas, ou seja, garante mais segurança aos pacientes. Em segundo lugar, um sistema de monitoramento de temperatura gera economia evitando a perda de mercadoria. Os alarmes de um sistema de monitoramento permitem identificar falhas no sistema de refrigeração, alertando os usuários de que as vacinas estão fora da faixa de temperatura ideal. Isso permite realizar ações para que as vacinas permaneçam o menor tempo possível fora das condições ideais. Quando ocorre uma falha e não há um sistema de monitoramento de temperatura, a probabilidade de perder todas as vacinas da câmara é bastante alta e o prejuízo é quase certo. Monitoramento de temperatura com o ArcSys para Câmaras de Vacinas No último domingo (22/11/2020), o programa Fantástico veiculou uma matéria citando os desafios de transportar e armazenar as vacinas contra COVID-19. A matéria exibe diversas etapas deste processo, e em um dos momentos é é possível visualizar o controlador de temperatura K102 Web. O controlador K102 Web aliado ao sistema de monitoramento ArcSys permite supervisionar a temperatura de câmaras de vacinas em tempo real. Com esses equipamentos é possível gerar gráficos e relatórios, alterar parâmetros e configurar alarmes em caso de falhas. Conheça essas e outras vantagens do ArcSys entrando em contato conosco.

O que é um controlador de temperatura duplo estágio?

18/11/2020 - Aquecimento, Automação, Charcutaria e Homebrewing, Refrigeração
Existem muitas aplicações em que um controlador de temperatura comum é insuficiente para manter a temperatura em uma faixa desejável. Por isso existem no mercado controladores com recursos extras e funções mais inteligentes. Esse é o caso dos controladores duplo estágio, por exemplo. Se você não conhece esse tipo de controlador, saiba que em muitos casos ele pode fazer o papel de dois controladores ao mesmo tempo. O que é um controlador Duplo Estágio? Em resumo, os controladores duplo estágio permitem o controle de dois pontos na escala de temperatura. Em outras palavras, é possível configurar dois setpoints e acionar duas cargas distintas e independentes utilizando o mesmo aparelho. Para entender o funcionamento de um termostato duplo estágio é importante primeiramente entender o funcionamento de um termostato comum. A maioria dos controladores de temperatura digitais aciona ou desliga um relé de acordo com uma temperatura predeterminada (setpoint). Em sistemas de refrigeração o controlador aciona o relé quando a temperatura está acima do setpoint, enquanto em sistemas de aquecimento o controlador aciona o relé quando a temperatura está abaixo do setpoint. Os controladores duplo estágio (ou de dois estágios, como também são conhecidos) funcionam de forma diferente. Eles possuem duas saídas a relé e cada uma delas possui suas configurações independentes de setpoint e função (aquecimento ou refrigeração). Na prática, isso significa que um controlador duplo estágio pode ser configurado para acionar um sistema de refrigeração quando a temperatura estiver muito alta e um sistema de aquecimento quando a temperatura estiver muito baixa, por exemplo. Um controlador que vale por dois Os controladores de temperatura duplo estágio são indicados para uma série de situações. Listamos abaixo alguns exemplos em que um só controlador como este pode substituir dois controladores comuns: Um aquário em que a água deve permanecer sempre entre 25°C e 30°C, acionando as ventoinhas ou o aquecedor dependendo da variação de temperatura do ambiente;Um CPD (centro de processamento de dados) que utiliza um aparelho de ar condicionado manter seus servidores sempre abaixo de 21°C, mas que em dias mais quentes precisa acionar um segundo aparelho de ar condicionado para evitar superaquecimento;Um cervejeiro caseiro que precisa realizar a fermentação sempre próxima a 18°C, acionando a geladeira quando a temperatura subir e uma lâmpada incandescente quando a temperatura descer. Linha Black A103: o controlador 6 em 1 da Ageon Se você acha que um controlador duplo estágio é interessante porque pode valer por dois controladores, saiba que é ainda melhor. A Ageon possui o controlador Linha Black A103 que traz muitos outros recursos além dos dois estágios no controle de temperatura. Na verdade, os controladores A103 pode ser utilizado de até 6 formas diferentes e possui funções tanto de refrigeração quanto de aquecimento. Ou seja, é um controlador de temperatura extremamente versátil e que possui um potencial enorme de aplicações. Que tal entrar em contato conosco e saber mais detalhes sobre esse aparelho?