Tudo sobre controladores de temperatura e inversores de frequência

No Blog da Ageon você encontra dicas, vídeos e diversos artigos sobre controladores eletrônicos para automação, aquecimento, refrigeração e climatização

Principais motivos para utilizar inversores de frequência Ageon

31/03/2021 - Automação, Climatizadores, Fitness
A busca de soluções para o aumento da produção com melhor custo-benefício faz a automação industrial crescer cada vez mais no Brasil. Por isso, uma grande infinidade de equipamentos para otimizar os processos fabris, entre eles os inversores de frequência, tem sido muito utilizados nas aplicações industriais. Estes equipamentos são uma opção versátil e dinâmica para o controle de velocidade de motores elétricos. Aqui no Blog, já falamos sobre o que são inversores de frequência e também sobre as principais vantagens de utilizá-los. Abordamos esse assunto de forma geral, mas hoje vamos falar especificamente sobre os principais motivos de utilizar os equipamentos da Ageon e seus diferenciais em relação aos demais inversores de frequência do mercado. Praticidade Uma das características fortes da Ageon é a praticidade dos produtos, inclusive nos modelos de inversores de frequência esse aspecto é predominante. Nossos inversores se destacam pela facilidade de parametrização que abrange as diversas aplicações do mercado. Ao contrário de outros inversores de frequência existentes que possuem parâmetros em excesso e manuais técnicos demasiadamente extensos, a Ageon desenvolveu manuais dos produtos são de fácil compreensão e permitem que a configuração seja feita em pouco tempo. Design diferenciado A Ageon trabalha com linhas de inversores distintas, cada uma com suas características e design único, projetado para situações específicas. Enquanto a Série XF possui IHM incorporada e design compacto, a Série YF possui IHM destacável e modelos com potenciômetro incorporado. Já as linhas IEX70 Pro para esteiras ergométricas e IRX pro para climatizadores evaporativos foram projetadas especialmente para estas aplicações e seu design reflete exatamente a necessidade dos instaladores e dos usuários. Aplicações Alguns inversores de frequência Ageon são desenvolvidos especialmente para determinadas aplicações. É o caso da Série IEX70 Pro que, como citado anteriormente, é utilizada em esteiras ergométricas profissionais. Já a linha IRX Pro foi projetada principalmente para climatizadores evaporativos e possui funções específicas para esta aplicação, além de controle remoto para fácil utilização.  Suporte técnico direto de fábrica Um dos principais diferenciais da Ageon é o canal de acesso fácil ao setor de suporte técnico. Além disso, nossa equipe de suporte também está apta a instruir o cliente final sobre a instalação e utilização de nossos produtos. Dessa forma o distribuidor pode revender os produtos Ageon e ter a certeza que seu cliente não ficará desamparado caso possua dúvidas em relação ao produto. Fabricação Nacional Neste ano a Ageon completa 20 anos de mercado, fabricando Controladores de Temperatura e Inversores de Frequência. Somos uma empresa 100% brasileira atendendo todo território nacional, produzindo qualidade e alta tecnologia. Oferecemos além de toda qualidade, assistência técnica direto de fábrica e 2 anos de garantia em seus produtos. Por essas e inúmeras outras razões, nossos inversores de frequência são cada vez mais utilizados por fabricantes, técnicos de manutenção e reposição em todo o Brasil. Você utiliza inversores para automação? O que acha de conhecer os inversores de frequência da Ageon? Clique aqui e saiba mais.

Condensação em sistemas de refrigeração: Como controlar?

24/03/2021 - Automação
Equipamentos de refrigeração de ambientes como ar condicionado, câmaras frigoríficas e outros sistemas de refrigeração podem ter problemas relacionados a condensação, ocasionando insuficiência no resfriamento do ambiente. Além do problema de insuficiência do resfriamento, há situações onde a pressão do fluido pode aumentar e a velocidade do ventilador também, causando o vazamento interno de umidade, contração ou danos irreversíveis de dilatação, o congelamento em excesso poderá também danificar permanentemente o compressor. Existem casos em que  a solução é instalar o controlador de condensação. Como reconhecer que preciso de um controlador de condensação? A falta de resfriamento do ambiente pode ocorrer tanto por problema de condensação quanto por defeito no compressor, falta de gás entre outras causas. Portanto, se o sistema de refrigeração (seja o condicionador de ar ou a câmara) estiver apresentando mau funcionamento, recomendamos que contrate um profissional em refrigeração para identificar a real causa do problema.  Em máquinas convencionais a formação de gelo no evaporador é um fenômeno inevitável e indesejável ocorrendo principalmente no inverno, quando a temperatura externa está muito baixa e a temperatura do ambiente interno está elevada, isso porque o coeficiente global de transferência de calor por unidade de área é fixo.  Uma vez que este fenômeno ocorre, degenera a capacidade de refrigeração e o desempenho do sistema. Entre os pontos negativos podemos citar: Perda de desempenho na troca térmica, pois gera uma camada de gelo aumentando a resistência térmica entre o ar e os tubos aletados;Restrição ao escoamento de ar no evaporador;A temperatura do ambiente interno tende a aumentar e isso exige que o compressor permaneça mais tempo ligado;Retorno de fluido gelado para o compressor, gerando gelo no mesmo; Aumento do consumo de energia elétrica devido ao tempo a mais que o compressor fica ligado devido a insuficiência de refrigeração. Em outras palavras, os problemas relacionados a condensação poder ir de pequenas perdas de desempenho na troca de calor a uma queima de compressor, pois caso o congelamento atinja o compressor, o mesmo pode vir a queimar, e a troca do compressor irá custar bastante para o bolso do usuário final. Portanto, para ajudar a resolver o problema de condensação do líquido refrigerante e no evaporador, deve-se utilizar um sistema de controle de condensação. Neste caso recomendamos o FanSpeed, que permite controlar a velocidade do motor do condensador a fim de alterar a pressão para que o líquido refrigerante não congele. Basicamente, um transdutor de pressão é colocado na tubulação do fluido refrigerante e esse sinal de pressão é lido em tempo real pelo FanSpeed, o mesmo altera a velocidade do motor para ajudar o líquido a permanecer sempre na pressão mais adequada possível conforme o composto utilizado. Como funciona o controlador  de condensação FanSpeed Ageon? O FanSpeed foi desenvolvido pela Ageon com o intuito de controlar a velocidade do ventilador de acordo com a pressão definida no setpoint, evitando o congelamento do evaporador. Além de diminuir as incidências de congelamento na face do evaporador, o FanSpeed também evita o congelamento do próprio compressor,  trazendo um aumento da vida útil.  Em outras palavras, o FanSpeed permite uma variação no coeficiente global de transferência de calor por unidade de área (UA) do trocador de calor. Desta forma se assumirmos que o ΔT (intervalo de tempo) permanece constante, a capacidade de refrigeração será automaticamente reajustada em diferentes estações do ano. Quais as principais vantagens do FanSpeed? Aumenta a eficiência do sistema;Reduz chamadas técnicas para ajustar a carga de gás;Ajusta a unidade de área do trocador de calor condensador;Aumenta a vida útil do compressor;Garante a estabilidade na pressão;Reduz o ruído sonoro. Resumidamente, o FanSpeed além de evitar danos por congelamento, aumenta consideravelmente a eficiência energética do sistema como um todo, independente da temperatura externa e interna. Você é instalador ou técnico de sistemas de refrigeração?  Saiba mais sobre o FanSpeed da Ageon

Instalando o inversor de frequência IEX70 Pro em esteiras ergométricas

17/03/2021 - Fitness
A maioria das esteiras ergométricas profissionais do mercado controla a velocidade do motor através um inversor de frequência, também conhecido no ramo de fitness como placa inversora. Os inversores de frequência IEX70 Pro são a solução da Ageon para esteiras ergométricas que utilizam motores trifásicos. Uma de suas principais características é a facilidade de instalação e este é justamente o assunto deste post. Apesar de simples, alguns detalhes podem fazer a diferença para o funcionamento do inversor. Neste post vamos dar dicas e como instalar corretamente o inversor IEX70 Pro na esteira. Qual a melhor forma de instalar o inversor de frequência IEX70 na esteira ergométrica? Antes de instalar o inversor de frequência na esteira, é necessário se atentar a alguns detalhes. Em primeiro lugar, é importante estar ciente de que o inversor de frequência é um aparelho eletrônico e que sua durabilidade está relacionada a uma rede elétrica em boas condições. Certifique-se de que as condições do local estejam de acordo com as especificações do inversor IEX70. Utilize um multímetro para avaliar a tensão de entrada e verifique se a instalação elétrica do local possui fios adequados para a corrente exigida pela esteira. Também é essencial que a instalação possua aterramento. Após se certificar que os itens acima estão de acordo com as especificações do inversor de frequência IEX70, a instalação já pode ser iniciada. Veja abaixo qual a melhor forma de realizar a instalação. 1. Identifique o motor e o painel da esteira Identificar o motor e o painel da esteira é o primeiro passo para instalar o inversor. Os inversores de frequência IEX70 acionam motores trifásicos de até 2CV. Em relação ao painel da esteira, os inversores IEX70 Pro são compatíveis com diversos modelos presentes no mercado. É possível utilizar o inversor de frequência IEX70 Pro em painéis que utilizam modo teclado, frequência ou serial. Após identificar essas características, veja como fazer a ligação elétrica do painel com o inversor. 2. A maneira ideal de posicionar o inversor Antes de fixar o inversor de frequência na esteira ergométrica é importante saber que alguns elementos interferem no funcionamento do aparelho. É o caso do fluxo de ar no inversor e também da proximidade com o motor, por exemplo. Nas imagens abaixo é possível verificar os principais cuidados que devem ser tomados ao fixar o inversor na esteira. O inversor de frequência IEX70 deve ser instalado a pelo menos 15cm de distância do motor. Isso ocorre porque o ar quente proveniente do motor pode superaquecer o produto, prejudicando seu funcionamento e causando risco de danificar o inversor. Uma distância de pelo menos 10cm em relação à lona também é indicada, conforme a imagem acima. Dessa forma evita-se que resíduos saiam da lona em direção ao inversor. Outro cuidado importante é em relação ao fluxo de ar no interior do inversor. O inversor de frequência IEX70 possui um cooler interno que é responsável pela ventilação e consequentemente pela dissipação do calor dentro do produto. A posição mais indicada para instalar o inversor com o fluxo de ar em direção ao motor (conforme imagem acima). Essa fixação evita que o ar quente do motor seja transferido para dentro do inversor ou que resíduos da lona prejudiquem o cooler. 3. Manutenções preventivas evitam problemas Uma prática comumente subestimada pelos clientes é a manutenção preventiva da esteira ergométrica. Apesar da sua fácil instalação, é importante de modo geral dos inversores tomar alguns cuidados para evitar problemas futuros, como o citado anteriormente o posicionamento para evitar que pequenos detritos sejam lançados na direção dos componentes eletrônicos e danifiquem o aparelho, limpeza do cooler para não causar o superaquecimento, o aterramento que é um requisito mínimo na instalação reduzindo os riscos de choques elétricos e por fim ambientes que utilizam a climatização evaporativa, pois essa tecnologia resfria o ambiente através de micro gotículas de água podendo causar oxidação no inversor de frequência Vantagens do inversor de frequência IEX70 Os inversores de frequência da linha IEX70 Pro foram desenvolvidos especialmente para esteiras ergométricas. Por isso, se diferenciam dos inversores encontrados no mercado em diversos aspectos, como formato e configuração, por exemplo. Os inversores IEX70 possuem formato compacto e gabinete de proteção que evita a entrada de resíduos no inversor. Além disso, essa linha possui cooler de rolamento, que é acionado apenas quando o motor está em funcionamento ou quando o módulo estiver com uma temperatura muito elevada. Essas características fazem com que o inversor IEX70 seja mais resistente e sua durabilidade seja maior. A configuração dos inversores IEX70 é muito mais simples do que os demais inversores. Diferente dos inversores de frequência comuns do mercado, a linha IEX70 não precisa de ajuste de parâmetros. Isso ocorre porque essa linha é específica para esteiras. Dessa forma, toda a configuração pode ser realizada rapidamente através de quatro chaves DIP. Essas chaves devem ser posicionadas de acordo com o tipo de painel da esteira ergométrica. Você trabalha com instalação ou manutenção de esteiras ergométricas? Conheça o inversor IEX70 Pro da Ageon clicando aqui

Termostatos para fabricação de cerveja artesanal

10/03/2021 - Charcutaria e Homebrewing
A produção de cerveja artesanal vem ganhando força nos últimos anos no Brasil. O número de entusiastas cervejeiros cresce e novos produtos, equipamentos e insumos são lançados a todo momento para atender esse mercado que está em expansão. Uma questão extremamente importante na produção de cerveja é o controle de temperatura, onde geralmente são utilizados termostatos digitais. Esse assunto gera muitas dúvidas entre os cervejeiros iniciantes e interfere significativamente no resultado da cerveja. Os processos para fabricação de cervejas artesanais variam de acordo com o planejamento de cada receita. Descubra abaixo como funciona algumas fases de produção e os tipos de controladores de temperatura mais utilizados para fabricação de cervejas artesanais. Controle de temperatura e cervejas artesanais O controle de temperatura é fundamental em algumas fases da produção de cervejas artesanais, visto que pode interferir diretamente em suas propriedades, como a densidade e a graduação alcoólica. As chamadas rampas de temperatura utilizadas na etapa de brassagem ou mesmo  o controle de temperatura durante a fermentação são situações onde a utilização de um termostato digital é indicada, garantindo maior controle dos processos e, consequentemente, do produto final obtido. Termostatos em Geladeiras de Cerveja A utilização de geladeiras controladas por termostatos digitais é muito comum na fabricação de cerveja. Os termostatos mecânicos que acompanham as geladeiras não realizam um controle preciso de temperatura e essa variação térmica pode comprometer algumas etapas, principalmente no processo de fermentação,  interferindo no sabor e na estabilidade do produto final. Os termostatos digitais, entretanto, garantem maior estabilidade durante a fermentação, mantendo a temperatura em uma faixa específica dependendo da levedura utilizada. Isso eleva a qualidade do resultado final, gerando uma cerveja com sabor mais limpo. Outra vantagem dos termostatos digitais em geladeiras de cerveja é a versatilidade, já que a quantidade de modelos disponíveis é grande. Os modelos de duplo estágio, por exemplo, são ideais para regiões com grande variação térmica, pois podem acionar o compressor da geladeira quando a temperatura estiver acima da ideal e também podem acionar uma fonte de calor (lâmpada ou resistência elétrica) quando a temperatura estiver muito baixa. A configuração dos termostatos digitais para a produção de cerveja costuma gerar algumas dúvidas que podem ser facilmente sanadas. Os principais parâmetros de um termostato para essa finalidade são o setpoint e a histerese. A configuração desses parâmetros pode ser vista no post Configurando um termostato – Parâmetros Básicos. Termostatos Ageon para Cerveja Artesanal A Ageon fabrica termostatos digitais para várias aplicações, entre elas a produção de cervejas. O modelo A103, por exemplo, possui duplo estágio. Ideal para regiões com grande oscilação de temperatura, esse tipo de termostato gerencia o acionamento de um sistema de refrigeração e de aquecimento quando a temperatura sai da faixa programada. Existem ainda outros modelos, como termostato simples, com temporizador cíclico ougerenciamento de degelos, disponíveis na Linha Black (Design sofisticado, 6 teclas, sistema de fixação diferenciado) e Linha Prime K114, controlador com função de rampa e patamar (com frontal em black piano e design exclusivo). Você é consumidor de cervejas artesanais? Fabrica cervejas e utiliza termostatos? Conheça os controladores de temperatura Ageon clicando aqui **

Teste grátis ArcSys: Sistema de monitoramento de temperatura online

03/03/2021 - Aquecimento Solar, Charcutaria e Homebrewing, Refrigeração
Você sabe o que é um sistema de monitoramento de temperatura online? Neste post vamos falar sobre como esses sistemas dão tranquilidade e reduzem o tempo e o custo de suporte dos técnicos, instaladores e também para proprietários de estabelecimentos. No final do post, faça o teste do ArcSys e descubra como resolver os problemas de monitoramento de temperatura. O que é o monitoramento de temperatura online?Sistemas de monitoramento de temperatura: Tradicional vs. OnlineComo testar o Sistema de Monitoramento de Temperatura Online ArcSys? O que é o monitoramento de temperatura online? Sistemas de monitoramento de temperatura estão no mercado há alguns anos. De modo geral, esses sistemas permitem a supervisão online de controladores de temperatura, ou seja, é possível visualizar a temperatura dos seus equipamentos utilizando um dispositivo conectado à internet. No entanto, muitos sistemas como estes possuem uma instalação complexa e exigem conhecimentos avançados em informática. Recentemente surgiram no mercado os sistemas de monitoramento de temperatura online. É o caso do ArcSys Cloud, por exemplo. Utilizar um sistema online ou também chamado sistema na nuvem é muito mais prático e seguro do que os sistemas tradicionais. Mas o que é um sistema na nuvem? O conceito de “nuvem” está diretamente ligado à internet das coisas (IoT). Um serviço na nuvem não precisa da instalação de aplicativos e nem mesmo de armazenamento de dados. Isso ocorre porque são utilizados servidores remotos, localizados em centros de processamento de dados. Por isso seu acesso é muito mais fácil e rápido, além de agilizar o trabalho dos técnicos durante a instalação. Sistemas de monitoramento de temperatura: Tradicional vs. nuvem De modo geral as plataformas na nuvem possuem diversas vantagens em relação às plataformas tradicionais. Nos itens abaixo você verá a comparação do ArcSys Cloud com sistemas de monitoramento tradicionais encontrados no mercado. Sobre a estrutura Os sistemas de monitoramento de temperatura disponíveis no mercado geralmente exigem uma estrutura para funcionar. Em muitos casos é necessário um computador ligado 24 horas por dia e também a instalação de um programa específico. Sempre que um usuário deseja monitorar a temperatura do equipamento, na verdade ele estará acessando as informações salvas neste computador. Isso significa maior custo de instalação e consumo de energia mais elevado devido à exigência do computador. Enquanto isso, um sistema como o ArcSys Cloud funciona em servidores na nuvem, ou seja, não é preciso instalar nenhum programa e nem mesmo um computador dedicado. Para acessar as informações, basta um celular conectado à internet. O ArcSys Cloud é acessado diretamente do navegador (como o Google Chrome, Firefox, Safari, entre outros) através do endereço https://arcsys.cloud. Isso significa menor custo inicial e mais economia ao longo do tempo. Segurança das informações As informações salvas por um sistema de monitoramento devem ficar armazenadas em algum local. Nos sistemas tradicionais esse local costuma ser o computador citado no item acima, enquanto nos sistemas na nuvem as informações ficam salvas online e possuem backup de segurança. Na prática, isso significa que nos sistemas tradicionais as informações estão suscetíveis a roubos, incêndios e outros riscos. Qualquer um destes incidentes resultaria na perda total de todos os dados registrados. Já em um sistema na nuvem, como o ArcSys Cloud, a informação está armazenada em um grande servidor. Mesmo que um incidente ocorra e o servidor seja destruído, as informações possuem cópia de segurança que tornam praticamente impossível a perda dos dados. Quantidade de pontos de monitoramento A maior parte dos sistemas de monitoramento tradicionais permite um número limitado de pontos de monitoramento. Isso ocorre por diversos motivos, mas principalmente por limitações técnicas dos equipamentos. Já os sistemas de monitoramento na nuvem possuem sistemas mais robustos, pois estão baseados em servidores poderosos. Isso permite um maior número de pontos de monitoramento em uma mesma tela. O ArcSys Cloud, por exemplo, pode exibir um número virtualmente ilimitado de pontos de monitoramento em uma mesma tela. Isso é muito útil para técnicos e instaladores que oferecem o serviço de monitoramento para os seus clientes e também para empresas que possuem várias filiais. Configuração de alarmes Ambos os sistemas de monitoramento, tanto os tradicionais quanto os na nuvem, permitem a configuração de alarmes por e-mail. No entanto, os sistemas tradicionais costumam alertar os usuários apenas caso a temperatura dos equipamentos saia de uma faixa programada. Já os sistemas na nuvem possuem outras formas de alertar os usuários de que algo de errado ocorreu. Além dos alertas de temperatura, o ArcSys Cloud informa os contatos cadastrados sempre que houver uma queda na energia elétrica ou problemas na internet. Entre outros benefícios, isso pode evitar grandes prejuízos com perda de mercadorias. Como testar o Sistema de Monitoramento de Temperatura Online ArcSys? Veja abaixo como é simples testar o ArcSys e resolver seus problemas de monitoramento de temperatura. Insira seus dados Em primeiro lugar precisamos das suas informações para gerar seu login e senha. O ArcSys é um sistema seguro, por isso só é possível acessá-lo inserindo informações de login e senha corretos. Acesse o link enviado por e-mail Ao inserir seus dados, você receberá um e-mail com as informações de acesso do ArcSys. Click no link e utilize o login e senha enviados para iniciar o teste. Pronto! Você está utilizando o ArcSys Agora você possui 24 horas para visualizar todas as funções do ArcSys. Veja 32 controladores de temperatura em uma mesma tela, ajuste parâmetros, gere relatórios e muito mais. Tudo é fácil, prático e simples. Faça seu teste grátis: Nome: Telefone: E-mail: Empresa: Testar agora! // ENVIO $('#formSimuladorArcSys').submit(function(){ var nome = $('#formArticleNome').val(); var telefone = $('#formArticlePhone').val(); var email = $('#formArticleEmail').val(); var empresa = $('#formArticleEmpresa').val(); var param = { nome: nome, telefone: telefone, email: email, empresa: empresa }; enviaContato(param); return false; }); function enviaContato(param){ var url = "http://simulador.arcsys.com.br/cgi/teste-gratis/simulador-arcsys.php"; setTimeout(function(){ alert('Enviamos os dados de acesso para o e-mail informada.\nClique no link enviado para acessar o ArcSys.'); },500); $.get(url, param, function(data,status){ var result = new Function(data); gtag('event', 'Interação Blog', {'event_category':'Simulador ArcSys', 'event_label':'Post - Simulador ArcSys'}); return(result()); }); } Desejo mais informações sobre essa tecnologia. E agora? Se você acha que um sistema de monitoramento de temperatura na nuvem pode ser útil para você, a Ageon pode ajudar. Se você é um técnico ou instalador, oferecer um serviço de monitoramento para os seus clientes pode ser um diferencial no mercado. Se você possui um estabelecimento e precisa de monitoramento da sua mercadoria, um sistema na nuvem pode ser a solução ideal para você. A Ageon possui o ArcSys Cloud que foi feito especialmente para estes casos. Com ele é possível monitorar os equipamentos em tempo real, gerar relatórios e configurar alarmes. Tudo isso com alguns toques na tela do seu celular. Que tal saber mais sobre esta tecnologia? Acesse a página ArcSys Cloud e fique por dentro.

5 dicas essenciais sobre termostatos digitais

24/02/2021 - Aquecimento, Aquecimento Solar, Automação, Charcutaria e Homebrewing, Chocadeiras, Refrigeração
Termostatos digitais estão presentes em uma infinidade de aplicações. De câmaras frigoríficas à fabricação de cerveja artesanal, passando por câmaras de conservação e vacinas e outras tantas situações, o controle de temperatura é essencial em diversos processos de produção e armazenamento. No entanto, alguns cuidados devem ser tomados para que o termostato digital funcione sempre com o máximo de eficiência. Por isso, listamos abaixo 5 dicas que consideramos essenciais para a utilização desses aparelhos. Conheça seu produto Ter conhecimento das características do seu termostato é fundamental. É importante saber quais funções o produto possui e principalmente como configurá-las. Ler o manual é a maneira mais simples de evitar transtornos causados por má configuração. Algumas das informações básicas que você precisa saber sobre seu termostato são a tensão de alimentação e a corrente máxima dos relés, por exemplo. Essas informações são determinantes para a escolha do termostato certo para a sua aplicação. Posição do sensor Grosso modo, o sensor é o componente que identifica a temperatura do ambiente e a envia ao termostato. Isso significa que, dependendo do local onde o sensor for fixado, pode haver divergências na medição e consequentemente no controle de temperatura. Posicionar o sensor próximo a resistências elétricas ou ventiladores, por exemplo, altera a leitura e interfere diretamente no funcionamento do termostato. Da mesma forma, é recomendado utilizar um poço termométrico para controlar a temperatura de líquidos sem sem que este entre em contato direto com o sensor. Identifique o melhor local para a fixação do sensor em seu produto. Peça auxílio a um técnico se necessário. Um sensor de temperatura bem posicionado resulta em mais eficiência e menor gasto de energia. Siga as recomendações As especificações técnicas dos termostatos digitais apresentam as condições adequadas de funcionamento desses produtos. Submeter o aparelho a situações fora dos limites de operação pode causar danos irreversíveis. Para evitar custos desnecessários com manutenção é importante respeitar suas especificações de utilização. Isso inclui uma rede elétrica estável, cuidados com o uso e limpeza do aparelho. Também é importante tomar todos os cuidados durante a instalação, realizando as conexões elétricas da maneira correta e seguindo as normas técnicas vigentes. Opções de escolha Com tantos modelos de termostatos digitais disponíveis no mercado, é comum ficar em dúvida sobre qual se adequa melhor à sua necessidade. Destre as opções de escolha disponíveis, é importante saber exatamente o que você precisa. Muitos modelos possuem funções extras além do controle de temperatura e podem fazer seu produto ainda mais eficiente, economizando dinheiro. Um exemplo disso são os termostatos digitais K116 Big Display, que além de controlar a temperatura ainda possui a função Modo Econômico que atua em conjunto com um sensor de porta.A Ageon possui uma linha completa de termostatos digitais, desde os modelos mais versáteis até quadros de comando para câmaras frigoríficas. Saiba das vantagens de cada modelo e identifique o que melhor se encaixa em sua utilização. A tecnologia a seu favor Em alguns casos o controle de temperatura deve ser rigoroso e com o máximo de precisão. Em câmaras de conservação de vacinas, por exemplo, a temperatura deve ser acompanhada e registrada periodicamente, garantindo que apenas produtos em boas condições sejam utilizados. Nessas situações os termostatos digitais são úteis porque, além das funções básicas de controle de temperatura, podem ser ligados à um sistema de monitoramento. A Ageon possui o ArcSys, sistema que permite o acompanhamento de seus termostatos em tempo real, envia alarmes por e-mail quando a temperatura sai da faixa programada e ainda gera relatórios em forma de gráficos ou tabelas. Esse sistema proporciona mais segurança e praticidade, facilitando o trabalho e poupando tempo.

O que é Monitor de Tensão e como Configurá-lo em Termostatos Digitais?

17/02/2021 - Automação
A Ageon possui controladores de temperatura desenvolvidos especialmente para resfriadores de leite: os modelos Linha Black A104 e Série H104 Color. Esses aparelhos possuem uma saída temporizada para acionamento do agitador e também uma outra característica: o monitor de tensão. Para que serve um monitor de tensão? A tensão da rede não é algo estável e diversos fatores podem ocasionar as chamadas flutuações da tensão da rede elétrica. Especialmente no Brasil existem regiões onde essa variação é grande o suficiente para danificar os aparelhos elétricos. Portanto, para evitar esse problema existem os monitores de tensão. Imagine um compressor que possui como especificações de tensão mínima de 210V e máxima de 230V. Contudo se a tensão da rede esteja fora dessa faixa devido a flutuações, é possível que o compressor trabalhe forçado e venha a sofrer danos que muitas vezes podem ser irreversíveis causando prejuizos ao produtor. Entretanto, caso um monitor de tensão seja configurado com as especificações do compressor, sempre que a tensão da rede estiver fora da faixa programada o compressor será desligado, protegendo o aparelho. A função de um monitor de tensão é justamente essa, proteger os aparelhos de flutuações na rede que possam prejudicá-los. Ele permite que sejam configurados valores mínimos e máximos nos quais os aparelhos funcionem de maneira segura e qualquer tensão fora desses valores resulta em desligamento por parte do monitor. Basicamente, o monitor de tensão serve para proteger os equipamentos de flutuações na rede elétrica. Essas flutuações são muito comuns, principalmente em áreas rurais, e podem danificar os compressores do sistema de refrigeração. Como configurar o monitor de tensão nos termostatos Ageon? Para evitar problemas com as flutuações na rede elétrica é importante configurar corretamente o monitor de tensão do termostato. São seis parâmetros ajustáveis: Seleção da tensão nominal O modelo H104 possui este parâmetro que permite selecionar a tensão nominal da rede em 110V ou 220V. Também é possível desativar o controle de tensão ajustando o valor deste parâmetro para "off". Tensão mínima permitida Se o monitor de tensão estiver ativado, é necessário definir a tensão mínima permitida. Quando a tensão permanecer abaixo do valor ajustado neste parâmetro por um tempo superior ao retardo, as saídas do termostato digital serão desativadas. Ao mesmo tempo o display exibirá "Lo", indicando a subtensão. Tensão máxima permitida Da mesma forma que o limite mínimo, também existe um limite máximo para a tensão da rede, definido neste parâmetro. Quando a tensão permanecer acima do valor ajustado neste parâmetro por um tempo superior ao retardo, o controlador irá desativar as saídas. Ao mesmo tempo o display exibirá "Hi", indicando sobretensão. Retardo do controle de tensão Este parâmetro permite ajustar o tempo em que a tensão deve ficar fora da faixa especificada antes da desativação das saídas a relé. O valor é definido em segundos. Portanto, caso seja definido o valor 0, os relés serão desativados imediatamente quando uma subtensão ou sobretensão for identificada. Agitador desligado em caso de erro de tensão Quando o termostato digital identifica que a tensão está fora da faixa especificada, a saída a relé de temperatura é desativada. Contudo se o funcionamento da saída do agitador é configurável nestas ocasiões. Caso este parâmetro seja ajustado para "Si" ou "YES", em caso de subtensão ou sobretensão o agitador também será desativado. Caso este parâmetro seja ajustado para "no", o agitador continuará funcionando de acordo com sua temporização. Calibração do controle de tensão Se um desvio na medição do controle de tensão for identificado, é possível corrigi-lo através deste parâmetro. O valor ajustado aqui será adicionado à tensão medida. *** Quer conhecer os controladores Ageon para resfriadores de leite? Deixe seu comentário, dúvida ou sugestão abaixo.

5 motivos para utilizar o SmartSet em câmaras frigoríficas

10/02/2021 - Refrigeração
O controle de temperatura em câmaras frigoríficas é essencial para assegurar que as mercadorias sejam armazenadas em condições adequadas. Uma falha no sistema de refrigeração pode causar prejuízos financeiros e até mesmo de saúde, caso não seja detectado. Neste cenário os termostatos se destacam, pois mantém a temperatura das câmaras estável e sob controle. A Ageon possui diversas linhas de termostatos digitais para as mais variadas aplicações. Entre eles está a série SmartSet, que possui controladores de temperatura projetados especificamente para câmaras frigoríficas.  Os controladores SmartSet possuem diversas vantagens em relação aos demais produtos do mercado, por isso reunimos abaixo 5 motivos para utilizá-los em suas câmaras. 1 - Design diferenciado O SmartSet apresenta uma estética diferenciada com display branco de 30mm que facilita a visualização à distância. Além disso, possui teclas de iluminação incorporadas ao painel, garantindo ainda mais praticidade. Sua instalação é simplificada e a interface intuitiva possibilita configurá-lo com rapidez. 2 - Dispensa quadros de comando Como foi desenvolvido especialmente para câmaras frigoríficas, a série SmartSet possui características para atender as necessidades deste segmento. Um exemplo é o amplo espaço interno que permite a instalação de componentes adicionais, como contatoras e disjuntores, dispensando a montagem de quadros de comando. 3 - Controle de degelo inteligente O SmartSet realiza também o controle de degelos nas câmaras frigoríficas de forma automática. Isso evita o acúmulo de gelo no aparelho, resultando em mais eficiência e economia de energia para o sistema de refrigeração. 4 - Modelos ONE e DUO A série SmartSet possui dois modelos específicos para câmaras frigoríficas. O modelos ONE  controla uma câmara, possui relógio em tempo real e alarme sonoro e visual. Já o modelo DUO pode controlar até duas câmaras simultaneamente, reduzindo custos e tempo de instalação. 5 - Monitoramento online O modelo SmartSet ONE S106 Web possibilita o monitoramento online atráves do ArcSys. Com ele é possível acompanhar a temperatura de sua câmara frigorífica a partir de um celular, tablet ou computador conectado à internet. Além de prático, este recurso permite alterar parâmetros, gerar relatórios e ainda programar alarmes por e-mail caso a temperatura saia da faixa programada, evitando a perda de mercadoria em caso de falhas. 6 – Bônus: Quadros de comando Smartset Max Além dos controladores SmartSet a Ageon lançou também sua versão mais robusta: a linha SmartSet Max. Ela é composta de quadros de comando para câmaras frigoríficas e conta com design exclusivo e display branco de 30mm para fácil visualização. Os quadros de comando SmartSet Max estão disponíveis em duas versões. A versão básica conta com controlador de temperatura embutido, gerenciamento de degelo e monitor de tensão incorporado. Possui um espaço interno ainda maior do que os controladores SmartSet citados acima e trilho DIN para instalação de componentes auxiliares. Já a versão mais completa do quadro de comando SmartSet Max possui todas as características do modelo básico e ainda disjuntor geral, contatores, relé térmico e fusíveis de proteção. Todos esses recursos são instalados diretamente na fábrica, facilitando a instalação. O SmartSet Max possui alarme visual e sonoro para indicar uma faixa de temperatura indesejada, monitor de tensão para possível desligamento automático do compressor, aviso de assimetria modular indesejada, erro falta de fases, erro de sequência de fase, erro de frequência de alimentação e aviso de relé térmico desarmado. É possível selecionar diversas opções de quadros de comando SmartSet Max. O cliente pode selecionar a potência (de 1,5 HP a 5 HP), a alimentação (monofásica ou trifásica), a tensão (220 V ou 380 V), o número de contatores (1 ou 2) e o tipo de câmara (resfriados ou congelados). Ou seja, além de ser um controlador completo, elegante e com diversas funcionalidades, o SmartSet Max protege o seu sistema e trás mais praticidade para técnicos e instaladores. *** Você utiliza câmaras frigoríficas? Já conhece o SmartSet ou SmartSet Max?

Filtragem da Piscina: economize tempo e dinheiro na instalação

03/02/2021 - Aquecimento Solar
Todo dono de piscina sabe que a filtragem é essencial. Além de eliminar a sujeira suspensa na água, este recurso também auxilia na diluição homogênea dos produtos químicos para que a água fique sempre limpa. É por isso que recomenda-se a filtragem da piscina diariamente. Acontece que realizar essa ação todos os dias de forma manual é bastante trabalhoso, certo? Isso sem contar a possibilidade de falha humana, em que a filtragem é esquecida e a qualidade da água decai com o tempo. Para resolver este problema existem maneiras de realizar a filtragem automaticamente com o auxílio de tecnologia. Temporizador ou timer: o jeito antigo de automatizar a filtragem da piscina Imagine que você possui uma piscina com um sistema de aquecimento solar. Além do controlador de temperatura, há algum tempo atrás os instaladores costumavam utilizar equipamentos adicionais para acionar a motobomba em intervalos de tempo específicos. Geralmente utilizava-se um temporizador (ou timer, como também é conhecido). Apesar de esses equipamentos cumprirem a função de automatizar a filtragem da piscina, a solução ainda precisava de melhorias. Isso porque, além dos custos de adquirir um equipamento extra, o instalador precisava instalar uma chave para acionamento manual da filtragem. O acionamento manual é necessário em situações como o tratamento químico da piscina, em que é preciso acionar a motobomba para que os produtos se diluam em toda a água. O processo de utilizar temporizadores para realizar a filtragem da piscina funcionava bem, mas seu custo era maior devido aos equipamentos e materiais adicionais que eram necessários, além do maior tempo de instalação. Ainda existia um problema relacionado ao acionamento manual, pois o usário poderia esquecer a bomba acionada por mais tempo que o necessário aumentando o consumo de energia elétrica. Controladores de Temperatura com filtragem: a solução ideal Atualmente os instaladores possuem recursos mais avançados que permitem realizar toda essa automação de forma muito mais rápida e barata. Seguindo o mesmo exemplo anterior, hoje é possível controlador uma piscina com sistema de aquecimento solar e filtragem utilizando apenas um controlador de temperatura. Para realizar esta função, basta utilizar um controlador de temperatura como o AutomaSol TDA, da Ageon. Além de controlar o sistema de aquecimento, esses controladores possuem uma saída extra. Esta saída funciona como algo próximo a um "temporizador embutido", ou seja, permite acionar a filtragem automaticamente em períodos específicos. Além disso, o AutomaSol TDA também permite o acionamento manual da filtragem com o simples toque de uma tecla em seu painel. Quando esta tecla é pressionada, a bomba fica ligada pelo tempo definido no parâmetro AP0, evitando que o desperdício de energia causado por manter a bomba ligada acima do tempo necessário. Utilizar o controlador AutomaSol TDA para controlar o aquecimento e a filtragem da piscina pode representar uma economia de tempo e dinheiro para o instalador, já que dispensa a utilização de um temporizador e dos demais materiais elétricos necessários no tópico anterior. Utilizando o controlador AutomaSol TDA para filtragem da piscina Se você quer reduzir o custo e o tempo de instalação de um controlador para a temperatura e a filtragem da piscina, listamos abaixo o passo a passo de como configurar a filtragem automática no AutomaSol TDA. Configure a saída auxiliar para para Filtragem Para ajustar a saída auxiliar do controlador para realizar a filtragem automática é preciso definir o parâmetro Rc0 = 2. Agende os horários de filtragem Para determinar os horários em que a filtragem deve ocorrer é preciso configurar eventos. O AutomaSol TDA permite até 4 agendas de eventos e cada evento deve ser configurado da seguinte forma:• Frequência do evento (FE1 a FE4): determina quais dias da semana a filtragem deve ocorrer;• Função do evento (FC1 a FC4): deve ser ajustado com o valor 2 para determinar o evento com filtragem;• Início do evento (Hn1 a Hn4): determina o horário de início da filtragem;• Fim do evento (HF1 a HF4): determina o horário de fim da filtragem. Defina o tempo de filtragem manual O controlador AutomaSol TDA permite que o usuário inicie a filtragem da piscina ao pressionar a tecla A/F em seu painel. Para determinar a duração da filtragem manual é preciso ajustar o parâmetro AP0 para a duração desejada (de 1 a 600 minutos). Deseja saber mais sobre os controladores de temperatura AutomaSol TDA? Entre em contato com nossa equipe e conhecça outras vantagens deste modelo para sistemas de aquecimento solar.

A bomba de circulação da piscina ou do boiler não liga. E agora?

21/01/2021 - Aquecimento Solar
Como visto em outros posts aqui do blog, a Ageon fabrica controladores próprios para aquecimento solar, tais como: Automasol TDI, Automasol TDA, A108, H108, G108 e Solar Touch. Eles saem de fábrica pré-programados para uso, ou seja, basta ligá-lo à rede elétrica e à bomba de circulação que o sistema irá funcionar no primeiro uso. Contudo, nossa equipe de suporte técnico recebe contatos de clientes relatando a seguinte situação: "a bomba de circulação do meu sistema de aquecimento solar não liga. E agora?" Reunimos abaixo alguns dos motivos mais comuns para a bomba de circulação não ligar, seja em sistemas de aquecimento solar para piscinas ou para boilers. Display apresentando E01 ou E02Temperatura do reservatório ou da piscina maior que o Setpoint (Parâmetro P2)Parâmetros de proteção do controladorProblema no posicionamento do sensorEmenda do sensor alterando o valor de temperatura medida Display apresentando E01 ou E02 Causa: O controlador acusa o E1 ou E01 quando o sensor 1 está desconectado e E2 ou E02 quando o sensor 2 está desconectado. Se qualquer sensor estiver desconectado, por questões de segurança, a bomba não liga. Como resolver: Para resolver esse problema, a solução é simples: verifique a instalação dos sensores nos terminais do controlador. Cada controlador possui um esquema de ligação diferente, porém deve-se seguir o esquema conforme o manual. Segue um exemplo de instalação, do controlador Automasol TDI: Lembrando que na maioria das instalações os sensores possuem uma emenda no cabo, então o problema de ausência de conexão do sensor pode estar na instalação, nos bornes ou na própria emenda do cabo. Temperatura do reservatório ou da piscina maior que o Setpoint (Parâmetro P2) Todos os controladores para aquecimento solar da Ageon, citados anteriormente, possuem uma temperatura de setpoint máxima para ligar a bomba, ou seja, há uma temperatura máxima preestabelecida para o sensor 2 (que fica na piscina ou no reservatório), e se por ventura a mesma seja alcançada, a bomba não irá ligar, mesmo havendo bastante incidência solar. Esse setpoint seria o parâmetro P2, que na maioria dos controladores é pré-configurado para 30 °C, ou seja, o valor para que a piscina ou reservatório alcance no máximo 30 °C. Como Identificar: Portanto, se a bomba não estiver ligando, faça uma comparação entre a sua temperatura real no sensor 2 e o parâmetro P2. Caso necessário, aumente a temperatura no parâmetro P2, assim a bomba vai trabalhar mais e o reservatório ou a piscina irá alcançar uma temperatura maior. Contudo se a piscina ou boiler estiver muito quente, basta diminuir no parâmetro P2. Na maioria dos controladores, basta segurar as teclas “cima” e “baixo” ao mesmo tempo até aparecer “Cd” na tela, para configurar a tabela de parâmetros. “Cd” seria o código de desbloqueio, nele é necessário colocar o valor 28. Após colocar “Cd = 28”, é possível configurar todos os parâmetros, como o P2. Lembrando que em alguns modelos de controladores, como o Automasol TDI e o A108, o parâmetro P2 pode ser alterado também na tela inicial do controlador através da tecla “SET” + setas “cima” e “baixo”, que seria o setpoint. Parâmetros de proteção do controlador Todo controlador da Ageon específico para aquecimento solar possui diversos parâmetros de proteção, esses parâmetros servem para que o sistema funcione corretamente sem que nenhum elemento seja danificado devido a uma possível alta temperatura. Existem certas proteções no controlador que, quando ativas, impedem que a bomba ligue. Um exemplo de proteção é o parâmetro P2 citado anteriormente neste post, que seria a temperatura máxima programada para a piscina ou reservatório. Porém existem outros parâmetros que também podem impedir que a bomba ligue, como o parâmetro P1, que seria a proteção de temperatura máxima nos coletores solares. Este parâmetro serve basicamente para impedir que a bomba ligue caso a temperatura da água nos coletores seja maior que a temperatura suportada pela tubulação da residência. No geral, instalações que possuem canos de PVC, suportam água com temperatura na faixa entre 50 e 60 ºC, e caso a temperatura na água do coletor esteja com, por exemplo, 80 ºC, o cano poderá romper, ocasionando um severo vazamento. Portanto, caso a bomba não esteja ligando e os procedimentos citados anteriormente neste post tenham sido seguidos, compare as temperaturas reais nos sensores 1 e 2 com os parâmetros de proteção do controlador, que na sua maioria possuem a nomenclatura “P”, como por exemplo P1, P2, P3 e etc. Problema no posicionamento do sensor A bomba de circulação entre coletor solar e piscina ou reservatório, funciona através da diferença de temperatura entre dois sensores, sendo eles: o sensor 1 que fica nas placas solares (coletores) e o sensor 2 que fica na tubulação da piscina ou boiler. Porém, é fundamental que esses sensores estejam bem posicionados, caso contrário, a bomba não irá funcionar corretamente. Causa: Acompanhamos diversas instalações na qual o sensor 2 estava posicionado no lado de fora do cano e enrolado com uma fita isolante. Esse é um modo incorreto de posicionar o sensor pois, dessa maneira, o sensor acaba por não conseguir medir a temperatura da água na tubulação e sim a temperatura externa do cano, que no geral é a casa de máquinas do boiler ou piscina (que na maioria do tempo está sempre muito quente, perto dos 35 ºC). Esse é um fator que faz com que o sensor 2 acabe por sempre mostrar uma temperatura entre 30 e 35 ºC, porém a água da piscina ou reservatório está fria. Como identificar: Quanto menos isolado o sensor estiver na tubulação, maior será a diferença de temperatura real da água comparado com a temperatura de visualização do sensor 2 no controlador. É comum os clientes alegarem que a piscina ou reservatório está fria, perto dos 24 ºC, e o sensor 2 marcar perto dos 32 ºC. Isso ocorre devido justamente ao mal posicionamento do sensor. Como resolver esse problema? Para um bom funcionamento do sistema, o sensor 2 precisa medir com a maior precisão possível a temperatura da água que está passando na tubulação. Para resolver o problema de posicionamento de sensor, existe uma solução que seria utilizar poço termométrico, também chamado de luva térmica. O poço termométrico é basicamente uma junção de cano com alta capacidade de condução de temperatura, que possui um nicho para posicionar o sensor. Sendo corretamente posicionado nesse nicho, o sensor irá medir a temperatura com precisão. Lembrando que além de utilizar o poço, deve-se utilizar um isolante térmico (como uma espuma térmica) para isolar bem a abertura do nicho onde o sensor se posiciona. Emenda do sensor alterando o valor de temperatura medida Os sensores de temperatura dos controladores da Ageon são do tipo NTC. O sensor NTC basicamente possui um valor de resistência, em Ohms, que se alterna conforme a temperatura na sua base. Portanto, a todo momento o controlador mede essa resistência do sensor a fim de gerar um valor de temperatura. Praticamente em todas as instalações de aquecimento solar, os instaladores efetuam uma emenda no cabo dos sensores para poder colocá-los em locais mais distantes do controlador. Dependendo do tipo de cabo utilizado ou a forma como será emendado, poderá haver uma variação no valor de resistência do conjunto (cabo + emenda) fazendo com que a temperatura medida pelo controlador seja diferente da real. Causa: Em diversos acompanhamentos de instaladores e clientes finais, viu-se que a temperatura do sensor 2 no controlador estava com um valor muito acima do real devido a utilização de um cabo inadequado para a emenda, fazendo com que a bomba não ligue em nenhum momento. Como identificar: Para fazer uma comparação de temperatura do sensor com e sem emenda, a Ageon recomenda efetuar um teste utilizando um copo de água com temperatura ambiente. O teste é simples, coloque o sensor sem emenda dentro do copo de água e veja qual temperatura marca, em seguida acrescente a emenda no sensor, coloque dentro do copo novamente e veja qual temperatura está marcando. Caso as duas temperaturas sejam parecidas ou próximas, significa que a emenda está adequada. Como resolver: Para efetuar uma boa emenda no sensor, utilize cabos PP de cobre puro com bitola de 0,75 mm² ou 1 mm². Esses tamanhos são adequados para ter uma emenda firme sem que a resistência do cabo influencie no valor da temperatura.O que achou deste post? Quer saber mais sobre os controladores para aquecimento solar Ageon? Caso não tenha solucionado suas dúvidas com este artigo, entre em contato com nossa equipe de suporte técnico ou deixe seu comentário abaixo: