Tudo sobre controladores de temperatura e inversores de frequência

No Blog da Ageon você encontra dicas, vídeos e diversos artigos sobre controladores eletrônicos para automação, aquecimento, refrigeração e climatização

Dica Ageon: Corrente Máxima da Saída a Relé

01/10/2015 - Aquecimento, Aquecimento Solar, Automação, Charcutaria e Homebrewing, Refrigeração
Como já citamos no post Como Funciona um Termostato Digital, esses aparelhos controlam a temperatura principalmente através do acionamento ou desligamento de relés. Relé é um interruptor eletromecânico no qual são ligados os dispositivos de aquecimento ou refrigeração. Entretanto, existe uma especificação básica que deve ser respeitada para que o aparelho funcione corretamente: a corrente máxima da saída a relé. A corrente máxima identifica qual o maior valor da corrente elétrica que deve passar pelo relé para acionar o dispositivo ligado a ele (resistência elétrica, compressor, ventilador, entre outros). Caso esse dispositivo exija mais corrente do que o relé suporta, poderão ocorrer sérios problemas. O mais comum é quando o relé sofre danos devido à alta corrente elétrica e fica travado, sempre acionado (situação popularmente chamada de “relé colado”). Para evitar esse tipo de problema é necessário respeitar a corrente máxima suportada pelo relé. Essa informação está presente nos manuais e nas etiquetas dos controladores Ageon. A corrente elétrica é medida em amperes (A) e maioria dos relés utilizados em termostatos digitais possuem corrente máxima de 10A ou de 16A.   Como saber se a corrente máxima do relé é suficiente para minha aplicação? Após identificar a corrente máxima suportada pelo relé, é necessário identificar qual a corrente que será exigida pelo dispositivo ligado a ele. Vamos utilizar como exemplo uma resistência elétrica de 2000W, um relé de 10A e a tensão da rede em 220V. Um cálculo simples permite descobrir se a resistência pode ser acionada diretamente pelo relé. Basta multiplicar a tensão da rede (em volts) pela corrente máxima do relé (em amperes). Caso o resultado seja superior à potência do dispositivo, o relé poderá acioná-lo diretamente. No exemplo teríamos: Tensão da Rede x Corrente Máxima = Potência Máxima 220 x 10 = 2200 Nesse caso podemos acionar a resistência elétrica diretamente pelo relé, pois a potência da resistência é de 2000W e a potência máxima permitida nessa situação é de 2200W. Observe que caso a tensão da rede seja de 110V, a mesma aplicação não seria possível, pois a potência máxima seria de 1100W.   Como proceder se a corrente máxima não for suficiente? Vamos supor que você fez os cálculos e descobriu que o equipamento que você vai utilizar exige uma corrente maior do que o relé do seu termostato suporta. Como proceder? Nesses casos recomenda-se a utilização de contatores. Um contator é um dispositivo eletromecânico que basicamente serve para ligar e desligar cargas elétricas. Assim, o relé acionaria o contator e o contator acionaria o equipamento. Outra solução seria utilizar um relé de estado sólido (ou SSR). Da mesma forma que o contator, ele aciona uma saída com uma corrente maior através de um sinal menor. A utilização de tais dispositivos também é indicada quando a corrente utilizada é próxima do limite máximo do relé. *** Você possui alguma crítica, dúvida ou sugestão sobre este artigo? Deixe seu comentário e ficaremos felizes em ajudá-lo.

A Febrava 2015 foi um sucesso

29/09/2015 - Refrigeração
A edição 2015 da Febrava - 19ª Feira Internacional de Refrigeração, Ar Condicionado, Ventilação, Aquecimento e Tratamento do Ar - foi um sucesso absoluto. Com um público cada vez mais qualificado, o evento reuniu um grande número de instaladores, técnicos, engenheiros e fabricantes de produtos relacionados ao setor HVAC-R. Esse encontro permitiu não só a geração de novos negócios, mas também o fortalecimento de parcerias já existentes e uma aproximação maior entre empresas e clientes. Durante os quatro dias do evento a Ageon apresentou suas principais novidades e lançamentos para o mercado. Um dos grandes destaques foi o Sistema de Monitoramento ArcSys. Aqueles que foram até o stand da Ageon puderam ver o sistema em funcionamento, supervisionando 30 controladores de temperatura instalados no local. Outro produto que chamou a atenção dos visitantes da Febrava foram os inversores de frequência YF iR, destinados a climatizadores evaporativos. Uma réplica de climatizador foi montada dentro do stand, demonstrando o funcionamento do inversor, o controle da velocidade do ventilador e também o acionamento da bomba d'água. Além desses produtos, a Ageon ainda expôs seus lançamentos mais recentes. A linha SolarTouch, composta de controladores diferenciais de temperatura, recebeu o Selo Destaque de Inovação e teve seu espaço com uma maquete funcional na qual os visitantes visualizaram um sistema de aquecimento solar em miniatura. Além de controlar a temperatura da água, o SolarTouch ainda acionou uma bomba de circulação, um apoio elétrico e a bomba para a cascata. Tudo isso configurado facilmente através do seu display de LCD 3,5" touchscreen. Os controladores Linha Prime K116 BigDisplay também foram destaque na Febrava. Os mais novos controladores de temperatura da Ageon são destinados a expositores de bebidas e possuem o design elegante da Linha Prime aliado à tecnologia touchscreen. Realizam o gerenciamento de degelo (natural, elétrico ou gás quente) e display de 30,5mm de altura facilita a visualização à distância, além de diversas outras vantagens. Os novos quadros de comando SmartSet Max foram lançados durante a Febrava e foram desenvolvidos para controlar câmaras frigoríficas. Disponíveis em versões para diversas potências, possuem teclas incorporadas ao painel frontal para acesso facilitado às principais funções, como iluminação, liga/desliga geral, entre outras. Além dessas novidades, a Ageon ainda levou até a feira toda a sua extensa linha de produtos, composta de diversos modelos de controladores de temperatura e inversores de frequência. Agradecemos a todos aqueles que visitaram nosso stand e que se interessaram por nossos produtos. *** Você visitou o stand da Ageon na Febrava? Se interessou por nossas novidades? Deixe seu comentário abaixo.

Configurando um Termostato – Funções de Retardo

08/09/2015 - Aquecimento, Aquecimento Solar, Automação, Charcutaria e Homebrewing, Chocadeiras, Refrigeração
Dando continuidade à nossa série de posts sobre como configurar um termostato, vamos falar hoje de uma função presente em vários controladores de temperatura da Ageon: os parâmetros de retardo. Quando as funções de retardo são necessárias? Para explicar a importância das funções de retardo é necessário primeiramente esclarecer o que são picos de energia. Esse problema consiste em um aumento breve e repentino na tensão da rede elétrica e pode ser causado por diversas razões. Entre as principais causas de picos de energia estão descargas atmosféricas e acionamentos de máquinas de alta potência, como motores, compressores, entre outros. Outra causa comum também é o acionamento simultâneo de diversos aparelhos, como ocorre quando o fornecimento de energia é restabelecido após uma queda na rede elétrica. Picos de energia podem causar diversos problemas para equipamentos eletrônicos, desde comprometimento de seu funcionamento até mesmo a queima e inutilização do produto. Para evitar os picos de energia causados pelo acionamento simultâneo de vários aparelhos, os termostatos digitais da Ageon apresentam as funções de retardo. Tomemos como exemplo um supermercado que possui uma câmara frigorífica, balcões de resfriados e congelados, expositores de bebidas, estufas e demais equipamentos que utilizam controladores de temperatura. Agora imaginemos que a energia foi restabelecida após uma queda. Sem parâmetros de retardo todos esses aparelhos ligariam no instante em que a rede fosse energizada, causando um pico de energia que poderia danificar grande parte desses produtos. Entretanto, com as funções de retardo, é possível configurar o acionamento de cada termostato para um tempo predefinido após sua energização. Por exemplo: um termostato será acionado com retardo de um minuto após a energização da rede, outro após 2 minutos, outro após 3 minutos, e assim por diante. Essa temporização reduz a possibilidade de picos de energia e consequentemente protege os equipamentos eletrônicos. Configurando funções de retardo A maioria dos controladores Ageon apresentam parâmetros de retardo. Geralmente esses parâmetros se dividem em três tipos: Retardo na Energização do Aparelho. Consiste em um período de tempo após a energização em que o termostato indica a temperatura, mas não faz o acionamento de nenhum relé. Esse é o parâmetro citado no exemplo anterior. Retardo Após Acionamento do Relé. Após o acionamento do relé, o mesmo permanecerá acionado pelo tempo definido neste parâmetro, independente da temperatura alcançada. Isso evita acionamentos e desligamentos repetidos em curtos períodos de tempo, aumentando a vida útil dos equipamentos e evitando também picos de tensão na rede. Retardo Após Desacionamento do Relé. Após o desacionamento do relé, o mesmo permanecerá desligado pelo tempo definido neste parâmetro, independente da temperatura alcançada. Assim como o parâmetro anterior, este recurso também preserva os equipamentos evitando acionamentos e desligamentos excessivos. Você já conhecia as funções de retardo dos controladores de temperatura? Possui alguma dúvida na configuração de termostatos Ageon? Deixe seu comentário abaixo.

Placa para esteiras ergométricas – Como escolher?

27/08/2015 - Fitness
Agora que você já sabe o que é uma placa inversora de esteiras ergométricas (também chamada de inversores de frequência), é importante saber quais cuidados deve tomar na hora de adquirir este tipo de equipamento. Reunimos abaixo algumas questões que são fundamentais para garantir o bom funcionamento das esteiras. Uma questão básica é identificar a potência do motor. As placas inversoras são projetadas para trabalhar com motores de uma potência predeterminada. Se a corrente solicitada pelo motor for maior que a suportada pela placa, o inversor protegerá o sistema e não funcionará. Em casos isolados, pode haver danos irreversíveis como a queima da placa. Outro item importante é a alimentação. A maioria dos inversores para esteiras possuem alimentação 110V ou 220V. Ainda existem os modelos bivolt, que suportam ambas as tensões. Estes últimos são os mais indicados, pois evitam problemas onde a tensão do produto é incompatível com a tensão da rede elétrica. A placa inversora geralmente se comunica com o painel da esteira através de um desses modos: teclado, frequência ou serial. Identificar se o modo de funcionamento da placa é compatível com o painel é um cuidado básico a ser tomado. Alguns modelos de inversores, entretanto, podem ser configurados em mais de um modo de funcionamento, garantindo mais versatilidade para fabricantes e técnicos de manutenção. Além destas questões, outros cuidados podem ser determinantes na escolha de uma placa inversora. Após a compra, existem ainda as precauções que devem ser tomados na hora da instalação, como listamos no post “Dica rápida: instalação de placa em esteira ergométrica”.   Inversores Ageon para Esteiras Ergométricas A linha de inversores IEX70 da Ageon foi desenvolvida especialmente para fabricantes e profissionais de manutenção de esteiras ergométricas. Compatível com os principais modelos de esteiras, a linha IEX70 possui a configuração mais fácil do mercado. Instalou, ligou. Os inversores IEX70 se destacam entre as concorrentes por diversas vantagens, como a praticidade da alimentação bivolt (110V ou 220V selecionável). Isso permite sua instalação em esteiras de diversas regiões do Brasil independente da tensão da rede elétrica. Também possui formato compacto e gabinete de proteção, que facilitam a instalação em diversos modelos de esteiras ergométricas. Outros diferenciais são seu cooler de rolamento, a chave seletora que facilita a configuração e as teclas de acionamento para realização de testes. Outra característica importante é que os inversores IEX70 podem trabalhar tanto em modo teclado como em modo frequência ou serial. Todas essas opções estão disponíveis em um único modelo. *** Você possui alguma dica interessante para escolha da placa inversora? Possui alguma dúvida, crítica ou sugestão? Deixe seu comentário abaixo.

SmartSet S106 ONE Web é destaque na Mídia Especializada

25/08/2015 - Refrigeração
A Ageon é novamente destaque na mídia devido à inovação e tecnologia presentes em seus produtos. Agora é a vez do SmartSet ONE S106 Web ser assunto de uma matéria da Avicultura Industrial. A publicação ressaltou todas as vantagens da utilização desse controlador de temperatura, como a possibilidade de monitoramento online através do ArcSys. Para ver a matéria completa acesse este link. Vantagens do SmartSet ONE S106 Web Além de realizar o controle da temperatura em câmaras de resfriados ou congelados, o SmartSet ONE S106 Web támbém possui relógio em tempo real que permite o gerenciamento de degelo em horários predeterminados. O design exclusivo da série SmarSet ainda confere ao produto um amplo espaço interno que pode ser utilizado para a instalação de componentes auxiliares, como disjuntores e contatores. Com teclas de controle diretamente no painel frontal e display de 30mm, o SmartSet ONE S106 Web é fácil de utilizar e configurar. Entretanto, o grande diferencial do produto é definitivamente a possibilidade de monitoramento via internet. Quando utilizado com o ArcSys, o produto pode ser supervisionado de qualquer smartphone, tablet ou computador conectado à internet. Além de visualizar a temperatura de seu SmartSet, é possível alterar parâmetros, gerar relatórios em forma de gráficos ou tabelas e ainda configurar alarmes por e-mail caso a temperatura saia da faixa programada. Tudo isso de forma simples e prática, sem a necessidade de um computador ligado 24hs/dia e sem a instalação de softwares. *** Você já conhecia o SmartSet S106 ONE Web? Possui alguma dúvida, comentário ou sugestão? Escreva nos comentários.

Monitor de Tensão em Controladores de Temperatura

18/08/2015 - Aquecimento, Aquecimento Solar, Automação, Charcutaria e Homebrewing, Chocadeiras, Refrigeração
Existem no mercado diversos termostatos digitais com funções adicionais além do controle de temperatura. Já citamos termostatos com gerenciamento de degelo e também com funções de temporização. Hoje vamos falar sobre controladores de temperatura com monitor de tensão incorporado.   Para que serve um monitor de tensão? A tensão da rede não é algo estável e diversos fatores podem ocasionar as chamadas flutuações da tensão da rede elétrica. Especialmente no Brasil existem regiões onde essa variação é grande o suficiente para danificar os aparelhos elétricos. Para evitar esse problema existem os monitores de tensão. Imagine um compressor que possui como especificações de tensão mínima de 210V e máxima de 230V. Caso a tensão da rede esteja fora dessa faixa devido a flutuações, é possível que o compressor trabalhe forçado e venha a sofrer danos, talvez até irreversíveis. Entretanto, caso um monitor de tensão seja configurado com as especificações do compressor, sempre que a tensão da rede estiver fora da faixa programada o compressor será desligado, protegendo o aparelho. A função de um monitor de tensão é justamente essa, proteger os aparelhos de flutuações na rede que possam prejudicá-los. Ele permite que sejam configurados valores mínimos e máximos nos quais os aparelhos funcionem de maneira segura e qualquer tensão fora desses valores resulta em desligamento por parte do monitor.   Controladores Ageon com Monitor de Tensão A Ageon possui modelos de controladores de temperatura com monitor de tensão incorporado. Os modelos G104 e H104 são destinados especialmente para tanques resfriadores de leite. Além de controlar a temperatura esses termostatos ainda protegem o equipamento caso haja flutuações de tensão na rede. Seus parâmetros de temporização ainda permitem maior controle do agitador. Ambos os modelos possuem display colorido que facilita a visualização à distância e são fáceis de instalar e configurar. Existe ainda o modelo SmartSet MLK S104, que também é destinado a tanques resfriadores de leite e que também possui monitor de tensão incorporado. Além de monitorar a temperatura, esse produto possui design exclusivo com amplo espaço interno para a instalação de componentes adicionais. Seus dois relés de 40A dispensam a necessidade de contatores na grande maioria dos casos. *** Você utilizar esse tipo de controlador? Possui problemas com flutuações na rede? Deixe seu comentário, dúvida ou sugestão abaixo.

Configurando um Termostato – Temporização

11/08/2015 - Aquecimento, Aquecimento Solar, Automação, Charcutaria e Homebrewing, Chocadeiras, Refrigeração
Os termostatos digitais atuais realizam muitas funções além do controle de temperatura. Um recurso comum em grande parte desses aparelhos são funções de temporização, utilizadas para acionar diferentes equipamentos em diversas aplicações. As funções de temporização geralmente são utilizadas para acionar eventos cíclicos. Para configurar um evento cíclico é necessário definir dois parâmetros fundamentais: a duração do evento e o intervalo entre um evento e outro. Esse recurso permite que o termostato acione automaticamente outro equipamento, como ventiladores, agitadores, entre outros. Existem ainda parâmetros que relacionam a temporização com o controle de temperatura, em que o funcionamento de uma saída interfere no funcionamento da outra. É o caso, por exemplo, de tanques resfriadores de leite. Esses equipamentos possuem um agitador que deve ser acionado sempre que o compressor estiver ligado e, quando o compressor desligar, o agitador deve se manter acionado por um tempo definido. Nesses casos o temporizador cíclico não supriria a necessidade, já que o compressor ligaria independente dessa temporização. Outro exemplo é o gerenciamento de degelo. Para realizar o degelo natural é necessário configurar sua duração e frequência. Durante o degelo o controle de temperatura deve ser interrompido, independente da temperatura registrada pelo sensor, o que também não pode ser realizado apenas com uma temporização cíclica. Por esse motivo existem termostatos digitais com funções de temporização específicas para atender as diferentes demandas do mercado.   Controladores Ageon com Temporização A Ageon possui diversos modelos de controladores de temperatura com funções de temporização. Entre eles, os produtos que permitem maior liberdade na configuração de temporizações são os modelos G103, H103 e Linha Prime K103. Considerando a "Saída 1" como referente ao controle de temperatura e a "Saída 2" como referente ao temporizador, esses termostatos podem ser configurados de 4 formas: Timer cíclico - a Saída 2 é acionada de acordo com a temporização, independente da Saída 1; Degelo elétrico - a Saída 1 é forçada a desligar sempre que a Saída 2 estiver ligada; Degelo por gás quente - a Saída 1 é forçada a ligar sempre que a Saída 2 estiver ligada; Resfriador de leite - sempre que a Saída 1 for acionada de acordo com a temperatura, a Saída 2 será ligada. Quando a Saída 1 desligar, a Saída 2 continua acionada por um tempo definido, iniciando um ciclo.   A Ageon ainda possui diversos outros termostatos com funções de temporização para aplicações específicas, como os modelos G102, H102 e Linha Prime K102 para gerenciamento de degelo natural; os modelos G104 e H104 para tanques resfriadores de leite; os modelos G106 e H106, com gerenciamento de degelo elétrico ou por gás quente. *** Você utiliza funções de temporização em termostatos digitais? Deixe seu comentário, dúvida ou sugestão abaixo.

Gerenciamento de degelo com termostatos digitais

30/07/2015 - Refrigeração
A formação de gelo decorrente da condensação da umidade presente no ambiente prejudica a eficiência do sistema, pois funciona como um isolante térmico. Para evitar esse problema é necessário realizar o degelo periodicamente, evitando o acúmulo de gelo e o comprometimento do sistema de refrigeração. Existem diferentes formas de degelo. Em situações onde a temperatura fica acima de 0°C é comum a utilização de degelo natural, onde há o simples desligamento do compressor por um determinado período de tempo. Quando a temperatura é inferior a 0°C é mais comum a utilização de degelo elétrico, em que uma resistência elétrica acelera o processo, e de degelo por gás quente, que utiliza o vapor da descarga do compressor aplicado diretamente sobre a superfície dos evaporadores. Independente da forma de degelo utilizada, é importante que ele seja realizado periodicamente. Por essa razão existem termostatos digitais que gerenciam esse processo, permitindo programar as durações e o intervalo de tempo entre um degelo e outro. Controladores Ageon com gerenciamento de degelo A Ageon possui controladores de temperatura destinados a diversos tipos de sistemas de refrigeração. Os modelos G102, H102 e K102 são utilizados principalmente em balcões de resfriados e expositores de bebidas, pois possuem gerenciamento de degelo natural por parada do compressor. Os modelos G106 e H106 são utilizados em câmaras frigoríficas e balcões de congelados. Contam com gerenciamento de degelo elétrico ou por gás quente e ainda fazem o controle dos ventiladores. Existe ainda a linha SmartSet, que conta com os modelos SmartSet ONE S106 e SmartSet DUO S109. Ambos possuem gerenciamento de degelo elétrico ou por gás quente, botões de iluminação diretamente no painel e ainda um amplo espaço interno para instalação de componentes auxiliares. O modelo ONE S106 é destinado especialmente para o controle de temperatura de uma câmara frigorífica, enquanto o modelo DUO S109 pode controlar duas câmaras frigoríficas simultaneamente. *** Você utiliza o gerenciamento de degelo? Conhece as vantagens dos controladores Ageon citados acima? Deixa sua opinião abaixo.

Técnicos qualificados: um investimento que compensa

21/07/2015 - Aquecimento, Aquecimento Solar, Automação, Charcutaria e Homebrewing, Chocadeiras, Climatizadores, Fitness, Refrigeração
Para conseguir um preço competitivo na venda de seus produtos muitas empresas costumam reduzir custos de todas as formas possíveis. Embora essa prática seja válida quando se trata de evitar desperdícios, em alguns casos ela se mostra prejudicial em um curto período de tempo. Um exemplo é quando há necessidade de técnicos especializados.   Porque é tão importante ter um profissional com conhecimentos técnicos? Imagine uma fábrica de climatizadores evaporativos. Grande parte desses produtos utiliza um inversor de frequência para controlar a velocidade das hélices. É recomendado que a instalação desses componentes seja feita por um profissional qualificado. Agora imagine que o proprietário desta fábrica queira reduzir os gastos e contrate mão-de-obra mais barata, sem o conhecimento técnico necessário. De início, os custos aparentemente serão menores, mas com o tempo a possibilidade de erros aumenta, gerando falhas nos aparelhos e reclamação dos clientes. Isso traz prejuízos a médio e longo prazo, tanto pelas devoluções e manutenções quanto pela imagem da empresa, que fica marcada como fabricante de má qualidade. A mesma situação se repete em diversos outros segmentos. Profissionais bem treinados são um fator determinante tanto na fabricação de produtos quanto na prestação de serviços. Muitas vezes é válido investir na capacitação de funcionários. Atualmente existem várias instituições que oferecem cursos técnicos e profissionalizantes por um custo baixo ou até mesmo de forma gratuita. Uma equipe capacitada e atualizada em relação ao mercado pode representar um diferencial e evitar problemas que abalam a credibilidade da empresa. A Ageon recomenda que a instalação de seus produtos seja realizada por técnicos capacitados. Isso garante que seus controladores de temperatura e inversores de frequência sejam instalados corretamente, evitando manutenções desnecessárias, mau uso e até mesmo danos irreversíveis ao produto. *** Você considera importante investir em um profissional técnico? Qual sua opinião sobre o assunto?

Termostatos digitais em Resfriadores de Leite

16/07/2015 - Refrigeração
Tanques resfriadores de leite são utilizados para manter a qualidade do leite logo após a ordenha. Nesse primeiro momento, o leite está sujeito à proliferação de diversos micro-organismos e para evitar a contaminação é necessário resfriá-lo a uma temperatura menor do que 4°C em um tempo máximo de apenas 3 horas. Entre as principais vantagens dos tanques resfriadores de leite (também chamados de tanques de expansão) estão a grande superfície de contato com o líquido e a presença de um agitador. Essas características permitem o resfriamento do leite de forma homogênea e no menor tempo possível, garantindo sua qualidade e impedindo a multiplicação de bactérias.   Utilização de Termostatos Digitais Grande parte dos tanques resfriadores de leite utiliza termostatos digitais para realizar o controle de temperatura. Esses aparelhos controlam o sistema de refrigeração, acionando o sistema de forma que a temperatura fique sempre abaixo de 4°C e desligando o sistema quando essa temperatura é atingida. Além de garantir o armazenamento do leite na temperatura correta, esse processo reduz o consumo de energia. Alguns termostatos digitais ainda possuem funções extras que auxiliam os produtores de leite. É o caso, por exemplo, das funções de temporização, que podem ser configuradas para acionar o misturador do tanque de resfriamento. Entretanto, alguns cuidados devem ser tomados. Em relação ao sensor de temperatura, deve ser utilizado em um poço termométrico e posicionado próximo da serpentina do resfriador. Essa medida evita o congelamento do leite por inércia térmica. As vantagens de utilizar termostatos digitais em resfriadores de leite são várias (saiba mais no post Como funciona um termostato digital), como a fácil visualização da temperatura em um display e a precisão no controle, além das funções de automação disponíveis.   Controladores Ageon para Resfriadores de Leite A Ageon fabrica termostatos digitais para tanques resfriadores de leite. Os controladores G104 e H104 foram desenvolvidos especialmente para esta aplicação. Além do controle de temperatura, esses aparelhos possuem funções de temporização para o agitador. O monitor de tensão incorporado ainda protege o compressor em caso de oscilação de energia. Isso evita danos ao equipamento e consequentemente a perda de mercadoria. *** Você trabalha com tanques resfriadores de leite? Utiliza controladores de temperatura digitais em seus produtos? Deixe sua opinião abaixo.