Tudo sobre controladores de temperatura e inversores de frequência

No Blog da Ageon você encontra dicas, vídeos e diversos artigos sobre controladores eletrônicios para automação, aquecimento, refrigeração e climatização

Onde adquirir produtos Ageon?

10/08/2018 - Ageon, Controladores de Temperatura, Inversores de Frequência
A Ageon possui uma vasta linha de produtos. São diversos modelos de controladores de temperatura e inversores de frequência destinados às mais variadas aplicações. Entre os principais produtos fornecidos pela empresa estão controladores para aquecimento solar, refrigeração comercial e industrial, chocadeiras, entre outros. Na linha de inversores de frequência, os destaques são os modelos para climatizadores evaporativos, esteiras ergométricas e automação em geral. No entanto, a política comercial da Ageon valoriza sua parceria com fabricantes e distribuidores. Dessa forma, se você deseja adquirir nossos produtos, é importante identificar seu perfil de cliente. Neste post você verá como adquirir produtos Ageon de acordo com seu perfil de cliente.   Possuo uma empresa e quero adquirir produtos Ageon A política comercial da Ageon é focada em vendas B2B, ou seja, de empresa para empresa. Se você possui uma empresa constituída e deseja utilizar nossos produtos para fabricação ou para revenda, entre em contato conosco. A Ageon oferece diversos benefícios para seus parceiros, como garantia de fábrica e agilidade na entrega, por exemplo. Temos inclusive outro post em nosso blog falando sobre as vantagens de ser um distribuidor Ageon.   Desejo adquirir produtos Ageon para uso próprio Se você não possui uma empresa ou deseja adquirir produtos para uso próprio, a Ageon possui uma rede de distribuidores que pode lhe atender da melhor forma. Através da nossa página de distribuidores, você pode encontrar o distribuidor mais próximo, seja uma loja física ou loja online. Ao acessar esta página, você irá se deparar com três campos: "Busca por", "Produto/Aplicação" e "Estado". Em primeiro lugar você pode optar por buscar por produtos específicos ou por aplicações. Em seguida, você pode selecionar entre uma lista de produtos ou aplicações, dependendo do item selecionado no campo anterior. Por último, você deve definir o estado em que deseja adquirir o produto. Ao clicar em "Pesquisar" é carregada uma lista de empresas que distribuem os produtos selecionados. A lista será dividida entre lojas físicas e lojas online, e você pode escolher o tipo de compra que melhor lhe convém para entrar em contato direto com o distribuidor. *** Deixe seu comentário sobre este post abaixo.

Instalação do inversor de frequência IRX Pro em Climatizadores

08/08/2018 - Climatizadores, Dicas Ageon, Inversores de Frequência
Climatizadores evaporativos utilizam inversores de frequência para controlar a velocidade do ventilador. Além disso, o inversor também pode realizar diversas outras funções, como falamos neste post. Hoje vamos dar dicas práticas de como instalar o inversor IRX Pro no climatizador de forma correta, evitando problemas decorrentes de superaquecimento ou umidade elevada. 1. Evitando superaquecimento e umidade elevada 2. Fixação do inversor IRX Pro em climatizadores 3. Posição do inversor no interior do climatizador 4. Ligação elétrica do inversor IRX Pro   1. Evitando superaquecimento e umidade elevada O inversor de frequência é um equipamento eletrônico e, portanto, possui condições recomendadas de temperatura e umidade para funcionar corretamente. Os inversores IRX Pro foram desenvolvidos para trabalhar em temperaturas de 0°C a 50°C e umidade relativa entre 5% e 90%. Condições diferentes das apresentadas acima podem interferir no funcionamento do inversor, podendo causar a queima do aparelho, por exemplo. Ao instalar o inversor de frequência IRX Pro em um climatizador, é importante levar em consideração estes fatores. A ventilação do próprio climatizador é responsável por dissipar o calor do inversor. Além disso, o módulo inversor da linha IRX Pro possui vedação que evita a entrada de umidade no interior do aparelho. Para garantir a proteção contra umidade, utilize os passa cabos que acompanham o produto.   2. Fixação do inversor IRX Pro em climatizadores Primeiramente vamos falar sobre a fixação do módulo inversor dentro do climatizador. De acordo com o manual do produto, o módulo inversor da linha IRX Pro deve ser instalado no interior do climatizador. Isso ocorre para que a ventilação do climatizador dissipe o calor emitido pelo inversor de frequência. Nas imagens abaixo demonstramos como fixar o aparelho no climatizador, tanto nas laterais quanto no assoalho do equipamento. É importante fixar o aparelho utilizando todos os quatro parafusos fornecidos junto ao inversor. Também é importante que o módulo inversor seja fixado sempre na posição vertical, conforme citado no manual do aparelho.   3. Posição do inversor no interior do climatizador A posição do inversor de frequência no interior do climatizador influencia em seu funcionamento. Isso ocorre porque dentro do climatizador existem áreas com diferentes graus de temperatura e umidade. Na imagem abaixo destacamos os locais ideais para a instalação do módulo inversor da linha IRX Pro. As áreas em verde são as áreas indicadas para a instalação do inversor, ou seja, as áreas com melhores condições de temperatura e umidade. Essas áreas se localizam na área superior frontal do climatizador, pois recebem menos umidade proveniente do painel evaporativo. Além desse cuidado, é essencial que o inversor seja instalado a pelo menos 10cm do motor ou outros componentes que geram/dissipam calor. Como motores elétricos aquecem durante o funcionamento, esta distância é necessária para que estes equipamentos não interfiram no funcionamento do inversor.   4. Ligação elétrica do inversor IRX Pro Após realizar a fixação do inversor, é a hora de fazer a ligação elétrica do aparelho. No vídeo abaixo é demonstrado como ligar o inversor IRX Pro à rede elétrica, e aos dispositivos acionados por ele, como o motor do ventilador e a bomba de circulação, por exemplo. A Ageon recomenda que todos os seus produtos sejam instalados por profissionais qualificados. Em caso de dúvidas entre em contato com nosso suporte técnico pelo telefone (48) 3028-8878. *** O que você achou deste post? Deixe seu comentário abaixo.

A importância do aterramento na instalação de Esteiras Ergométricas

01/08/2018 - Esteiras Ergométricas, Inversores de Frequência
O aterramento é uma prática muito importante para qualquer tipo de instalação elétrica. No entanto, quando se trata de esteiras ergométricas sua importância é ainda maior. Neste post vamos falar sobre porquê a instalação da esteira deve ser aterrada e como realizar este procedimento de forma correta.   Por que realizar o aterramento? Em primeiro lugar é importante esclarecer o que significa aterrar uma instalação elétrica. Como o nome sugere, um dispositivo está aterrado quando um de seus terminais está ligado à terra. [caption id="attachment_6416" align="aligncenter" width="400"] Exemplo de aterramento[/caption] O objetivo de aterrar uma esteira ergométrica é proteger os usuários tanto quanto os técnicos que realizarão manutenções no equipamento. Ao aterrar um dispositivo, a carga eletrostática presente em sua carcaça é dissipada, reduzindo o risco de choques elétricos. Além disso, o aterramento facilita o funcionamento de dispositivos de proteção, como fusíveis e disjuntores. Esses dispositivos protegem a esteira ergométrica quando há um aumento de corrente ou descarga elétrica e, quando o equipamento está aterrado, estas situações são detectadas mais facilmente. Outra vantagem de aterrar a esteira ergométrica é a dissipação da corrente de fuga que provém do motor, protegendo os usuários e o próprio equipamento. Aterrar a esteira ergométrica é essencial para que sua instalação esteja de acordo com as normas técnicas  e de segurança.   Como fazer o aterramento em uma esteira ergométrica? Antes de tudo é necessário verificar se o local da instalação possui aterramento. Informe-se se o local está preparado para que os dispositivos sejam aterrados antes de dar prosseguimento à instalação. Em uma esteira ergométrica, o aterramento deve ser feito tanto no motor quanto no inversor de frequência. Para demonstrar a forma correta de realizar este procedimento, vamos utilizar como exemplo e inversor IEX70 da Ageon, desenvolvido especialmente para esteiras ergométricas. Na imagem abaixo é possível visualizar como aterrar corretamente esses dispositivos. O aterramento costuma ser realizado através das carcaças metálicas dos equipamentos, por exemplo. Geralmente se utilizam fios nas cores verde ou verde e amarelo. Os motores elétricos possuem um terminal específico para o aterramento, que fica ligado à sua carcaça. Este terminal deve ser ligado à estrutura metálica da esteira. Da mesma forma, o inversor de frequência também possui um terminal específico para aterramento, que também deve ser ligado à carcaça da esteira. Atente-se sobre a forma correta de realizar o aterramento da esteira ergométrica. Ambos os cabos de aterramento (do motor e do inversor) devem se encontrar em um ponto comum na carcaça da esteira, e a partir daí se unirem até o aterramento propriamente dito no local da instalação. Contate um técnico qualificado para realizar o aterramento da esteira ergométrica e utilize fios com bitola adequada, de acordo com as normas vigentes. *** Se este post foi útil para você, deixe seu comentário abaixo.

Checklist: cuidados com o sensor de temperatura em resfriadores de leite

25/07/2018 - Controladores de Temperatura, Dicas Ageon, Refrigeração
O controle de temperatura é essencial para o funcionamento dos tanques resfriadores de leite. Esses equipamentos costumam utilizar termostatos digitais que acionam o sistema de refrigeração e, em muitos casos, acionam também o agitador. No entanto, todo o processo de controle térmico se inicia por um ponto: o sensor de temperatura. Neste post vamos dar dicas para evitar problemas com o sensor de temperatura e manter o resfriador de leite funcionando conforme esperado.   O que ocorre quando o sensor de temperatura está danificado? Problemas no sensor de temperatura comprometem o funcionamento do resfriador por completo, pois o termostato deixa de medir a temperatura do leite. Em muitos casos, o termostato apresenta uma mensagem de erro quando uma falha no sensor é detectada. Nos controladores de temperatura Ageon para resfriadores de leite, por exemplo, o código "E1" é exibido no display caso o sensor apresente defeito. O aparelho então desativa a saída do compressor, interrompendo o processo de refrigeração. Entretanto, em alguns casos o termostato não consegue identificar o problema no sensor. Nesses casos o sensor passa a registrar a temperatura incorretamente, exibindo um valor diferente da temperatura real do leite. Isso pode resultar em má refrigeração ou em congelamento do leite. Problemas com o sensor de temperatura podem causar prejuízos e risco de perda de mercadoria por falta de controle térmico. Para evitar que isso ocorra, confira o checklist abaixo e aumente a vida útil do sensor.   Cuidados com o sensor de temperatura do resfriador de leite As dicas abaixo são fundamentais para garantir a durabilidade do sensor de temperatura utilizado em resfriadores de leite. Utilize este checklist para se certificar que o sensor será utilizado em condições ideais de funcionamento: Checklist: Sensor de temperatura do resfriador de leite Clique nos itens que estão de acordo com a sua instalação   O sensor é utilizado dentro das especificações de temperatura e umidade (conforme manual do produto) O sensor foi calibrado de acordo com um termômetro aferido A emenda do cabo do sensor foi realizada corretamente utilizando cabo pp 2x24 awg (recomendado o uso de tubo termo retrátil) O cabo do sensor não possui mais de 100 metros O cabo e a ponta do sensor não estão pressionados, amassados ou comprimidos O sensor está distante de objetos cortantes, pontiagudos ou perfurantes O sensor está distante de equipamentos que geram interferência, conforme as normas técnicas vigentes (como motores e contatores, por exemplo) O sensor está aplicado em um poço termométrico (recomendado) A aplicação do sensor está de acordo com 0% das recomendações .calcInput:checked + label{text-decoration: line-through;color: #999999; var inputs = document.getElementsByClassName("calcInput"); for(var i="0"; i 50){ bgcolor = "#fff89e"; }; document.getElementById("calcPar").style.backgroundColor = bgcolor; document.getElementById("calcResult").innerHTML = result+"%"; gtag('event', 'Interação Blog', {'event_category':'Checklist', 'event_label':'Post - Sensor Resfriador de Leite'}); };   Ao utilizar o sensor seguindo 100% das recomendações acima, a vida útil do aparelho será maior. Dessa forma evitam-se os problemas citados anteriormente, como a perda de mercadoria por falta de controle de temperatura. *** O que você achou deste post? O checklist foi útil? Deixe seu comentário abaixo.

Ciclo de degelo de um controlador de temperatura para refrigeração

18/07/2018 - Controladores de Temperatura, Refrigeração
O degelo é uma etapa muito importante quando se fala em refrigeração. Já falamos aqui no blog sobre sobre os principais tipos de degelo e sobre como esse processo é responsável por manter a eficiência do sistema. O degelo pode ser realizado em ciclos automáticos gerenciados pelo controlador de temperatura, por exemplo. São algumas etapas que ocorrem em sequência e então voltam a se repetir. Neste post vamos falar justamente sobre as etapas de um sistema de refrigeração com ciclo de degelo e como o controlador de temperatura funciona em cada uma delas.   Quais as etapas de um sistema de refrigeração com ciclo de degelo? Primeiramente é essencial identificar as etapas do sistema de refrigeração que possui ciclo de degelo. Podemos considerar quatro etapas ao todo, utilizando como exemplo o processo dos controladores Ageon para refrigeração. As etapas são as seguintes: 1. Refrigeração 2. Degelo 3. Drenagem 4. Atraso nos ventiladores Cada uma dessas etapas possui um objetivo bem definido e o controlador de temperatura se comporta de forma diferente em cada uma delas. Em seguida você pode visualizar uma explicação mais detalhada de cada etapa. 1. Refrigeração Esta é a etapa fundamental de qualquer sistema de refrigeração, pois é nela que ocorre o controle de temperatura. Nesta etapa o compressor é acionado automaticamente pelo controlador para atingir a temperatura configurada. Os ventiladores podem funcionar de duas formas durante esta etapa, de acordo com a configuração do controlador. É possível que os ventiladores fiquem sempre acionados durante a refrigeração ou que sejam acionados apenas quando o compressor estiver ligado. 2. Degelo Como o nome sugere, esta etapa é onde o degelo ocorre efetivamente. O compressor é desativado e, dessa forma, o controle de temperatura é interrompido. Assim, o gelo presente no evaporador começa a derreter.  Em sistemas com degelo natural o compressor permanece desligado pelo tempo definido na configuração. Em sistemas com degelo elétrico ou gás quente, a saída de degelo fica acionada por um tempo configurável ou até que a temperatura do evaporador atinja um determinado valor. Durante a etapa de degelo o ventilador pode ficar ativado ou não, de acordo com a configuração do controlador. 3. Drenagem Após a realização do degelo, a etapa de drenagem permite que a água presente no evaporador escorra até o reservatório. A duração desta etapa é configurável. As saídas do compressor e do degelo ficam desativadas enquanto a drenagem ocorre. O ventilador pode ou não ser acionado, de acordo com a temperatura do evaporador. 4. Atraso nos ventiladores Nos sistemas que utilizam degelo elétrico ou por gás quente, a temperatura no evaporador costuma aumentar durante o degelo. Por isso existe a etapa de atraso nos ventiladores. Nesta etapa o compressor é acionado, retirando o calor do evaporador. No entanto os ventiladores permanecem desligados para evitar que o calor se espalhe no interior do equipamento.   Verificando a etapa atual do ciclo de degelo nos controladores Ageon Se você possui um controlador de temperatura Ageon para refrigeração, é possível identificar em qual etapa do ciclo o sistema se encontra. Para isso, basta pressionar a tecla "cima" do controlador. Em seguida, um dos códigos abaixo será exibido no display: rE - Refrigeração dE - Degelo dr - Drenagem Af - Atraso nos ventiladores Para visualizar quanto tempo resta para o final do ciclo, mantenha a tecla "Set" pressionada enquanto o estado atual for exibido. O display então mostrará qual o tempo restante para o fim do estado atual, conforme imagem. Além de visualizar o estado atual, também é possível avançar etapas no ciclo de degelo. Enquanto o estado atual for exibido no display, pressione a tecla "cima" por 4 segundos. Dessa forma, o controlador entrará automaticamente na etapa seguinte. Isto pode ser utilizado para forçar um degelo ou para pular a etapa de drenagem, por exemplo. *** Este post foi útil? Deixe seus comentários abaixo.

Instalando o inversor de frequência IEX70 em esteiras ergométricas

11/07/2018 - Esteiras Ergométricas, Inversores de Frequência
Os inversores de frequência IEX70 são a solução da Ageon para esteiras ergométricas que utilizam motores trifásicos. Uma de suas principais características é a facilidade de instalação e este é justamente o assunto deste post. Apesar de simples, alguns detalhes podem fazer a diferença para o funcionamento do inversor. Neste post vamos dar dicas sobre a forma correta de instalar o inversor IEX70 na esteira.   Qual a melhor forma de instalar o inversor de frequência IEX70 na esteira ergométrica? Antes de instalar o inversor de frequência na esteira, é necessário se atentar a alguns detalhes. Em primeiro lugar, é importante estar ciente de que o inversor de frequência é um aparelho eletrônico e que sua durabilidade está relacionada a uma rede elétrica em boas condições. Certifique-se de que as condições do local estejam de acordo com as especificações do inversor IEX70. Utilize um multímetro para avaliar a tensão de entrada e verifique se a instalação elétrica do local possui fios adequados para a corrente exigida pela esteira. Também é essencial que a instalação possua aterramento. Após se certificar que os itens acima estão de acordo com as especificações do inversor de frequência IEX70, a instalação já pode ser iniciada. Veja abaixo qual a melhor forma de realizar a instalação. 1. Identifique o motor e o painel da esteira Identificar o motor e o painel da esteira é o primeiro passo para instalar o inversor. Os inversores de frequência IEX70 acionam motores trifásicos de até 2CV. Em relação ao painel da esteira, os inversores IEX70 são compatíveis com diversos modelos presentes no mercado. É possível utilizar o inversor de frequência IEX70 em painéis que utilizam modo teclado, frequência ou serial. Após identificar essas características, veja como fazer a ligação elétrica do painel com o inversor. 2. A maneira ideal de posicionar o inversor Antes de fixar o inversor de frequência na esteira ergométrica é importante saber que alguns elementos interferem no funcionamento do aparelho. É o caso do fluxo de ar no inversor e também da proximidade com o motor, por exemplo. Nas imagens abaixo é possível verificar os principais cuidados que devem ser tomados ao fixar o inversor na esteira. O inversor de frequência IEX70 deve ser instalado a pelo menos 15cm de distância do motor. Isso ocorre porque o ar quente proveniente do motor pode superaquecer o produto, prejudicando seu funcionamento e causando risco de danificar o inversor. Uma distância de pelo menos 10cm em relação à lona também é indicada, conforme a imagem acima. Dessa forma evita-se que resíduos saiam da lona em direção ao inversor. Outro cuidado importante é em relação ao fluxo de ar no interior do inversor. O inversor de frequência IEX70 possui um cooler interno que é responsável pela ventilação e consequentemente pela dissipação do calor dentro do produto. A posição mais indicada para instalar o inversor com o fluxo de ar em direção ao motor (conforme imagem acima). Essa fixação evita que o ar quente do motor seja transferido para dentro do inversor ou que resíduos da lona prejudiquem o cooler. 3. Manutenções preventivas evitam problemas Uma prática comumente subestimada pelos clientes é a manutenção preventiva da esteira ergométrica. Devido ao funcionamento da esteira e às condições do ambiente, é normal que o inversor acumule resíduos em seu gabinete. O acúmulo de poeira, por exemplo, pode danificar a ventilação do inversor e prejudicar seu funcionamento a longo prazo. Dessa forma, realizar manutenções e limpezas periódicas é essencial para elevar a vida útil de todo o equipamento, inclusive do inversor.   Vantagens do inversor de frequência IEX70 Os inversores de frequência da linha IEX70 foram desenvolvidos especialmente para esteiras ergométricas. Por isso, se diferenciam dos inversores encontrados no mercado em diversos aspectos, como formato e configuração, por exemplo. Os inversores IEX70 possuem formato compacto e gabinete de proteção que evita a entrada de resíduos no inversor. Além disso, essa linha possui cooler de rolamento, que é acionado apenas quando o motor está em funcionamento ou quando o módulo estiver com uma temperatura muito elevada. Essas características fazem com que o inversor IEX70 seja mais resistente e sua durabilidade seja maior. A configuração dos inversores IEX70 é muito mais simples do que os demais inversores. Diferente dos inversores de frequência comuns do mercado, a linha IEX70 não precisa de ajuste de parâmetros. Isso ocorre porque essa linha é específica para esteiras. Dessa forma, toda a configuração pode ser realizada rapidamente através de quatro chaves DIP. Essas chaves devem ser posicionadas de acordo com o tipo de painel da esteira ergométrica. *** Você trabalha com instalação ou manutenção de esteiras ergométricas? Deixe seu comentário abaixo sobre a instalação dos inversores IEX70.

A importância do sensor de nível para um climatizador evaporativo

04/07/2018 - Climatizadores, Dicas Ageon, Inversores de Frequência
A principal característica dos climatizadores evaporativos é elevar a umidade do ambiente. Isso ocorre quando o fluxo de ar passa através do painel evaporativo molhado. Ou seja, para que um climatizador evaporativo funcione efetivamente, a água é um fator essencial. Por isso os climatizadores possuem um reservatório de água, e é justamente neste ponto que um recurso muito importante mostra seu valor: o sensor de nível. Neste post você verá o que é um sensor de nível e qual a sua importância para os climatizadores evaporativos.   O que é um sensor de nível? Primeiramente é preciso esclarecer o que é um sensor de nível. Os sensores de nível são dispositivos utilizados basicamente para identificar a quantidade de um determinado líquido no interior de um reservatório ou tanque. Existem vários tipos de sensores de nível, no entanto os mais utilizados no ramo de climatizadores identificam o nível de água através da flutuação. Estes dispositivos possuem contatos magnéticos que ficam fechados quando o nível de água está normal, e fecham quando o nível de água está baixo (ou vice-versa).   A importância do sensor de nível para os climatizadores evaporativos Conforme citamos no início do post, a água é essencial para o funcionamento do climatizador evaporativo. Por isso esses equipamentos possuem um reservatório e uma bomba, que é responsável por levar água ao painel evaporativo. De acordo com a utilização do climatizador, o nível de água do reservatório irá diminuir devido ao processo de evaporação. A maioria dos climatizadores possui um sistema que completa o nível de água do reservatório utilizando um sistema de boias hidráulicas. No entanto existem casos em que esse tipo de sistema pode falhar, como quando há uma interrupção no fornecimento de água. Nesses casos o reservatório pode ficar vazio, prejudicando o funcionamento do climatizador. Quando o reservatório fica sem água, o climatizador perde sua principal função. Além disso, caso a bomba seja acionada sem que haja água, o equipamento pode sofrer diversas avarias, desde o superaquecimento até uma queima da bomba. Para evitar este tipo de problema os sensores de nível são a alternativa mais indicada. O dispositivo identifica quando o reservatório está sem água e, dessa forma, evita o acionamento seco da bomba, protegendo o equipamento.   Como instalar o sensor de nível no climatizador? O sensor de nível deve ser fixado na lateral do reservatório. A altura ideal do sensor de nível deve ser estudada caso a caso. Existem duas formas de instalar o sensor de nível: normalmente aberto ou normalmente fechado. Nas imagens abaixo é possível visualizar como é realizada a instalação em ambos os casos. O recomendado é que o sensor de nível seja ligado ao inversor de frequência. O inversor então desabilita a bomba quando o nível de água do reservatório está abaixo do especificado. Inversores como o IRX Pro, por exemplo, alertam o usuário sobre a falta de água, permitindo que alguma ação corretiva seja tomada. Também é possível ligar o sensor de nível em série com a bomba, embora não seja recomendado. Isso também evitará que a bomba seja acionada sem água, mas o usuário não será informado da falta d'água. Para realizar este tipo de ligação, é necessário entrar em contato com o fabricante do sensor de nível.   Ligando o sensor de nível ao inversor de frequência IRX Pro Os inversores de frequência IRX Pro da Ageon foram desenvolvidos especialmente para climatizadores evaporativos. Possuem diversas funções específicas para esta aplicação e controle remoto que permite controlar todas as funções do climatizador. Os inversores de frequência IRX Pro possuem uma entrada digital específica para o sensor de nível. O sensor deve ser instalado na posição normalmente fechado. Caso o sensor de nível seja ligado em série com a bomba, o parâmetro P85 deve ser ajustado para OFF. O parâmetro P85 é referente à histerese do sensor de nível, ou seja, o tempo em que a falta d'água deve ser identificada pelo sensor para ativar ou desativar a bomba. A configuração de alguns segundos neste parâmetro evita que a bomba seja acionada e desligada em uma frequência muito alta, como em caso de ondulações no reservatório, por exemplo. *** Você utiliza sensor de nível no climatizador evaporativo? Achou este artigo útil? Deixe seu comentário abaixo.

Quais as vantagens de ser um distribuidor dos produtos Ageon?

27/06/2018 - Ageon, Dicas Ageon
Você possui uma empresa que distribui produtos de automação? Revende produtos para controle de temperatura ou para acionamento de motores? Se você se preocupa em oferecer apenas produtos de qualidade aos seus clientes, este post é para você. Aqui você irá conhecer mais sobre a Ageon e também as principais vantagens de ser um distribuidor dos nosso produtos.   O que a Ageon oferece? A Ageon é uma empresa brasileira que fabrica soluções em controles eletrônicos. Entre os principais produtos oferecidos pela empresa, destacam-se os inversores de frequência e os controladores de temperatura. Os controladores de temperatura da Ageon são utilizados em diversos segmentos, como refrigeração comercial e industrial, aquecimento solar, chocadeiras, fabricação de cerveja artesanal e diversos outros. Já os inversores de frequência Ageon são utilizados em diversos tipos de máquinas. São inversores para motores de até 5CV, ideais para a automação de máquinas alimentícias, rotuladoras, esteiras ergométricas, entre outros equipamentos.   Quais as vantagens do produtos Ageon? Os produtos Ageon são desenvolvidos e fabricados com tecnologia nacional. A empresa preza pela praticidade e inovação em toda a sua linha, criando produtos de qualidade que atendem às necessidades do mercado. A preocupação com a qualidade pode ser identificada através da certificação ISO9001 e da garantia de 2 anos oferecida para todos os produtos.   Quais os benefícios de ser um distribuidor Ageon? A Ageon valoriza a parceria com revendedores e distribuidores. Veja abaixo alguns dos benefícios que a Ageon oferece aos seus distribuidores. Oferecer produtos de qualidade Em primeiro lugar o distribuidor Ageon oferece produtos de qualidade ao seus clientes. Como citamos acima, a preocupação com a qualidade é uma das principais características da Ageon. Política de indicação A Ageon possui uma política de indicação e de não-concorrência com seus distribuidores. Ou seja, as solicitações que não se enquadram em nossa política comercial (possuir CNPJ, pedido mínimo,  quantidade de peças, etc) são encaminhadas diretamente para os distribuidores da região. Dessa forma a empresa demonstra a valorização do seu distribuidor, indicando sua loja aos clientes finais. Canal aberto com o fabricante Um dos principais diferenciais da Ageon é o canal de comunicação aberto com o distribuidor. Isso significa que mesmo os distribuidores de outras regiões tem acesso facilitado à Ageon, seja para tirar dúvidas, solicitar informações, treinamentos ou materiais promocionais. O distribuidor Ageon possui acesso fácil e prioritário com os setores comercial, financeiro e suporte técnico da empresa. Suporte técnico de fábrica Como citado anteriormente, o distribuidor Ageon possui acesso fácil ao setor de suporte técnico da Ageon. Além disso, nossa equipe de suporte também está apta a instruir o cliente final sobre a instalação e utilização de nossos produtos. Dessa forma o distribuidor pode revender os produtos Ageon e ter a certeza que seu cliente não ficará desamparado caso possua dúvidas em relação ao produto. *** Que tal conhecer mais sobre a política de parceiros da Ageon? Entre em contato conosco e saiba mais.

Diagnóstico de erros nos Inversores de Frequência Ageon

20/06/2018 - Ageon, Dicas Ageon, Inversores de Frequência
A configuração de inversores de frequência requer um certo nível de conhecimento técnico. Independente da marca e do modelo, é preciso estar familiarizado com o funcionamento de inversores, de motores e até mesmo da máquina onde estes equipamentos estão instalados. Por isso, em algumas situações podem ocorrer falhas, seja resultado de configuração incorreta, flutuações na rede, entre outras causas. Neste post vamos falar sobre os códigos exibidos no display dos inversores de frequência Ageon caso um erro seja identificado pelo aparelho.   Por que os inversores de frequência identificam erros? Conforme citamos anteriormente, o inversor indica em seu display quando um erro é identificado. Esses aparelhos possuem esse recurso porque uma de suas funções, além do controle de velocidade, é a proteção do motor. Dessa forma, o inversor de frequência desativa o motor caso alguma falha seja detectada e informa ao usuário um código. Através deste código é possível identificar a provável causa do erro e, assim, tomar uma ação corretiva.   Principais códigos dos inversores de frequência Ageon Listamos abaixo os principais códigos de erro dos inversores de frequência Ageon, suas principais causas e também as formas mais comuns de corrigir o problema. E02 - Sobretensão no circuito intermediário E03 - Subtensão no circuito intermediário E04 - Sobretemperatura E05 - Sobrecarga na função corrente x tempo E06 ou E09 - Sobrecorrente por hardware E07, E10 ou E11 - Falha de comunicação   E02 - Sobretensão no circuito intermediário Se o display do inversor apresentar "E02" significa que a tensão no circuito intermediário está acima de 410V. Isso pode ocorrer por dois motivos principais. O primeiro deles é a tensão de alimentação do inversor acima do especificado. O segundo motivo mais comum é quando o inversor aciona uma carga com inércia elevada e passa por uma desaceleração muito rápida. Como resolver? Em primeiro lugar recomenda-se verificar a tensão do circuito intermediário e a tensão da rede. A tensão do circuito intermediário pode ser visualizada através do parâmetro "P02", e deve estar entre 180V e 410V. Já a tensão da rede pode ser identificada com um multímetro. Verifique se a tensão de alimentação do inversor está de acordo com a especificação do produto (vide manual). Caso a tensão esteja normal, provavelmente trata-se de um problema relacionado à rampa de desaceleração. Dessa forma é recomendado aumentar o tempo da rampa de desaceleração.   E03 - Subtensão no circuito intermediário Caso o display do inversor apresente "E03" significa que a tensão no circuito intermediário está abaixo de 180V. Normalmente isso ocorre quando a tensão de alimentação do inversor está abaixo do especificado. Como resolver? Verifique a tensão do circuito intermediário através do parâmetro "P02", lembrando que seu valor deve estar entre 180V e 410V. Verifique a tensão de alimentação e os cabos que ligam o inversor de frequência à rede elétrica. Com um multímetro, confira se a tensão da rede está de acordo com a especificação citada no manual do produto.   E04 - Sobretemperatura "E04" é exibido no display quando a temperatura no módulo IGBT do inversor está muito elevada. Isso pode ocorrer quando a temperatura ambiente se encontra acima da especificação do produto ou também quando o inversor estiver trabalhando em sobrecarga. Ainda é possível que a sobretemperatura esteja relacionada à frequência de chaveamento configurada para o inversor. A temperatura do módulo IGBT se eleva conforme uma frequência de chaveamento mais alta é configurada. Como resolver? Em primeiro lugar verifique a temperatura do módulo IGBT através do parâmetro "P05". Caso a temperatura esteja elevada, certifique-se de que o inversor está instalado em local com temperatura e ventilação adequadas. Também é importante verificar se a carga acionada pelo inversor não ultrapassa a corrente nominal especificada. Em último caso o problema pode estar relacionado à frequência de chaveamento. Verifique a possibilidade de configurar um valor mais baixo. No entanto é importante se atentar que, quanto menor a frequência de chaveamento, maior será o ruído emitido pelo motor.   E05 - Sobrecarga na função corrente x tempo O código "E05" é apresentado nos inversores de frequência Ageon quando é identificada uma sobrecorrente após o acionamento do motor. Geralmente este erro ocorre porque o inversor está acionando uma carga muito alta. Outra causa possível é o ajuste do parâmetro "Corrente de sobrecarga do motor" com um valor muito baixo. Como resolver? Para resolver esse problema recomenda-se aumentar o tempo da rampa de aceleração do motor. Caso esta ação não resolva, o recomendado é estudar a aplicação e o funcionamento do motor, e verificar se é possível elevar o valor do parâmetro "Corrente de sobrecarga do motor" sem comprometer o funcionamento do equipamento.   E06 ou E09 - Sobrecorrente por hardware É exibido o código "E06" ou o código "E09" quando o inversor detecta uma corrente acima do permitido ou quando a corrente de saída ultrapassa o limite seguro para o seu funcionamento. Outra causa possível para esse problema é um curto-circuito entre duas fases ou no enrolamento do motor. Existe ainda a possibilidade de ocorrer esse erro caso o inversor acione uma carga com inércia muito elevada. Como resolver? Se o erro ocorrer devido a uma carga com inércia elevada, basta aumentar o tempo da rampa de aceleração. Caso este procedimento não resolva, desconecte o motor do inversor e teste o equipamento. Se o inversor não apresentar o erro, provavelmente o problema se encontra no motor.   E07, E10 ou E11 - Falha de comunicação O inversor de frequência apresentará "E07", "E10" ou "E11" caso uma falha na comunicação entre o inversor e a IHM ocorrer. Como resolver? Verifique a conexão e os cabos de comunicação entre o inversor e a IHM. Se possível, utilize outro cabo para teste. É importante que os cabos de comunicação não fiquem próximos aos cabos de potência, pois pode haver interferência decorrente de ruído. Também é importante se atentar ao comprimento máximo permitido para o cabo de comunicação.   A Ageon recomenda que a instalação e configuração dos seus produtos seja realizada por um profissional qualificado. Em caso de dúvidas, entre em contato com nosso suporte técnico pelo telefone (48) 3028-8878. *** Este post foi útil? Deixe seu comentário abaixo.

Controle de temperatura e umidade para charcutaria artesanal

13/06/2018 - Controladores de Temperatura, Dicas Ageon
Você já ouviu falar sobre charcutaria? Esta prática é bastante antiga, mas vem ganhando bastante espaço no Brasil recentemente. Neste post vamos falar sobre como o controle de temperatura e de umidade é importante no processo de produção desse tipo de alimento e também sobre o tipo de equipamento ideal a ser utilizado.   O que é charcutaria? Em primeiro lugar é preciso esclarecer o conceito de charcutaria. A charcutaria pode ser definida basicamente como a preparação de carnes, principalmente a suína, através de métodos de preservação como a defumação, cura, salga, entre outros. Alguns produtos que resultam desse processo são linguiças, salames e bacon, por exemplo.   Importância do controle de temperatura e umidade A produção de alimentos de charcutaria requer, em muitos casos, temperatura e umidade controladas. Cada receita possui uma temperatura específica a qual a carne deve ser mantida por um período determinado. Da mesma forma, em alguns casos a umidade deve ser elevada, enquanto em outros casos deve ser extremamente baixa. Esses fatores são essenciais para a produção de alimentos de qualidade e é praticamente impossível exercer a prática da charcutaria sem esse tipo de controle. Em muitos processos de charcutaria são utilizados micro-organismos, cuja função está associada à melhora do sabor e consistência dos alimentos. Esses micro-organismos se proliferam e alteraram as características físicas e químicas da carne. No entanto, cada tipo de micro-organismo se prolifera melhor a uma temperatura e umidade específicas. É exatamente neste ponto que o controle dessas variáveis ganha importância. Por isso, um equipamento essencial para os charcuteiros é uma câmara de maturação ou câmara de cura. É neste tipo de câmara que as carnes são deixadas por um tempo determinado à temperatura e umidade controladas. Charcuteiros artesanais geralmente utilizam geladeiras comuns adaptadas como câmaras de maturação. A adaptação consiste em incluir um controle mais preciso de temperatura e também algum tipo de controle de umidade. Caso o alimento a ser produzido exija temperaturas mais elevadas, também é incluído um sistema de aquecimento.   Como controlar temperatura e umidade em uma geladeira Os controladores digitais são os equipamentos mais indicados para manter a temperatura e a umidade da câmara de maturação sempre estáveis. O controlador K103 PID U, por exemplo, é uma solução ideal para este tipo de aplicação. Ele possui três saídas: uma para temperatura, uma para umidade e uma saída auxiliar. Esta última saída é configurável, ou seja, pode ser ajustada para controlar a temperatura, a umidade ou ainda acionar um alarme. A imagem abaixo mostra um exemplo de ligação do controlador K103 PID U em uma geladeira adaptada. No exemplo é possível verificar como ligar o controlador à geladeira, a um umidificador e a um desumidificador. Dessa forma seria possível produzir alimentos em temperaturas baixas e com um controle preciso de umidade. A saída de temperatura do controlador K103 PID U possui controle PID. No entanto, para os processos de charcutaria é recomendado desativar o controle PID. Isso pode ser feito através do parâmetro "r4" do controlador, ajustando seu valor para "no". É recomendada a utilização de contatores nas saídas do controlador de temperatura e umidade. Dessa forma são evitados problemas relacionados à sobrecarga. A saída de temperatura do controlador só poderá ser ligada a uma contatora caso o controle PID esteja desativado, conforme descrito acima. *** Você utiliza controle de temperatura é umidade em uma câmara de charcutaria? Deixe seu comentário abaixo.